Ir para o conteúdo
Mostrar cesto Esconder cesto
Tela cheia Sugerir um artigo

Notícias

12 de Janeiro de 2009, 22:00 , por Desconhecido - | 1 pessoa seguindo este artigo.
Notícias publicadas no portal oficial da UFRB e clonadas nessa comunidade.

UFRB oferece suporte virtual para uso de ferramentas do ensino não presencial

22 de Setembro de 2020, 12:57, por UFRB - Universidade Federal do Recôncavo da Bahia - 0sem comentários ainda

A Universidade Federal do Recôncavo da Bahia (UFRB), por meio de sua Pró-Reitoria de Graduação (PROGRAD), disponibilizou formulários para Solicitação de Suporte Virtual, voltados a docentes e discentes que apresentem dificuldades na utilização de plataformas, programas e/ou recursos digitais empregados na operacionalização do ensino não presencial.

O docente ou discente poderá solicitar Suporte Virtual no site da Pró-Reitoria de Graduação ou do Núcleo de Gestão de Programas e Projetos. Basta clicar no nome do Centro de Ensino ao qual é vinculado e preencher o formulário de solicitação. Os atendimentos serão prestados por bolsistas previamente selecionados pela PROGRAD por meio do Edital nº 015/2020 - Programa Bolsista para Suporte Virtual. Para cada curso de graduação presencial da UFRB foi selecionado um bolsista para prestar assessoria técnica não presencial na utilização de recursos digitais.

“Com o desenvolvimento e a participação em aulas remotas surge um desafio novo para docentes e discentes. Nesse contexto, a PROGRAD selecionou discentes com habilidades digitais que irão auxiliar aqueles que necessitarem de algum suporte para o uso das ferramentas do ensino não presencial. Os bolsistas para suporte virtual atuarão por 12 horas semanais, em momentos distintos de suas atividades acadêmicas”, explica a pró-reitora de Graduação, Karina Cordeiro.

As solicitações para Suporte Virtual deverão ser feitas com no mínimo dois dias úteis de antecedência para sua realização e o seu atendimento estará condicionado à ordem de chegada. Ao receber uma solicitação de ajuda, o bolsista irá entrar em contato com o solicitante para auxiliá-lo a realizar determinada atividade, mas não irá realizá-la em seu lugar. O objetivo é que os docentes e discentes desenvolvam essas habilidades.

Mais informações: ufrb.edu.br/prograd.



UFRB seleciona professores formadores de especialização EaD

21 de Setembro de 2020, 19:06, por UFRB - Universidade Federal do Recôncavo da Bahia - 0sem comentários ainda

A Superintendência de Educação Aberta e a Distância (SEAD) da Universidade Federal do Recôncavo da Bahia (UFRB) abre inscrições para vagas remanescentes da seleção de professores formadores e professores orientadores para a Especialização em Ensino de Ciências - Anos Finais do Ensino Fundamental "CIÊNCIA É DEZ!".

São oferecidas 10 vagas para professor orientador e 01 vaga para professor formador, mais cadastro de reserva. As inscrições online ocorrem até o próximo dia 24 de setembro.

As inscrições para professor formador e professor orientador se destinam a professores de instituições de ensino superior do estado da Bahia com formação acadêmica de nível superior de Licenciatura em Biologia, Física, Química ou Ciências Naturais, com Mestrado ou Doutorado em Ensino de Biologia, Ensino de Química, Ensino de Física, Ensino de Ciências e/ou áreas afins ou em Educação.

A bolsa para professor formador ou orientador I é no valor de R$1.300,00 (mil e cem trezentos) e para professor formador ou orientador II é no valor de R$1.100,00 (mil e cem reais).

As atividades dos professores formadores e professores orientadores estão previstas para iniciarem em 05 de outubro de 2020.

Confira:

Edital SEAD-CFP Nº 14/2020 - Professor Formador e Professor Orientador - Vagas Remanescentes.

Inscrição online para Professor Formador e Professor Orientador.

Dúvidas no email: [email protected].

Mais informações em ufrb.edu.br/ead.



