Ir para o conteúdo
Mostrar cesto Esconder cesto
Tela cheia Sugerir um artigo

Notícias

12 de Janeiro de 2009, 22:00 , por Desconhecido - | 1 pessoa seguindo este artigo.
Notícias publicadas no portal oficial da UFRB e clonadas nessa comunidade.

Edição virtual da Reconcitec mobiliza comunidade e registra mais de 2.300 inscritos

10 de Novembro de 2020, 8:05, por UFRB - Universidade Federal do Recôncavo da Bahia - 0sem comentários ainda

A VI Reunião Anual de Ciência, Tecnologia, Inovação e Cultura no Recôncavo da Bahia (Reconcitec), evento em formato virtual, mobilizou a comunidade acadêmica da Universidade Federal do Recôncavo da Bahia (UFRB) na última semana, superando a marca de 2.300 inscritos, 481 trabalhos aprovados e mais de 34 mil visualizações e 4.475 curtidas de internautas.

As atividades da Reconcitec 2020 foram marcadas  por mesas redondas, conferências, apresentações de trabalho no formato de vídeo-pôsteres e performances artísticas. Toda a programação foi transmitida ao vivo pela TV UFRB.

O pró-reitor Maurício Ferreira, da PPGCI, destacou experiência de coordenar pela primeira vez uma edição da Reconcitec no formato virtual e fez um breve balanço do evento."Com a pandemia tivemos que nos instrumentalizar da expertise do modelo virtual para realização desse evento, e a audiência das nossas mesas demonstra o quanto nosso evento teve êxito. Até então o feedback que tivemos sobre o impacto desta edição foi muito positivo", comentou. 

Confira o vídeo de encerramento.

{youtube}rkueQaUwxC0{/youtube}

Realização - A Reconcitec 2020 é coordenada pela Pró-Reitoria de Pesquisa, Pós-Graduação, Criação e Inovação (PPGCI) da UFRB e tem o apoio do Governo do Estado através da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado da Bahia (Fapesb), do Ministério da Educação (MEC) através da Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes) e do Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovações (MCTI) através do Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq).

A programação da Reconcitec contou ainda com a realização de eventos palaleos tais como o XIV Seminário Estudantil de Pesquisa, Inovação e Pós-Graduação (XIV SEPIP); o V Simpósio de Extensão; o III Seminário de Permanência Estudantil; a VIII Feira Acadêmica de Economia Solidária (VIII FAESOL); o II Simpósio de Empreendedorismo e Inovação do Recôncavo (II SEIRECON) e o II Simpósio de Graduação da PROGRAD.



UFRB dá início à programação do XIV Fórum 20 de Novembro; acompanhe online

10 de Novembro de 2020, 2:18, por UFRB - Universidade Federal do Recôncavo da Bahia - 0sem comentários ainda

Mesa de abertura do XIV Fórum 20 de Novembro - Pró-Igualdade Racial e Inclusão Social do Recôncavo

A Universidade Federal do Recôncavo da Bahia (UFRB) deu início na noite desta segunda-feira, dia 09, à programação do XIV Fórum 20 de Novembro - Pró-Igualdade Racial e Inclusão Social do Recôncavo. Nesta edição, que segue até o dia 27 de novembro, o debate é fomentado a partir do tema “Nossos passos vêm de longe... e vão além!”, que coaduna com as comemorações dos 15 anos da UFRB e da criação da Pró-Reitoria de Políticas Afirmativas e Assuntos Estudantis (PROPAAE). Toda a programação acontece no formato online e é transmitida pela TV UFRB.

O reitor Fábio Josué; o pró-reitor de Políticas Afirmativas e Assuntos Estudantis, Carlos Alberto Santos de Paulo, e a coordenadora de Políticas Afirmativas e presidente da comissão organizadora do XVI Fórum, professora Ionara Magalhães, compuseram a mesa de abertura do evento. Em sua saudação inicial, o reitor falou da satisfação em realizar mais uma edição do Fórum, mantendo a tradição da UFRB. “Esse evento nasce como uma ação estratégica da Universidade em torno das celebrações do Dia Nacional da Consciência Negra (20 de novembro) e, hoje, pelas características de multicampia da nossa instituição, já se estende em seus diferentes territórios, com uma programação que dura praticamente todo o mês de novembro”, destacou Fábio Josué.

