Ir para o conteúdo
Mostrar cesto Esconder cesto

Voltar a Matarandiba
Tela cheia

Descrição

24 de Março de 2015, 18:01 , por Tiago Rodrigues Mendes - 0sem comentários ainda | Ninguém está seguindo este artigo ainda.
Visualizado 469 vezes

 

A Ilha de Matarandiba teve sua origem quase no mesmo período do descobrimento do  Brasil, nessa época o deslocamento pelo via  marítima era mais fácil do que pela via terrestre, o que ocasionou o descobrimento da Ilha pelos portugueses, pois estavam buscando conhecer o território brasileiro e a buscando por locais para defesa do território.    Os primeiros habitantes da ilha de Matarandiba, assim como da Ilha de Itaparica, foram os Tupinambás, o que reflete na própria construção toponímica do nome da localidade. Diz a narrativa popular que Matarandiba indicava a abundância de uma árvore no território da ilha.(GUIMARÃES,2012) Segundo ALMEIDA 2013, o nome Matarandiba é uma junção de Matara (redução da forma matarânna: árvore de madeira rija da família dos Renealmia Sylvestris) com ndiba (indica lugar de farta colheita, abundância), significando assim Mataranas em abundância.

 

 

No entanto há outras versões que tentam explicar a origem do nome da localidade. Segundo histórias populares, o nome da Vila deriva da história da morte de uma índia de nome “Diba” pelos portugueses. Quando o corpo dessa índia foi encontrado, os outros índios gritaram “Mataram Diba”! De acordo com essa história, assim surgiu o nome da comunidade.

 

 

A partir do século XX, segundo relatos de moradores, havia a presença de fazendas e roças com a presença de muito mato, sendo as casas, em sua maioria, feitas de taipa, e não contava com a presença de água encanado e energia elétrica. Por esse motivo, os moradores da Ilha tinham costume de pegar água nas fontes da ilha como a  Fonte do Cavalo, a Fonte do Landir, a Fonte do Caminho e a Fonte da Quarta. Essa atividade da coleta da água foi responsável também pelo surgimento de uma manifestação cultural tradicional na vila: a Lavagem da fonte ( SANTANA, 2011).

 

 

 

A vila conta com uma beleza natural ímpar. Pela existência de uma extensão considerável de mangue no local, grande parte da atividade econômica da comunidade é pesqueira e predatória,  contudo não é suficiente para gerar emprego e renda para toda população, sobretudo para os mais jovens. No período de alta estação, a comunidade não apresenta condições de infra-estrutura adequada aos moradores e visitantes, e por conta de maus hábitos e pouco cuidado com o ecossistema, agrava-se o processo degradação do meio-ambiente local.

 

 

 

Quer adicionar informações a essa descrição? Envie um comentário?


0sem comentários ainda

    Enviar um comentário

    Os campos são obrigatórios.

    Se você é um usuário registrado, pode se identificar e ser reconhecido automaticamente.

    Cancelar