"Universidade Pública, Pandemia e Ensino Remoto" é tema de aula magna na UFRB

21 de Setembro de 2020, 13:40, por UFRB - Universidade Federal do Recôncavo da Bahia - 0sem comentários ainda

Com o início da oferta excepcional de componentes curriculares e de atividades de ensino e de aprendizagem não presenciais, a Universidade Federal do Recôncavo da Bahia (UFRB) fará sua aula magna do Calendário Acadêmico Suplementar (Semestre 2020.3) com foco nas discussões sobre “Universidade Pública, Pandemia e Ensino Remoto”. A palestra será ministrada pela professora Ariane Norma de Menezes Sá, pró-reitora de Graduação da Universidade Federal da Paraíba (UFPB).

“A UFPB foi uma das primeiras universidades a implementar o ensino remoto nesse contexto de pandemia. A instituição já está no segundo semestre com a oferta de componentes curriculares não presenciais”, destaca o reitor da UFRB, Fábio Josué. Na sua avaliação, a professora Ariane tem se destacado no Fórum de Pró-Reitores de Graduação (FORGRAD) pelo conhecimento sobre as principais implicações na utilização das ferramentas de ensino remoto e a ideia do convite foi refletir sobre o tema a partir da experiência acumulada.

Graduada em Licenciatura Plena em História pela Universidade Federal da Paraíba (1986), mestre em História Social pela Universidade de São Paulo (1994) e doutora em História Social pela Universidade de São Paulo (2001), Ariane Sá é professora titular do Departamento de História da Universidade Federal da Paraíba, onde exerce, atualmente, o cargo de Pró-Reitora de Graduação. Professora de História do Brasil, concentra suas pesquisas em História do Brasil, da Região Nordeste, da Paraíba Imperial e em temas sobre educação.

A aula magna da UFRB será na próxima quinta-feira, dia 24, às 14h e terá transmissão ao vivo, aberta ao público, pela TV UFRB em seu canal no YouTube.

Acompanhe em: youtube.com/ufrb.



Nota do CONSUNI sobre cortes orçamentários na UFRB previstos no PLOA 2021

19 de Setembro de 2020, 14:25, por UFRB - Universidade Federal do Recôncavo da Bahia - 0sem comentários ainda

O Conselho Universitário (CONSUNI) da Universidade Federal do Recôncavo da Bahia (UFRB) vem a público externar as preocupações com o funcionamento da nossa Universidade no ano de 2021.

O Governo Federal encaminhou, para aprovação do Congresso Nacional, o Projeto de Lei Orçamentária Anual (PLOA) 2021, com previsão de cortes profundos nos recursos destinados ao Ministério da Educação. Comparado com 2020, o PLOA 2021 implica diretamente na redução de 17,6% do orçamento das universidades federais em um momento de plena pandemia. No caso específico do orçamento da UFRB, comparado ao ano 2020, a redução prevista no PLOA 2021 corresponde a 16,5% nas despesas discricionárias, o equivalente a R$ 7.758.446,00 a menos, fato que, se não for revertido, comprometerá pagamentos de despesas de abastecimento de água, energia elétrica, serviços terceirizados, compra de materiais, manutenção de equipamentos e de bolsas e auxílios estudantis. Investimentos em equipamentos e obras também ficarão comprometidos.

Com a confirmação deste corte, a situação ficará insustentável. Nos últimos anos as universidades federais já foram obrigadas a promover cortes significativos nos seus contratos de custeio, em especial nos serviços terceirizados, para se adequarem aos sucessivos contingenciamentos e reduções orçamentárias de todas as instituições federais de ensino.

A UFRB vem cumprindo, junto às demais universidades públicas, uma tarefa fundamental para ajudar o país a superar a crise atual e a desenvolver ações urgentes que contribuam no combate às mazelas da pandemia da Covid-19. A educação e o desenvolvimento da ciência, da tecnologia e da inovação são cruciais para recuperação do país. É lamentável que o Governo Federal tenha escolhido fazer cortes nestas áreas num momento tão delicado que vive a população brasileira.