O pró-reitor Carlos Alberto sugeriu que o momento do XVI Fórum enseja algumas reflexões, em especial para a UFRB, que tem no seu “DNA” a marca das ações afirmativas. “Estamos todos em um momento de contrição, reservados em nossos lares, mas ansiando por uma articulação pelo diálogo”, disse. “E quero aqui suplantar o conceito de ações afirmativas como sendo um arranjo jurídico para garantir o ingresso de grupos em vulnerabilidade social no âmbito das instituições públicas, porque ação afirmativa é afirmar uma vocação natural para a democracia, para a liberdade e para a compreensão de todas as perspectivas e universos que estruturam a diversidade humana”, completou, agradecendo a toda equipe envolvida no evento.

“Nossos passos vêm de longe... Vem do Congo, Nigéria, Benin, Cabo Verde... A luta antirracista é secular, bebemos de tantas fontes nessa história”, lembrou a professora Ionara. “Nossos passos edificaram políticas de cotas que em pouco tempo revolucionaram a história das universidades brasileiras, compuseram o Movimento Negro, construíram o Plano Nacional de Diretrizes Curriculares para Educação das Relações Étnico-raciais e ensino de História e Cultura Africana e Afro-brasileira, criaram a Secretaria Especial de Políticas de Promoção da Igualdade Racial, instituíram a Lei nº 10.639/2003, a Lei nº 11.645/2008 e a Lei nº 12.288/2010. Precisamos de negros e negras conhecedores de seus direitos. É direito de humanidade”, afirmou.

A cerimônia de abertura contou ainda com a saudação dos demais pró-reitores, coordenadores, gestores, diretores dos Centros de Ensino e representantes das categorias discente e técnico-administrativo da UFRB. Para finalizar, foi exibida uma mensagem do cantor, compositor e ativista dos direitos humanos e contra o racismo, Lazzo Matumbi. Ele parabenizou a UFRB pelos 15 anos de existência e resistência junto ao povo negro e agraciou o público que acompanhava o Fórum com a letra da música 14 de maio, escrita por ele e por Jorge Portugal. “Eu sou o que sou, pois agora eu sei quem sou eu. Será que deu pra entender a mensagem?”, diz a canção.

{youtube}Bj5owoaE2rI{/youtube}

Conferência – Com o mesmo tema do evento, a conferência de abertura foi proferida pela professora emérita da UFSCar, Petronilha Beatriz Gonçalves e Siva. Admitida na Ordem Nacional do Mérito (2011), no Grau de Cavaleiro, em reconhecimento de sua contribuição à educação no Brasil, Petronilha foi conselheira do Conselho Nacional de Políticas de Igualdade Racial, da Fundação Cultural Palmares e da Câmara de Educação Superior do Conselho Nacional de Educação (CNE). Neste último, foi a primeira mulher negra a ter assento no Conselho e a relatora do parecer CNE/CP 03/2004, que estabelece as diretrizes curriculares nacionais para a educação das relações étnico-raciais e para o ensino de história e cultura africana e afro-brasileira.

Petronilha se disse honrada com o convite da UFRB e se mostrou animada pela possibilidade de colaborar para as discussões e os encaminhamentos sobre o tema do Fórum. Ela lembrou as origens do Dia Nacional da Consciência Negra nos anos 70 e o significado que persiste para o povo negro. “20 de novembro marca uma história que é própria; uma história de pessoas que foram trazidas para o Brasil, com o objetivo de desumanizá-las, de transformá-las em objeto”, disse, para em seguida completar: “pode-se aprisionar o corpo físico das pessoas, mas não o seu conhecimento, a sua sabedoria e a sua história. É isso que permite que, mesmo em situações adversas, elas se refaçam e se recriem”.

De acordo com a professora: “sem deixar de ser o que são, os africanos na diáspora foram se construindo em situações muito adversas, que persistem em nossa sociedade. E nós temos que valorizar isso, de tal modo que as pessoas nos distingam não apenas pelo aspecto físico, mas pela cultura e conhecimento aprendidos com os nossos antepassados”.

A cerimônia foi finalizada com a apresentação cultural do músico Mateus Aleluia Filho intitulada “Canto para Curar”.

