Ir para o conteúdo
Mostrar cesto Esconder cesto
Tela cheia Sugerir um artigo

Notícias

12 de Janeiro de 2009, 22:00 , por Desconhecido - | 1 pessoa seguindo este artigo.
Notícias publicadas no portal oficial da UFRB e clonadas nessa comunidade.

Observatório divulga resultados da pesquisa "Impactos da COVID-19 na Economia Criativa"

28 de Setembro de 2020, 16:49, por UFRB - Universidade Federal do Recôncavo da Bahia - 0sem comentários ainda

No contexto da pandemia do novo coronavírus, o Observatório da Economia Criativa da Bahia (OBEC-BA) divulgou na última semana o resultado final da pesquisa "Impactos da COVID-19 na Economia Criativa". 

O estudo teve o objetivo de dimensionar os efeitos da pandemia para profissionais e organizações da economia criativa no Brasil, gerando assim subsídios para as políticas públicas de enfrentamento da pandemia. "A economia criativa sempre sofreu com a lacuna de dados que permitam análises mais coerentes sobre a realidade do setor. Neste momento, mais do que nunca, precisamos de informação para que as medidas propostas sejam mais efetivas para mitigar as consequências da crise", ressalta a coordenadora da pesquisa, Daniele Canedo, que é docente do Centro de Cultura, Linguagens e Tecnologias Aplicadas (CECULT) e Coordenadora de Cultura e Universidade da Pró-Reitoria de Extensão (PROEXT) na Universidade Federal do Recôncavo da Bahia (UFRB).

A equipe que participou do trabalho é composta por alunos e professores da UFRB, Universidade Federal da Bahia (UFBA), Universidade do Estado da Bahia (UNEB), Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS), Escola Superior de Propaganda e Marketing (ESPM- Rio), Instituto Federal do Rio de Janeiro (IFRJ) e Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro (UFRRJ). O estudo contou com a participação de 2,6 mil respondentes de diversos estados do país, identificando impactos e percepções dos indivíduos e organizações sobre a Pandemia com o objetivo de contribuir para um debate público dos setores de economia criativa. 

Os resultados divulgados apontam que a maioria dos profissionais da cultura não tem vínculo empregatício formal, recebia até três salários mínimos e tinha uma carga horária alta (31,5% mais de 45h semanais). O Relatório Final apresenta uma sistematização dos principais resultados da pesquisa.

Mais informações: ufrb.edu.br/economiacriativa-covid19



Aula Magna da UFRB debate realidade do ensino remoto com pandemia

28 de Setembro de 2020, 16:38, por UFRB - Universidade Federal do Recôncavo da Bahia - 0sem comentários ainda

{youtube}wmNmiNe0o2w{/youtube}

A palestra "Universidade Pública, Pandemia e Ensino Remoto" ministrada pela professora Ariane Norma de Menezes Sá marcou a aula magna de abertura do calendário suplementar da Universidade Federal do Recôncavo da Bahia (UFRB), correspondente ao semestre 2020.3.

Menezes de Sá é pró-reitora de Graduação da Universidade Federal da Paraíba (UFPB), segunda universidade pública federal a implantar o ensino remoto - a primeira foi a UFLA (Universidade Federal de Lavras), em Minas Gerais.

A aula magna aconteceu na tarde do último dia 24, de forma online. Menezes Sá fez um balanço do impacto do novo coronavírus nas atividades do ensino superior federal, desde março passado, quando a sociedade brasileira inicialmente achava que as consequências do novo coronavírus eram circunstanciais, demoraria entre um mês ou dois.

Ela disse que após a Andifes (Associação Nacional dos Dirigentes das Instituições Federais de Ensino Superior) acompanhar o processo desencadeado pelo coronavírus no mundo entendeu que penduraria por meses, “daí veio a necessidade de se discutir o que fazer”.

Para Menezes Sá, os efeitos negativos da COVID-19, pegaram a todos de surpresa, de forma imprevista, com o isolamento social como medida necessária e mais importante para evitar a disseminação e o aumento do número de mortes.

Segundo ela, houve a necessidade de discutir as alternativas e ressignificação do trabalho docente. “Até porque no momento em que se estabelece como referência deixar de fazer o trabalho no local em que o professor é treinado para dar aulas, com salas de atividades presenciais, teve um momento de impacto muito grande, que gerou as dificuldades que vivemos no dia-a-dia”.

Menezes Sá explicou que a literatura que existia até então sobre sala de aula era pautada para a modalidade de ensino a distância (EaD) ou para o ensino presencial. Do ponto de vista conceitual, a partir deste ano, Menezes Sá disse que existia uma literatura sobre o ensino remoto aplicada em países em guerra civil ou em situações de emergencial, como terremotos, que serviram de modelo para a implantação do ensino remoto na UFPB. A UFPB está no segundo calendário suplementar.

Segundo ela, havia ainda a necessidade de capacitação dos professores para aderirem ao modelo de ensino remoto e dar segurança jurídica de que seriam compatíveis com sua carga horária.

