Ir para o conteúdo
Mostrar cesto Esconder cesto
Tela cheia Sugerir um artigo

Notícias

12 de Janeiro de 2009, 22:00 , por Desconhecido - | 1 pessoa seguindo este artigo.
Notícias publicadas no portal oficial da UFRB e clonadas nessa comunidade.

UFRB contrata consultor para material fóssil na área de influência da FIOL

30 de Agosto de 2019, 20:01, por UFRB - Universidade Federal do Recôncavo da Bahia - 0sem comentários ainda

A Universidade Federal do Recôncavo da Bahia (UFRB) em parceria com a VALEC Engenharia, Construções e Ferrovias S/A, está selecionado profissional autônomo, para prestar serviços de consultoria técnica especializada, com experiência na área de paleontologia, para atuação na prospecção e resgate de material paleontológico na área de influência da Ferrovia de Integração Oeste-Leste (FIOL).

A contratação será de um profissional com nível superior, graduado ou pós-graduado, para a realização de atividades de campo, bem como uma vaga de cadastro reserva, com experiência comprovada na área de paleontologia, visando à realização de trabalhos em campo para prospecção e resgate de material fóssil.

O profissional graduado será remunerado com R$2.000,00 (dois mil reais) brutos por atividade de campo, mediante entrega de relatório técnico; e se for profissional pós-graduado será renumerado com R$3.000,00 (três mil reais) brutos por atividade de campo, mediante entrega de relatório técnico. No valor bruto a ser pago, já estão embutidas todas as despesas para a execução do serviço, inclusive despesas com alimentação e hospedagem.

As inscrições acontecem do dia 02 a 06 de setembro, através do e-mail [email protected], anexando à documentação exigida no edital.

As atividades a serem desenvolvidas pelo consultor técnico especializado consistem em realizar trabalhos em campo para prospecção em novos sítios fossilíferos, bem como o possível resgate de material fóssil, na área de influência das obras da Ferrovia de Integração Oeste-Leste (FIOL), nos lotes 5F (sede em Guanambi), 6F (sede em Santa Maria da Vitória) e 7F (sede em São Desidério), de acordo com a demanda do andamento das obras; georreferenciar os trechos percorridos ao longo da área de influência das obras; apresentar relatório técnico dos resultados obtidos durante a atividade de campo.

A vigência do contrato para a realização das atividades de campo será de 03 meses, a partir da data de assinatura do contrato de prestação de serviços de pessoa física.

Os pagamentos do profissional têm como origem o Termo de Cooperação Técnica firmado entre a UFRB e a VALEC Engenharia, Construções e Ferrovias S/A e serão administrados via Fundação de Apoio à pesquisa e à Extensão (FAPEX), com fundamento no Contrato de Prestação de Serviços nº36/2013, firmado com a UFRB.

Seleção

A seleção constará de duas etapas classificatórias: a primeira etapa constará de avaliação dos currículos, análise dos históricos escolares, documentação e carta de intenção; e a segunda etapa constará de entrevista realizada pela coordenação do projeto “Prospecção e salvamento de fósseis e Educação Patrimonial na área de influência da Ferrovia de Integração Oeste-Leste (FIOL)”.

A entrevista acontecerá no próximo dia 12 de setembro, em horários e locais a serem divulgados no dia 10 de setembro, através do e-mail e do sítio eletrônico http://www.ufrb.edu.br e https://www.fapex.org.br, juntamente com o resultado da homologação das inscrições.

Edital nº 01/2019 - Contratação de consultor técnico especializado na área de paleontologia.



Aula Magna discute na UFRB “Desafios da universidade pública na atual conjuntura”

30 de Agosto de 2019, 17:26, por UFRB - Universidade Federal do Recôncavo da Bahia - 0sem comentários ainda

Pela primeira vez, no formato de mesa redonda, a aula magna de abertura do semestre letivo da Universidade Federal do Recôncavo da Bahia (UFRB), discutiu os “Desafios da Universidade Pública Federal na atual conjuntura”. A aula magna marca a abertura do semestre 2019.2 e foi transmitida ao vivo pela UFRB TV, mantida pela Assessoria de Comunicação da instituição.