Confira a programação completa do fórum e acompanhe as demais atividades.

Mais informações: ufrb.edu.br/forum.



UFRB dá início à programação do XVI Fórum 20 de Novembro; acompanhe online

10 de Novembro de 2020, 2:18, por UFRB - Universidade Federal do Recôncavo da Bahia - 0sem comentários ainda

Mesa de abertura do XIV Fórum 20 de Novembro - Pró-Igualdade Racial e Inclusão Social do Recôncavo

A Universidade Federal do Recôncavo da Bahia (UFRB) deu início na noite desta segunda-feira, dia 09, à programação do XIV Fórum 20 de Novembro - Pró-Igualdade Racial e Inclusão Social do Recôncavo. Nesta edição, que segue até o dia 27 de novembro, o debate é fomentado a partir do tema “Nossos passos vêm de longe... e vão além!”, que coaduna com as comemorações dos 15 anos da UFRB e da criação da Pró-Reitoria de Políticas Afirmativas e Assuntos Estudantis (PROPAAE). Toda a programação acontece no formato online e é transmitida pela TV UFRB.

O reitor Fábio Josué; o pró-reitor de Políticas Afirmativas e Assuntos Estudantis, Carlos Alberto Santos de Paulo, e a coordenadora de Políticas Afirmativas e presidente da comissão organizadora do XVI Fórum, professora Ionara Magalhães, compuseram a mesa de abertura do evento. Em sua saudação inicial, o reitor falou da satisfação em realizar mais uma edição do Fórum, mantendo a tradição da UFRB. “Esse evento nasce como uma ação estratégica da Universidade em torno das celebrações do Dia Nacional da Consciência Negra (20 de novembro) e, hoje, pelas características de multicampia da nossa instituição, já se estende em seus diferentes territórios, com uma programação que dura praticamente todo o mês de novembro”, destacou Fábio Josué.

O pró-reitor Carlos Alberto sugeriu que o momento do XVI Fórum enseja algumas reflexões, em especial para a UFRB, que tem no seu “DNA” a marca das ações afirmativas. “Estamos todos em um momento de contrição, reservados em nossos lares, mas ansiando por uma articulação pelo diálogo”, disse. “E quero aqui suplantar o conceito de ações afirmativas como sendo um arranjo jurídico para garantir o ingresso de grupos em vulnerabilidade social no âmbito das instituições públicas, porque ação afirmativa é afirmar uma vocação natural para a democracia, para a liberdade e para a compreensão de todas as perspectivas e universos que estruturam a diversidade humana”, completou, agradecendo a toda equipe envolvida no evento.

“Nossos passos vêm de longe... Vem do Congo, Nigéria, Benin, Cabo Verde... A luta antirracista é secular, bebemos de tantas fontes nessa história”, lembrou a professora Ionara. “Nossos passos edificaram políticas de cotas que em pouco tempo revolucionaram a história das universidades brasileiras, compuseram o Movimento Negro, construíram o Plano Nacional de Diretrizes Curriculares para Educação das Relações Étnico-raciais e ensino de História e Cultura Africana e Afro-brasileira, criaram a Secretaria Especial de Políticas de Promoção da Igualdade Racial, instituíram a Lei nº 10.639/2003, a Lei nº 11.645/2008 e a Lei nº 12.288/2010. Precisamos de negros e negras conhecedores de seus direitos. É direito de humanidade”, afirmou.

A cerimônia de abertura contou ainda com a saudação dos demais pró-reitores, coordenadores, gestores, diretores dos Centros de Ensino e representantes das categorias discente e técnico-administrativo da UFRB. Para finalizar, foi exibida uma mensagem do cantor, compositor e ativista dos direitos humanos e contra o racismo, Lazzo Matumbi. Ele parabenizou a UFRB pelos 15 anos de existência e resistência junto ao povo negro e agraciou o público que acompanhava o Fórum com a letra da música 14 de maio, escrita por ele e por Jorge Portugal. “Eu sou o que sou, pois agora eu sei quem sou eu. Será que deu pra entender a mensagem?”, diz a canção.

