Ir para o conteúdo
Mostrar cesto Esconder cesto
Voltar a Textos
Tela cheia

A informação e a consciência cidadã - TEXTO 05

13 de Junho de 2016, 18:21 , por Zenivaldo - 0sem comentários ainda | Ninguém está seguindo este artigo ainda.
Visualizado 62 vezes

A informação e a consciência cidadã


As notícias, análises e opiniões sobre os fatos que ocorrem à nossa volta, são de fundamental importância para que a gente possa formar um juízo e ter uma posição a respeito dos acontecimentos. Por isso, é de importância vital que possamos dispor de informações de mais de uma fonte. Fontes essas que com seus diferentes ângulos, nos permitam uma melhor avaliação.
Não vamos ser ingênuos ao ponto de achar que a chamada “grande imprensa”, porta voz dos mandatários do poder, comprometida com os grandes núcleos que realmente governam esse país, queira nos informar isentamente. Essas informações, de forma manipuladas, refletem o interesse do poder capitalista (Federações dos Bancos, da Indústria e do Agronegócio e congêneres).
Poucos veículos de informação tem uma independência para informar criticamente. A nível de circulação nacional escrita, por exemplo, só me vem à lembrança as revistas Carta Capital e Caros Amigos. As quais, por se colocarem criticamente ao poder econômico, tem uma circulação restrita. No plano televisivo, contávamos com a EBC (TV Brasil), constituída pela Lei 11652/2008 para funcionar como uma TV pública, de forma independente dos governos de plantão. Por isso, a lei lhe dotava de orçamento próprio e de mandato de seu diretor-presidente desencontrado dos mandatos presidenciais para evitar ou minorar o atrelamento ao governo da ocasião.

Pela importância da informação e objetivando o controle, não aceitando a isenção, o presidente interino – Michel Temer – desobedece a lei e exonera o diretor-presidente da TV Brasil – Ricardo Melo – que legalmente tinha mandato até maio de 2020. Esse ato presidencial mostra a disposição de intimidar e manipular as informações, impedindo que o cidadão possa dispor de informações mais livres de vícios. É notória a alteração do quadro jornalístico da TV Brasil. O jornal Repórter Brasil teve substituído todos seus jornalistas apresentadores e sumiu do ar, os comentaristas Luiz Nassif (economia) e Emir Sader (política). É visível a queda da qualidade da informação! Outro fato que demonstra essa intervenção foi o cancelamento da entrevista da senadora Vanessa Grazziotin (PC do B – Amazonas), no programa Espaço Público e o seu apresentador – jornalista Paulo Moreira Leite – teve o contrato suspenso. Possivelmente pelo convite à senadora e pela liberdade crítica com que conduzia o programa.

Essa repressão aos poucos espaços mais livres de informação tem o objetivo de cercear as críticas aos projetos de arrocho, notadamente contrário aos direitos dos trabalhadores. Não podemos contar, de modo algum, com uma avaliação justa das redes de televisão (Globo à frente), nem com os grandes jornais e revistas (Globo, Folha de São Paulo, Veja e similares), sobre as “reformas” (melhor dizendo – ataques) à Previdência Social, Terceirizações, “flexibilização” (leia-se corte) da CLT e redução dos projetos sociais.
Não se deixe enganar: os telejornais da Globo são programas político-partidário do governo (ilegítimo) Temer (PMDB-PSDB-DEM) que vai ao ar de segunda a sábado. Comece a exercitar seu olhar crítico. Busque outras fontes. Compare os fatos com sua realidade.

Para baixar esse texto

CLIQUE AQUI


0sem comentários ainda

    Enviar um comentário

    Os campos são obrigatórios.

    Se você é um usuário registrado, pode se identificar e ser reconhecido automaticamente.

    Cancelar

    Professor Santana

    Textos Políticos