Para as discussões ocorridas na manhã da última quinta-feira, dia 29, no auditório da Biblioteca, Campus Cruz das Almas, estiveram presentes os reitores João Carlos Salles Pires da Silva, da Universidade Federal da Bahia (UFBA) e atual presidente da Associação Nacional dos Dirigentes das Instituições Federais de Ensino Superior (Andifes); Joana Angélica Guimarães da Luz, da Universidade Federal do Sul da Bahia (UFSB); Fábio Josué Souza dos Santos, da UFRB; e a ex-vice-reitora da UFRB, Georgina Gonçalves dos Santos.

O cerimonial fez a composição da mesa de honra com a presença dessas autoridades educacionais; seguida de execução do Hino Nacional. O reitor, Fábio Josué, fez a leitura de resumo dos currículos de João Salles, Joana Angélica e Georgina Gonçalves. O evento contou com tradução em Língua Brasileira de Sinais (LIBRAS).

Com auditório lotado de professores, técnicos, gestores e alunos, as discussões se iniciaram sobre as dificuldades de manutenção das atividades de ensino, pesquisa e extensão das universidades públicas federais para fechar o semestre 2019.2 e os cenários possíveis para o futuro, com as discussões da Lei Orçamentária Anual (LOA), no âmbito do Governo Federal, que prevê continuidade de uma política oficial de arrocho orçamentário e corte de investimentos públicos em educação.

aulamagna20192

A primeira a expor suas impressões sobre o tema foi a professora Georgina Gonçalves. Para ela, o processo de formação da elite brasileira fez com que ao longo da história, a educação não fosse parte do processo formativo de uma nação soberana, ainda no século XVI. “O Brasil é o último lugar que se implanta universidades nas Américas” e isso diz muito sobre o processo de construção do ensino superior e do desenvolvimento nacional.

Segundo ela, a implantação da UFRB, há 14 anos; da UFSB, há 5 anos, e mesmo a da UFBA, que tem pouco mais de 70 anos de história, mudaram a paisagem do ensino superior no século XXI no Brasil e na Bahia. “Antes tínhamos apenas 6% dos jovens, de 18 a 24 anos, que freqüentaram o ensino superior e agora já são 17%, índice que melhorou, mas muito abaixo do que desejamos”.

Para Georgina, o sistema federal de ensino superior está ameaçado pelos constantes ataques financeiros, orçamentários e políticos de parte da elite governamental. Segundo Georgina, desde 2014, os recursos federais direcionados à UFRB sofreram contingenciamentos e cortes e essa situação se mostra “asfixiante” para a manutenção de ações de ensino, pesquisa e extensão.

A segunda expositora foi a professora e reitora da UFSB, Joanna Angélica, que concordou com a argumentação de sua antecessora, sobre o marco fundador das universidades públicas federais no Brasil como tardia em relação aos outros países das Américas e o seu papel como agente propulsor de desenvolvimento humanístico, econômico, social, político e cultural.

A mais antiga universidade pública federal brasileira é a UFRJ (Universidade Federal do Rio de Janeiro) que tem 99 anos enquanto a Universidade Nacional Maior de São Marcos, em Lima, Peru, data de 12 de maio de 1551 – e nunca parou de funcionar. “A universidade brasileira chega como espaço das elites, privilegiando poucos e isso tem se mantido como espaço de dominação”, descreve Joana Angélica sobre o modelo do ensino superior antes da expansão significativa ocorrida no século XXI.

“A classe dominante (e dentro dela, a classe média) ainda hoje não aceita a vigência das cotas sociais, as culturas e as políticas de inclusão”, afirma a reitora da UFSB, para quem a política de expansão incluiu “pessoas advindas de ensino médio público e segmentos minoritários da sociedade”.

Joana Angélica chamou atenção que, se preenchessem todas as vagas das universidades públicas e privadas brasileiras, apenas 17% das pessoas em idade escolar aptas estariam contempladas com o ensino superior.

Segundo Joana Angélica, a política de expansão do ensino superior deve continuar como política de Estado e de desenvolvimento nacional. Entretanto, ela pondera que o momento atual é de retrocessos no processo de manutenção e consolidação do ensino superior nas universidades públicas federais. 