{youtube}Bj5owoaE2rI{/youtube}

Conferência – Com o mesmo tema do evento, a conferência de abertura foi proferida pela professora emérita da UFSCar, Petronilha Beatriz Gonçalves e Siva. Admitida na Ordem Nacional do Mérito (2011), no Grau de Cavaleiro, em reconhecimento de sua contribuição à educação no Brasil, Petronilha foi conselheira do Conselho Nacional de Políticas de Igualdade Racial, da Fundação Cultural Palmares e da Câmara de Educação Superior do Conselho Nacional de Educação (CNE). Neste último, foi a primeira mulher negra a ter assento no Conselho e a relatora do parecer CNE/CP 03/2004, que estabelece as diretrizes curriculares nacionais para a educação das relações étnico-raciais e para o ensino de história e cultura africana e afro-brasileira.

Petronilha se disse honrada com o convite da UFRB e se mostrou animada pela possibilidade de colaborar para as discussões e os encaminhamentos sobre o tema do Fórum. Ela lembrou as origens do Dia Nacional da Consciência Negra nos anos 70 e o significado que persiste para o povo negro. “20 de novembro marca uma história que é própria; uma história de pessoas que foram trazidas para o Brasil, com o objetivo de desumanizá-las, de transformá-las em objeto”, disse, para em seguida completar: “pode-se aprisionar o corpo físico das pessoas, mas não o seu conhecimento, a sua sabedoria e a sua história. É isso que permite que, mesmo em situações adversas, elas se refaçam e se recriem”.

De acordo com a professora: “sem deixar de ser o que são, os africanos na diáspora foram se construindo em situações muito adversas, que persistem em nossa sociedade. E nós temos que valorizar isso, de tal modo que as pessoas nos distingam não apenas pelo aspecto físico, mas pela cultura e conhecimento aprendidos com os nossos antepassados”.

A cerimônia foi finalizada com a apresentação cultural do músico Mateus Aleluia Filho intitulada “Canto para Curar”.

Confira a programação completa do fórum e acompanhe as demais atividades.

Mais informações: ufrb.edu.br/forum.



UFRB seleciona bolsistas de extensão para atuarem em programa de comunicação

6 de Novembro de 2020, 18:35, por UFRB - Universidade Federal do Recôncavo da Bahia - 0sem comentários ainda

A Universidade Federal do Recôncavo da Bahia (UFRB), por meio das suas Pró-Reitoria de Extensão (PROEXT) e Assessoria de Comunicação (ASCOM), seleciona bolsistas para atuarem no “Programa de Formação em Comunicação”. Podem se candidatar estudantes de graduação dos cursos de bacharelado em Artes Visuais, Cinema e Audiovisual, Comunicação Social – Jornalismo e Publicidade e Propaganda, qualificados na área de produção audiovisual.

As inscrições estão abertas até o dia 26 de novembro e deverão ser realizadas, exclusivamente, pelo formulário de inscrição online (é necessário ter conta no Google para o preenchimento). Os interessados devem estar cursando entre o segundo e o sexto semestre do curso, ter escore de desempenho acadêmico igual ou superior a 5,0; ter disponibilidade para cumprir a carga horária de 20 horas semanais, com viagens, quando necessário, e não receber outra bolsa paga por órgãos oficiais nem ter vínculo empregatício com outra instituição pública ou privada durante a vigência do programa.

A primeira etapa da seleção, de caráter eliminatório, constará da análise de histórico e currículo, e a segunda etapa, de caráter eliminatório e classificatório, constará de entrevista a ser realizada por uma Equipe Gestora composta por representantes da PROEXT, da ASCOM e dos Colegiados dos Cursos. As entrevistas acontecerão nos dias 03, 04, 07 e 08 de dezembro, via plataforma Google Meet. O resultado final da seleção será divulgado até o dia 18 de dezembro, no site da PROEXT.

Serão concedidas seis bolsas de extensão. Os estudantes selecionados terão direito a uma bolsa mensal no valor de R$ 400,00 para a realização das atividades vinculadas ao programa. O período da concessão da bolsa será de 12 meses, com previsão de início em 04 de janeiro de 2021 e término em 31 de dezembro de 2021, podendo ser renovada de acordo com a necessidade da equipe gestora, disponibilidade financeira e verificação da manutenção das condições de elegibilidade do bolsista.

