Ir para o conteúdo
Mostrar cesto Esconder cesto
Voltar a Notícias
Tela cheia Sugerir um artigo

Agricultura familiar do DF ganha ponto de comercialização

19 de Outubro de 2016, 11:06 , por Marcelo Inácio de Sousa - 0sem comentários ainda | Ninguém está seguindo este artigo ainda.
Visualizado 103 vezes
Licenciado sob CC (by-nc-nd)

A Associação dos Produtores do Núcleo Rural Lago Oeste (Asproeste) inaugurou no último sábado (dia 15/10) o novo ponto de comercialização de produtos da agricultura familiar: o Empório Lago Oeste. O empreendimento fica no Balão do Colorado, no quilômetro 0,4 da Rodovia DF-003, Lago Norte/DF, e já está em funcionamento. Com 480 metros quadrados (m²), o espaço abriga 21 boxes e recebeu o investimento social de R$ 539,9 mil da Fundação Banco do Brasil e do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES).

O gerente de Implementação de Programas e Projetos da Fundação BB, Fernando Vellozo, participou da inauguração. "Hoje é um momento de festa, porque essa inauguração é fruto do esforço de todos os parceiros e principalmente dos produtores e da direção da Asproeste. Esse espaço que fica numa área nobre do DF é também mais um ponto turístico e nós nos orgulhamos muito de ter contribuído para que ele acontecesse", disse Vellozo.

Crédito: Divulgação FBB

No Empório são comercializados produtos de 50 agricultores familiares cadastrados na Asproeste, como Maria Gracineide Pereira, a Gracinha (foto). Há 13 anos no projeto, ela é a agricultora mais antiga e serve de exemplo para os outros produtores. "Sou persistente. Quando esse espaço pegou fogo em 2012, eu não desisti, continuei trabalhando aqui perto numa feirinha improvisada, porque acreditava que um dia isso aqui se tornaria o que estamos vendo hoje", contou.

No seu box Gracinha trabalha com a família - esposo e filha – e comercializa queijos, doces caseiros, pães, mel, ovos, frango caipira, manteiga e linguiça, entre outros produtos. Com o ponto de comercialização ela obtém uma renda de R$ 1.200 por mês.

Ismênia Aparecida de Oliveira, de 70 anos, também faz parte do projeto desde o início. No box de 9 m² ela vende alguns alimentos que produz e também os de outros 18 produtores do Lago Oeste, como frutas, verduras e biscoitos - mas o forte do seu box são os temperos e molhos. Ela explica que a venda no empório é sua única alternativa para conseguir renda, estimada hoje em R$ 1.500. "Para mim isso aqui é o ideal. Sou feliz com o que faço e agora estou lutando para conseguir o certificado de orgânico", acrescentou.

A inauguração contou também com a presença do presidente da Asproeste, Eduardo Guerra; do secretário de Agricultura, Abastecimento e Desenvolvimento Rural (SEAGRI), José Guilherme Leal; do presidente da Emater, Argileu Martins; do presidente da Ceasa, José Derval da Silva; do diretor-presidente da Novacap, Júlio Menegotto; e do deputado distrital Joe Valle.

[+] FONTE: Fundação Banco do Brasil | Texto de Dalva de Oliveira

Categorias

Distrito Federal, Alimentação, Artesanato, Agricultura Familiar
Tags deste artigo: ponto fixo agricultura familiar empório lago oeste

0sem comentários ainda

    Enviar um comentário

    Os campos são obrigatórios.

    Se você é um usuário registrado, pode se identificar e ser reconhecido automaticamente.

    Cancelar

    FESDFE - Fórum de Economia Solidária do DF e Entorno

    Brasília - Distrito Federal - Brazil

    9 integrantes