Joana Angélica disse, como exemplo, que na UFSB, as construções de três prédios da instituição, foram paralisadas causando a demissão de 270 trabalhadores de empresas terceirizadas que estavam nos canteiros de obras, como reflexo do contingenciamento de verbas federais.

O reitor da UFBA e presidente da Andifes, João Salles, criticou a minuta do programa “Future-se” que estimula pesquisadores a se destacarem, individualmente, como servidores públicos para que enriqueçam financeiramente a partir de publicações em revistas de renome estrangeiras e não servir ao bem comum, propósito maior da missão do serviço pública. “A dimensão mais elevada da instituição se quebra e coloca cada um por si”.

Para ele, a consulta pública sobre a minuta do programa Future-se está equivocada ao abordar o futuro das universidades, em questionário online, até aqui com a participação de pouco mais de 50 mil internautas, considerando nossas comunidades universitárias como “ineptas”. “O modelo deveria ser o de debates, de enfrentamento das questões e dar voz aos interessados dentro das universidades”, afirma João Salles.

João Salles enfatiza que “o nosso tempo e método não podem ser dessas consultas públicas on-line; é de resistência; é um método demorado, de construção de conceitos e defesa da universidade que supere duas questões, de representatividade e da representação, que seja guardado a universidade como espaço de democracia e de formação, de colaboração, de produção de conhecimento, de formação, de ampliação de direitos, de verdadeira acolhida. Sabemos quem somos”.

João Salles disse que as universidades precisam ser defendidas como valor universal e como tal devem se distribuídas em todos os cantos do Brasil. Como valor universal, “não é esse governo que quer fatiá-la agora; o ataque é anterior”.

João Salles citou um editorial da grande imprensa, em 2018, que defendia acabar com o paradigma da indissociabilidade entre ensino, pesquisa e extensão para as universidades do Norte e do Nordeste e deixando a universidade como ela é apenas para o Sul e Sudeste, em centros de excelência. “Para o Norte e Nordeste, querem apenas ensino superior e formação tecnológica”.

João Salles disse que o momento atual das universidades é de cerco orçamentário, onde não se garantem recursos nem ao menos para pagar contratos de água, luz, internet, serviços de vigilância, transporte, limpeza e manutenção, até o mês de setembro.

Ao final das exposições dos palestrantes, a comunidade acadêmica fez uma série de perguntas aos reitores João Salles, Joana Angélica e Fábio Josué e a ex-vice-reitora Georgina Gonçalves.

Presenças – Estiveram presentes a aula magna o vice-reitor da UFRB, José Mascarenhas Bisneto; os pró-reitores Rosilda Santana dos Santos (Administração); Tatiana Veloso (Extensão); Wagner Tavares (Gestão de Pessoal); Rosineide Pereira Mubarack Garcia (Graduação); e Ana Cristina Loyola Dantas (Pesquisa, Pós-Graduação e Inovação Tecnológica).

Também estiveram presentes os diretores do CETENS, Jacson Machado Nunes (Feira de Santana); do CFP, Creuza Souza Silva (Amargosa); do CCAAB, Elvis Lima Vieira e o vice-diretor, Josival Santos Souza (Cruz das Almas); do CETEC, José Valentim dos Santos Filho (Cruz das Almas); do CCS, Flávia Conceição dos Santos Henrique (Santo Antônio de Jesus) e diretor e o vice-diretor do CAHL, respectivamente, Jorge Cardoso Filho e Gabriel da Costa Ávila (Cachoeira/São Félix); e a vice-diretora do CECULT, Viviane Ramos de Freitas (Santo Amaro).

Álbum de fotos:

{gallery}noticias2019/aulamagna20192{/gallery}



Empresa Júnior EMec Jr. divulga processo seletivo para vagas de trainee

30 de Agosto de 2019, 12:54, por UFRB - Universidade Federal do Recôncavo da Bahia - 0sem comentários ainda

A Empresa Júnior de Engenharia Mecânica (EMec Jr.), criada no âmbito da Universidade Federal do Recôncavo da Bahia (UFRB), abre  processo seletivo destinado a selecionar novos trainees para o semestre 2019.2, entre os alunos do curso Engenharia Mecânica e Bacharelado em Ciências Exatas e Tecnológicas da instituição.

