Ir para o conteúdo
Mostrar cesto Esconder cesto
Tela cheia Sugerir um artigo

Notícias

12 de Janeiro de 2009, 22:00 , por Desconhecido - | 1 pessoa seguindo este artigo.
Notícias publicadas no portal oficial da UFRB e clonadas nessa comunidade.

Pesquisadores da UFRB desenvolvem aplicativo para monitorar coronavírus

3 de Junho de 2020, 4:31, por UFRB - Universidade Federal do Recôncavo da Bahia - 0sem comentários ainda

Pesquisadores da Universidade Federal do Recôncavo da Bahia (UFRB), em colaboração com a Universidade de Stellenbosch (África do Sul), desenvolveram o aplicativo ContraCovid. A tecnologia auxilia pessoas com suspeita ou diagnóstico da COVID-19 a monitorar o progresso dos seus sintomas ao longo dos dias.

O aplicativo é parte do projeto denominado "ContraCovid - Tecnologias para monitoramento da COVID-19", que investiga técnicas de processamento de sinais e inteligência artificial para desenvolver um método de baixo custo para detecção e monitoramento da COVID-19 através da análise automática de sintomas, particularmente a tosse e a dificuldade respiratória.

O estudo é conduzido pela UFRB, sob a coordenação do professor Igor Miranda, e conta com a participação do professor João Carlos Bittencourt, e dos estudantes Rafael Melo, Gabriel Oliveira, Taylane Oliveira, Breno Prazeres, todos do Centro de Ciências Exatas e Tecnológicas (CETEC). Também participa da pesquisa Thomas Niesler, professor titular da Universidade de Stellenbosch (África do Sul).

Telas do aplicativo ContraCovid.Telas do aplicativo ContraCovid.

A pesquisa foi autorizada pela Comissão Nacional de Ética em Pesquisa do Ministério da Saúde do Brasil para condução de experimentos com seres humanos. "Estamos começando uma fase importante que é a coleta de dados para validação dos métodos propostos. A coleta será realizada de duas formas: com dispositivo específico em pacientes hospitalizados e através do aplicativo que criamos para pacientes em auto-isolamento. Com base nos resultados preliminares da pesquisa, o aplicativo também permite que o usuário acompanhe a evolução dos seus sintomas ao longo dos dias", explica o professor Igor Miranda.

Monitoramento - A ferramenta pretende auxiliar pessoas com suspeita ou diagnóstico da COVID-19 a monitorar o progresso dos seus sintomas ao longo dos dias. Os usuários do aplicativo gratuito dispõem de informações detalhadas sobre o histórico dos seus sintomas para fornecer à equipe médica, se for o caso.

Ao se cadastrar e durante a permanência dos sintomas, são coletados duas vezes ao dia os dados demográficos básicos, o histórico médico, a localização, a frequência respiratória, e a ocorrência de tosse. Segundo os pesquisadores, após o usuário colocar o celular na barriga por 10 minutos, o aplicativo é capaz de coletar informações sobre sua tosse e frequência respiratória por meio de inteligência artificial e processamento de sinais.

Além de exibir o histórico dos sintomas, o aplicativo informa a probabilidade desses sintomas serem da COVID-19. Os idealizadores ressaltam que não se trata de um diagnóstico, mas apontam que a ferramenta contribui na avaliação de forma objetiva. Os dados dos usuários são armazenados com privacidade em um banco de dados que visa desenvolver sistemas automáticos de acompanhamento de pacientes com a COVID-19.

Saiba mais sobre o projeto no site www.ContraCovid.org.



Revista Novos Olhares Sociais da UFRB lança dossiê temático sobre esporte e sociedade

2 de Junho de 2020, 6:36, por UFRB - Universidade Federal do Recôncavo da Bahia - 0sem comentários ainda



Docente da UFRB participa de canal online de auxílio às gestantes

29 de Maio de 2020, 5:33, por UFRB - Universidade Federal do Recôncavo da Bahia - 0sem comentários ainda

Orientações para gestantes da Bahia com questões envolvendo o novo coronavírus e o trabalho de parto, no intuito de reduzir a procura às maternidades, evitando assim a exposição desnecessária em épocas de pandemia. Esses são os objetivos do grupo Fale com a Parteira Bahia.

O grupo conta com a colaboração da professora Amália Nascimento do Sacramento, do Centro de Ciências da Saúde (CCS) da Universidade Federal do Recõncavo da Bahia (UFRB). A iniciativa visa ajudar as gestantes que já estão no tempo de parir a avaliar a real necessidade de irem para a maternidade, seguindo as recomendações mundiais, ou puérperas que tenham qualquer dúvida sobre cuidados pós-parto ou com o recém-nascido. As enfermeiras ficam à disposição durante 24 horas por dia, atendendo as demandas via WhatsApp. O contato inicial é através da conta do link para o grupo no WhatsApp e de lá as mulheres terão um link para o grupo no WhatsApp.