A situação é grave. Neste período de pandemia será exigido um maior investimento público para atender as medidas sanitárias obrigatórias e as demandas pedagógicas necessárias. Já trabalhamos em condições financeiras limitadas, por isso é inaceitável cortar recursos do custeio, dos investimentos e da assistência aos nossos estudantes em plena pandemia.

É preciso reverter os cortes na Câmara de Deputados para que as atividades essenciais da Universidade não sejam comprometidas. Por isso, nos dirigimos a toda população do Recôncavo, Vale do Jiquiriçá e Portal do Sertão para unir forças para cobrar dos parlamentares a reversão total dos cortes. Nesse sentido, gostaríamos de contar com o apoio de todos para juntos encontrarmos alternativas políticas para superar os problemas que ora vivenciamos. Conclamamos a comunidade acadêmica e a sociedade para lutarmos em defesa da UFRB!

Cruz das Almas, 18 de setembro de 2020. 

Fábio Josué Souza dos Santos 
Reitor da UFRB
Presidente do Conselho Universitário



Pesquisa de docente é destaque no Festival Internacional do Documentário Musical

17 de Setembro de 2020, 19:26, por UFRB - Universidade Federal do Recôncavo da Bahia - 0sem comentários ainda

O documentário "Memórias Afro-Atlânticas", que mostra o encontro de terreiros de axé de Salvador e do Recôncavo com as gravações de Lorenzo Dow Turner, estreou no Festival Internacional do Documentario Musical na última quinta-feira (10) e segue disponível na  programação Cinema em Casa da plataforma digital Sesc São Paulo gratuitamente até o próximo dia 18. 

A iniciativa é fruto do projeto "Memórias Afro-Atlânticas", idealizado e coordenado pelo professor Xavier Vatin, do Centro de Artes, Humanidades e Letras (CAHL) da Universidade Federal do Recôncavo da Bahia (UFRB). Destaque na imprensa nacional, a produção cinematográfica é da Couraça Criações Culturais com direção de Gabriela Barreto e retrata  a história do linguista negro norte-americano Lorenzo Dow Turner, responsável pelo gravar e fotografar os terreiros de Candomblé, na Bahia entre 1940 e 1941, gerando um acervo inédito.

Pesquisa sobre acervo Turner

O professor Xavier desenvolveu a pesquisa “Memórias Afro-Atlânticas: as gravações de Lorenzo Turner na Bahia”, em 2012, quando esteve na condição de pesquisador visitante na Indiana University (Bloomington, EUA), com bolsa de pós-doutorado financiada pela Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (CAPES). “Houve uma repercussão nacional bastante expressiva a partir de 2014, com a divulgação das gravações de Mario de Andrade. As gravações realizadas por Lorenzo Turner na Bahia, assim como o acervo fotográfico por ele coletado, têm gerado uma expectativa muito grande por parte das comunidades religiosas afro-baianas e afro-brasileiras”, explica Xavier.

A pesquisa consistia em primeiro lugar, à restituição, para as comunidades religiosas envolvidas, do acervo sonoro e fotográfico coletado pelo linguista afro-americano Lorenzo Dow Turner na Bahia em 1940/41. Da pesquisa surgiu à proposta de um CD duplo que apresentou para o Brasil uma parcela inédita da obra deste pioneiro do Atlântico Negro, trazendo de volta, 77 anos depois, uma seleção editada e comentada das cantigas, rezas, histórias cantadas e contadas por Martiniano do Bonfim, Menininha do Gantois, Joãozinho da Goméia, Manoel Falefá, entre outras  figuras históricas da cultura afro-brasileira, ilustres representantes do candomblé.

Segundo Xavier, assim como outros artistas estrangeiros, fascinou-se ao ver o tamanho da contribuição africana, ainda que forçada, na formação cultural e social do Brasil. "Na realidade que o Brasil vive, mostrar para a sociedade a importância do legado africano, negro, afro-indígena é cada dia mais premente", comenta.

 Confira álbuns digitais com gravações do projeto.

Saiba mais sobre o Festival



Categorias

Bahia, Comunicação, Cultura, Formação, Marco Legal, Pesquisa e tecnologia, Políticas públicas, Relações internacionais, Saúde popular, Software, cultura e conhecimentos livres