A função do trainee, assim como do membro efetivo é voluntária, não havendo remuneração pelo exercício da atividade. O objetivo é capacitar os alunos para o exercício profissional.

As inscrições, gratuitas, para a seleção permanecem abertas até a próxima terça-feira, dia 03 de setembro, mediante preenchimento de formulário próprio ou presencialmente no Pavilhão de Aulas I, do Campus Cruz das Almas, e podendo ser realizadas também pelo Instagram e Facebook, basta clicar no link que aparece na bio. O resultado final coma lista de aprovados será conhecido dia 12 de setembro.

Os candidatos devem estar regularmente matriculado no curso de graduação em Engenharia Mecânica ou Bacharelado em Ciências Exatas e Tecnológicas da UFRB; ter disponibilidade de no mínimo 8 horas semanais para dedicar à EMec Jr., (sendo estas distribuídas na execução de projetos, treinamentos, reuniões, atividades da empresa, entre outros); e ter disponibilidade para reuniões semanais e extraordinárias a serem combinadas.

Edital nº 04/2019.

O formulário de inscrições encontra-se disponível aqui.

Mais informações em: [email protected].

 



UFRB inaugura primeira etapa do Complexo Poliesportivo em Amargosa

28 de Agosto de 2019, 20:10, por UFRB - Universidade Federal do Recôncavo da Bahia - 0sem comentários ainda

Desenlace da fita inaugural do Complexo Poliesportivo.Autoridades participam do desenlace da fita inaugural do Complexo Poliesportivo.

A Universidade Federal do Recôncavo da Bahia (UFRB) realizou na noite desta terça-feira, dia 27, a cerimônia de inauguração da primeira etapa do Complexo Poliesportivo do Centro de Formação de Professores (CFP), no campus de Amargosa. O Complexo marca uma nova fase para o curso de licenciatura em Educação Física, que passa a contar uma estrutura com mais de 4.800 metros quadrados de área construída, que inclui duas quadras poliesportivas com piso emborrachado, uma piscina semi-olímpica aquecida e coberta, dois vestiários com acessibilidade, área para estacionamento, além de um campo de futebol society, com grama natural.

O reitor Fábio Josué abriu o evento de inauguração destacando a satisfação em entregar o novo equipamento. “Nós entregamos hoje a primeira etapa do Complexo, que foi muito aguardada pela comunidade do CFP e de Amargosa. Penso que esse espaço possibilita a qualificação do processo formativo dos nossos discentes e pode se constituir também num espaço importante para a população do município, que irá se beneficiar com as atividades e práticas aqui desenvolvidas”, disse. “Temos ainda um desafio grande para finalizar a segunda etapa. Depois de concluído, este será o maior equipamento dos cursos de Educação Física do norte e nordeste do país”, ressaltou.

O vice-reitor José Mascarenhas falou sobre o desafio de entregar a obra diante das atuais restrições orçamentárias que têm afetado as universidades públicas. “Concluir esta etapa significou uma opção da UFRB, diálogos com os Centros de Ensino e diálogo com o Governo Federal, buscando enfrentar dificuldades e definir prioridades. Precisamos agora avançar na construção de parcerias e colaborações para dar conta da segunda etapa”, afirmou o gestor, que agradeceu todos os envolvidos na obra, dentre eles, a empresa Emprotec Engenharia, responsável pelo projeto, a construtora Eiffel, responsável pela execução, e a Coordenadoria de Infraestrutura e Meio Ambiente da UFRB, responsável pelo acompanhamento e fiscalização.

O prefeito de Amargosa, Júlio Pinheiro, reafirmou o seu compromisso de parceria com a UFRB e se colocou à disposição para articular novos investimentos públicos para as pautas conjuntas. “Compartilhamos da alegria de hoje com a Universidade, pois, sem dúvida, esse empreendimento vai beneficiar o processo de formação dos professores de Educação Física, e isso, consequentemente, vai refletir na rede municipal de educação e na construção de um novo paradigma para a prática do esporte”, afirmou.