O projeto de trabalho se originou em Recife (PE), em meio a pandemia da covid-19, e está sendo replicado em várias capitais e cidades pelo Brasil. 

Como fazer para ter acesso:

1 - Entrar no grupo no WhatsApp;
2 - Escrever: preciso de ajuda;
3 - A profissional escalada irá responder via WhatsApp em janela privada/individualizada;
4 - Havendo necessidade, a profissional poderá ligar para ajudar a esclarecer a dúvida e dar o suporte com as orientações.

{youtube}j-j6Z7ZM4tM{/youtube}



Mensagem do Reitor sobre as ações da UFRB durante a pandemia de CoVid-19

28 de Maio de 2020, 17:53, por UFRB - Universidade Federal do Recôncavo da Bahia - 0sem comentários ainda

O reitor da Universidade Federal do Recôncavo da Bahia (UFRB), Fábio Josué, fala sobre as ações da Universidade durante a pandemia de CoVid-19.

{youtube}eqf-NskAXHw{/youtube}

Acesse ufrb.edu.br/coronavirus

Nossas redes sociais:



Egressos da UFRB gravam novos vídeos para fortalecer laços de empatia com estudantes

28 de Maio de 2020, 17:51, por UFRB - Universidade Federal do Recôncavo da Bahia - 0sem comentários ainda

Integrando o Programa de Extensão de Acompanhamento e Enfrentamento à CoVid-19 da Universidade Federal do Recôncavo da Bahia (UFRB), o projeto de extensão intitulado #Empatia.Cahl.UFRB lança mais dez vídeos que compõem a série formada por 20 mensagens de egressos para estudantes da UFRB.

O projeto, realizado pela coordenadora do Bacharelado em Publicidade e Propaganda, professora Juciara Nogueira, conta com a colaboração de alguns docentes e chega a sua fase final contemplando, em seus 20 vídeos, mensagens de profissionais formados em praticamente todos os cursos do Centro de Artes, Humanidades e Letras (CAHL): “neste momento agudo de apreensão, talvez mensagens de quem já concluiu o curso universitário traga para a comunidade discente um pouco do sentido real da palavra empatia”.

Os dez novos vídeos foram gravados por egressos dos cursos de Publicidade e Propaganda, História, Cinema, Gestão Pública, Museologia, Jornalismo e Ciências Sociais. Seguindo o padrão dos anteriores, cada vídeo tem duração de cerca de um minuto. Após contato inicial, foram passadas instruções técnicas sobre como realizar as gravações e solicitada uma breve apresentação, sendo que a partir daí cada qual gravou a mensagem de acordo com seu modo de pensar, de sentir e transmitir empatia. A facilidade de se enviar e receber vídeos pela internet não dispensa a delicadeza e empenho necessários em todas as etapas. Ao ser devolvido, o material foi submetido ao trabalho de edição e finalização, encaminhado para publicação e, por fim, disponibilizado para visualização e compartilhamento.

Confira:

{youtube}4E6fawPe_DU{/youtube}

{youtube}5fqw46xoeH4{/youtube}

{youtube}yEyWee1-79o{/youtube}

{youtube}asa24oiejtY{/youtube}

{youtube}R0ECYh3JJWw{/youtube}

{youtube}NvqeqctR9vU{/youtube}

{youtube}VxAHIBp6kJ8{/youtube}

{youtube}h2AFQaYojHw{/youtube}

{youtube}PS0Qh3pfi4I{/youtube}

{youtube}NXPrQAZo2bs{/youtube}

Confira os primeiros vídeos (lançados em 22 de abril):

{youtube}HJ_nyyMVh8I{/youtube}

{youtube}eGRDx_5JNW0{/youtube}

{youtube}EBvySErmNrI{/youtube}

{youtube}qDgLocelDSY{/youtube}

{youtube}JAcTb3IKftQ{/youtube}

{youtube}xYWKBjr0SG8{/youtube}

{youtube}cP9216niVYk{/youtube}

{youtube}xcNvAa3-mpo{/youtube}

{youtube}bzbUz1sDA0Y{/youtube}

{youtube}XS4Iz2kmtNc{/youtube}



Categorias

Bahia, Comunicação, Cultura, Formação, Marco Legal, Pesquisa e tecnologia, Políticas públicas, Relações internacionais, Saúde popular, Software, cultura e conhecimentos livres