Sobre o programa - O Programa de Formação em Comunicação da UFRB tem o objetivo de implantar/integrar projetos e ações de extensão universitária na área temática da comunicação, enquanto processo educativo, artístico, cultural e científico, que articula as atividades acadêmicas e viabiliza a relação transformadora entre a Universidade e os diversos setores da sociedade.

 Confira o Edital nº 09/2020 – Seleção Bolsistas de Comunicação.

Mais informações: ufrb.edu.br/proext/selecoes.



UFRB lança e-book "Atenção, Educação e Gestão: Produções da Rede PROFSAÚDE"

3 de Novembro de 2020, 22:23, por UFRB - Universidade Federal do Recôncavo da Bahia - 0sem comentários ainda

A Universidade Federal do Recôncavo da Bahia (UFRB) disponibiliza o livro digital "Atenção, Educação e Gestão: Produções da Rede PROFSAÚDE" (Porto Alegre: Rede Unida, 2020), resultado de trabalhos de conclusão de curso da primeira turma do Mestrado Profissional em Saúde da Família (PROFSAÚDE), desenvolvidos na instituição, no Campus Santo Antônio de Jesus.

O PROFSAÚDE é ofertado em rede nacional, buscando aproximar instituições acadêmicas, profissionais e gestores da saúde pública à produção de conhecimentos e inovações para a Atenção Primária à Saúde.

O livro digital, parceria do PROFSAÚDE, Revista Interface e Rede Unida, tem 320 páginas e registra trabalhos acadêmicos escritos por alunos do curso - médicos atuantes na Atenção Primária à Saúde (APS). Eles publicaram pesquisas empíricas ou intervenções.  

O conteúdo do livro fortalece as bases conceituais do PROFSAÚDE e projeta o alcance da proposta original ao vislumbrar a ampliação do escopo de futuras edições com a inclusão de contribuições de médicos, enfermeiros e odontólogos em um necessário diálogo interprofissional nas equipes da Estratégia Saúde da Família (ESF).

O e-book foi organizado pelas pesquisadoras da Fundação Oswaldo Cruz (FIOCRUZ) Carla Pacheco Teixeira, Maria Cristina Rodrigues Guilam, Maria de Fátima Antero Sousa Machado; Marta Quintanilha Gomes (UFCSPA) e Patty Fidelis de Almeida (UFF) e faz parte da Série “Interlocuções Práticas, Experiências e Pesquisa em Saúde”.

Segundo as organizadoras, "mais do que convicções, esperamos que este livro suscite debates em torno das possibilidades e também dos limites enfrentados pelas equipes de APS em suas práticas cotidianas, operadas no diversificado território nacional, apresentando experiências, subsídios e ferramentas que podem multiplicar as ações transformadoras no e para o SUS(Sistema Único de Saúde)".

Organizado em três eixos, o livro digital retrata a proposta pedagógica do PROFSAÚDE: Atenção, Gestão e Educação. O livro apresenta ainda dois artigos que o diferenciam: o manuscrito elaborado pelo Departamento de Gestão da Educação na Saúde/Secretaria de Gestão do Trabalho e Educação na Saúde/Ministério da Saúde (DEGES/ SGTES/MS), que traz iniciativas da Política de Educação Permanente para a formação dos profissionais da saúde com destaque para o PROFSAUDE, e outro manuscrito que contempla pesquisa descrevendo o perfil dos alunos do curso coordenada pela Fiocruz/Mato Grosso do Sul.

Proposta pedagógica

O PROFSAÚDE é oferecido por 22 instituições de Ensino e Pesquisa de todas as regiões do país, constituindo-se no mais extenso Programa de formação docente em Saúde da Família no país.

A proposta educacional do PROFSAÚDE articula teoria e prática, integra e contextualiza disciplinas e saberes, utiliza metodologias ativas de ensino-aprendizagem e valoriza o raciocínio e a experiência profissional dos mestrandos para responder às necessidades de saúde da população.

Acesse o livro "Atenção, Educação e Gestão: Produções da Rede PROFSAÚDE".



Categorias

Bahia, Comunicação, Cultura, Formação, Marco Legal, Pesquisa e tecnologia, Políticas públicas, Relações internacionais, Saúde popular, Software, cultura e conhecimentos livres

UFRB

Brazil