Aller au contenu
Show basket Hide basket

Fórum Brasileiro de Economia Solidária

Plein écran

Adesão atesta eficácia do trabalho coletivo

April 21, 2015 20:48 , par Cooperativa de Produção Agropecuária Vitória - COPAVI - 0Pas de commentaire | No one following this article yet.
Viewed 144 times

Adesão atesta eficácia do trabalho coletivo
Estímulo à cultura de mobilizaçãoviabiliza o projeto de uma sociedade
Os 83 assentados na Copavi são um mal exemplo ao pensamento do latifundiário, para quem produtividade é sinônimo de grande propriedade. Mesmo em terreno exaurido e arenoso, a produção é ímpar. “As 62 cooperativas do Brasil são um ‘cala-a-boca’ porque as famílias, mesmo numa situação precária e sem acesso à tecnologia, provam que o modelo de sociedade a que aspiramos é possível”, lembra Zumbi.
Outra conquista é a igualdade nos ganhos. Não há remuneração diferenciada para traba-lhos específicos, desde que as horas executadas sejam iguais. “Eu tra-balho na frente do computador e não ganho mais do que quem trabalha na roça”, explica Valmir Strozake.
Divididos por habilidades, os cooperados se adaptam à atividade com a qual melhor se identificam e se aperfeiçoam nela. Os cooperados, pelo regimento, trabalham oito horas por dia. “Mas, na prática, as mulheres têm uma jornada de sete horas em média e os homens, nove”, comenta Strozake. Aos sábados, é regulamentado até o meio dia. Depois disso, algumas atividades que requerem um cuidado constante (horta, suino-cultura) são atendidas em sistema de rodízio.
Os sócios têm direito a trinta dias anuais de férias não remuneradas. A licença paternidade é de cinco dias, a maternidade, de sete meses. Os idosos, se quiserem trabalhar, terão uma ocupação. “Não tem problema, nem que seja para dar entrevistas para vocês (jornalistas)”, ironiza Strozake.
A prioridade, até os 18 anos, é a educação. Caso os adolescentes queiram trabalhar, há conversas com os pais e os orientadores pedagógicos da Copavi. Se não afetar o rendimento escolar, o serviço é organizado. Todos freqüentam as escolas do município de Paranacity. (leia Apoio pedagógico completa formação).
Dos 17 aos 18 anos, é obrigatória a atividade de 100 horas mensais, com remuneração equivalente a dos adultos. Para os adolescentes na faixa dos 14 aos 16 anos o trabalho não é obrigatório. Caso o exerçam, o valor da hora é de 70%.

Desistir? Não!
Dos que ingressaram na Copavi desde a sua fundação, 30% em média não se adaptaram - pela cultura, história, experiência de vida - à organização coletiva e às suas implicações. Nos assentamentos a “desistência é menor que na agricultura devido à integração do MST. A maioria delas é fruto da política agrária do governo, que não dá chances ao pequeno agricultor”, opina Strozake.
“Não consideramos as desistências um problema porque a vaga sempre é reposta. É claro que atrapalha porque quem desiste já avançou em relação ao que vai começar agora”, avalia o presidente da Copavi, Antônio Natalino Gonçalves, 34, há 11 anos no MST.
Na saída de algum sócio, é decidido em assembléia geral (ou pelo Conselho Deliberativo) a forma e o prazo da devolução de sua cota-parte, não tendo ele direito à terra ou a qualquer outro bem patrimonial da cooperativa.
"Na Copavi a remuneração é igualitária para todos os tipos de traballho"

 

"Na Copavi a remuneração é igualitária para todos os tipos de traballho"

"Povo sem terra fez a guerra por justiça, visto que não tem preguiça esse povo de pegar cabo de foice (...) pra poder fazer roçado e o Brasil se alimentar" Zé Pinto

" Despertemos esta pátria adormecida o amanhã depende de nós trabalhadores!" Hino do MST

O que se observa é que não se fala em desistências. Pelo contrário, há preocupação em buscar a consolidação do projeto de uma nova sociedade. Estimulando a cons-cientização no tripé ideológico, político e financeiro, o MST visa a uma cultura de mobilização atuante em várias frentes: eleitoral, partidos políticos, protestos.
Antes de ingressar no Movimento, a maioria da população já participava de uma organização política. Sindicatos, associações, cooperativas faziam parte da rotina dos assentados.
No pensamento do MST, o neoliberalismo - inimigo mundial - trava o processo de reforma agrária e desencadeia resistência nos trabalhadores, que adquirem consciência política e crítica.

(Carlos Nieburh e Luciana Lazarini)


Source : Cooperativa De Produção Agropecuária Vitória Ltda

0Pas de commentaire

    Poster un commentaire

    Les champs sont obligatoires.

    Si vous vous êtes déjà enregistré(e) comme utilisateur, vous pouvez vous connecter pour être reconnu(e) automatiquement.

    Annuler

    FBES - Fórum Brasileiro de Economia Solidária

    Brazil