Quadra poliesportiva.Comunidade inaugura quadra poliesportiva com atividades de vôlei e handebol.

Após as falas, foi realizado o ato simbólico de desenlace da fita inaugural do Complexo Poliesportivo. Além das autoridades citadas, participaram deste momento a diretora em exercício do CFP, Creuza Silva; o coordenador do curso de licenciatura em Educação Física, Leopoldo Hirama; a secretária de Educação, Márcia Batista; o presidente da Associação dos Professores Universitários do Recôncavo (APUR), David Romão; o representante discente, Carlos Danilo Alves, e o representante dos servidores técnico-administrativos, Erivaldo Santana.

Já na área interna, os convidados puderam conhecer a estrutura e participar de diversas atividades. A comunidade acadêmica do CFP realizou demonstrações públicas das práticas esportivas e, em especial, a turma de Ginástica Artística fez uma apresentação em que homenageou as modalidades olímpicas e defendeu a universidade pública, gratuita e de qualidade.

Nova etapa – A segunda etapa do Complexo Poliesportivo do CFP está com 70% das obras concluídas. Estão previstas nesta fase três salas de aula, sendo uma para capoeira e artes marciais, uma para vivências corporais e uma para dança, ginástica e academia; uma quadra poliesportiva, com dimensões oficiais; dois vestiários, um masculino e um feminino, além de elevador, depósito e lanchonete. O investimento total estimado para a obra (primeira e segunda etapas) é da ordem de 7 milhões de reais.

{youtube}n3vq4F79mLs{/youtube}

Confira as fotos da inauguração:

{gallery}noticias2019/inauguracao-complexo{/gallery}



UFRB seleciona profissionais de níveis superior e médio para projeto com mulheres

28 de Agosto de 2019, 20:07, por UFRB - Universidade Federal do Recôncavo da Bahia - 0sem comentários ainda

A Pró-Reitoria de Extensão (PROEXT), da Universidade Federal do Recôncavo da Bahia (UFRB) divulga edital de seleção de profissionais de nível superior com mestrado ou doutorado, nível superior e nível médio para atuação, em ações de extensão do projeto “Mulheres de Fibra: formação em agroecologia para mulheres rurais do estado da Bahia”.

O Projeto “Mulheres de Fibra” tem como objetivo promover ações de formação de mulheres em agroecologia, com o fortalecimento de grupos produtivos de mulheres rurais da agricultura familiar, visando à autonomia, à segurança alimentar e nutricional e à conservação da biodiversidade, com o envolvimento dos agentes de assistência técnica e extensão rural – ATER, através de ações de capacitação nos Territórios do Recôncavo da Bahia, Portal do Sertão, Vale do Jiquiriçá e Litoral Norte/ Agreste Baiano.

As inscrições dos interessados devem ser realizadas até o dia 02 de setembro. O candidato deverá acessar o site www.ufrb.edu.br/proext, preencher o formulário disponível para inscrição e encaminhá-lo junto dos documentos necessários (conforme edital), no formato PDF, para o endereço de email [email protected].

Serão selecionados até quatro profissionais de nível superior com mestrado ou doutorado; até quatro profissionais de nível superior e até oito profissionais de nível médio para atuação nas atividades de extensão no Projeto “Mulheres de Fibra”, durante o período de 03 meses, a partir da data de assinatura do contrato de prestação de serviços de pessoa física.

O valor bruto por hora-técnica para profissionais com nível superior com mestrado ou doutorado é de R$ 100,00 (cem reais); para profissional de nível superior, o valor é de R$ 60,00 (sessenta reais); e para nível médio é de R$ 40,00 (quarenta reais).

Não podem participar da seleção, profissionais que já possuam ou que tenham possuído vínculo remunerado, a qualquer título, nos últimos 07 (sete) meses, com a Fundação de Apoio à Pesquisa e à Extensão (FAPEX), financiadora do projeto.

Edital nº 08/2019.



Categorias

Bahia, Comunicação, Cultura, Formação, Marco Legal, Pesquisa e tecnologia, Políticas públicas, Relações internacionais, Saúde popular, Software, cultura e conhecimentos livres