Participação

A abertura da aula magna foi feita pelo reitor, Fábio Josué dos Santos, que relatou o processo de discussão, adesão e formação dos professores para a execução de aulas remotas na instituição. Fábio Josué ressaltou que pelos dados estatísticos que a UFRB dispõe foi “forte adesão de nossos docentes e estudantes às aulas remotas”.

Em fala posterior, o vice-reitor, José Mascarenhas, disse esperar que se aproveite esse momento para amadurecer “as nossas decisões e enfrentarmos esses desafios do curto, médio e longo prazo”, surgidos com a pandemia do coronavírus.

A pró-reitora de Graduação da UFRB, Karina Cordeiro, agradeceu aos gestores da UFRB que se envolveram nas atividades de implementação do semestre suplementar. Karina destacou que dos docentes ativos, a adesão as atividades de ensino, corresponde a 70% do quadro docente, número maior do que apontado na consulta inicial feita pela PROGRAD em junho.

Na outra ponta, 62% dos estudantes de graduação da UFRB aderiram as aulas remotas, em números correspondem a 6.882 estudantes que conseguiram matrícula nos componentes curriculares ofertados.



UFRB oferece suporte virtual para uso de ferramentas do ensino não presencial

22 de Setembro de 2020, 12:57, por UFRB - Universidade Federal do Recôncavo da Bahia - 0sem comentários ainda

A Universidade Federal do Recôncavo da Bahia (UFRB), por meio de sua Pró-Reitoria de Graduação (PROGRAD), disponibilizou formulários para Solicitação de Suporte Virtual, voltados a docentes e discentes que apresentem dificuldades na utilização de plataformas, programas e/ou recursos digitais empregados na operacionalização do ensino não presencial.

O docente ou discente poderá solicitar Suporte Virtual no site da Pró-Reitoria de Graduação ou do Núcleo de Gestão de Programas e Projetos. Basta clicar no nome do Centro de Ensino ao qual é vinculado e preencher o formulário de solicitação. Os atendimentos serão prestados por bolsistas previamente selecionados pela PROGRAD por meio do Edital nº 015/2020 - Programa Bolsista para Suporte Virtual. Para cada curso de graduação presencial da UFRB foi selecionado um bolsista para prestar assessoria técnica não presencial na utilização de recursos digitais.

“Com o desenvolvimento e a participação em aulas remotas surge um desafio novo para docentes e discentes. Nesse contexto, a PROGRAD selecionou discentes com habilidades digitais que irão auxiliar aqueles que necessitarem de algum suporte para o uso das ferramentas do ensino não presencial. Os bolsistas para suporte virtual atuarão por 12 horas semanais, em momentos distintos de suas atividades acadêmicas”, explica a pró-reitora de Graduação, Karina Cordeiro.

As solicitações para Suporte Virtual deverão ser feitas com no mínimo dois dias úteis de antecedência para sua realização e o seu atendimento estará condicionado à ordem de chegada. Ao receber uma solicitação de ajuda, o bolsista irá entrar em contato com o solicitante para auxiliá-lo a realizar determinada atividade, mas não irá realizá-la em seu lugar. O objetivo é que os docentes e discentes desenvolvam essas habilidades.

Mais informações: ufrb.edu.br/prograd.



UFRB seleciona professores formadores de especialização EaD

21 de Setembro de 2020, 19:06, por UFRB - Universidade Federal do Recôncavo da Bahia - 0sem comentários ainda

A Superintendência de Educação Aberta e a Distância (SEAD) da Universidade Federal do Recôncavo da Bahia (UFRB) abre inscrições para vagas remanescentes da seleção de professores formadores e professores orientadores para a Especialização em Ensino de Ciências - Anos Finais do Ensino Fundamental "CIÊNCIA É DEZ!".

São oferecidas 10 vagas para professor orientador e 01 vaga para professor formador, mais cadastro de reserva. As inscrições online ocorrem até o próximo dia 24 de setembro.

As inscrições para professor formador e professor orientador se destinam a professores de instituições de ensino superior do estado da Bahia com formação acadêmica de nível superior de Licenciatura em Biologia, Física, Química ou Ciências Naturais, com Mestrado ou Doutorado em Ensino de Biologia, Ensino de Química, Ensino de Física, Ensino de Ciências e/ou áreas afins ou em Educação.

A bolsa para professor formador ou orientador I é no valor de R$1.300,00 (mil e cem trezentos) e para professor formador ou orientador II é no valor de R$1.100,00 (mil e cem reais).

As atividades dos professores formadores e professores orientadores estão previstas para iniciarem em 05 de outubro de 2020.

Confira:

Edital SEAD-CFP Nº 14/2020 - Professor Formador e Professor Orientador - Vagas Remanescentes.

Inscrição online para Professor Formador e Professor Orientador.

Dúvidas no email: [email protected].

Mais informações em ufrb.edu.br/ead.



"Universidade Pública, Pandemia e Ensino Remoto" é tema de aula magna na UFRB

21 de Setembro de 2020, 13:40, por UFRB - Universidade Federal do Recôncavo da Bahia - 0sem comentários ainda

Com o início da oferta excepcional de componentes curriculares e de atividades de ensino e de aprendizagem não presenciais, a Universidade Federal do Recôncavo da Bahia (UFRB) fará sua aula magna do Calendário Acadêmico Suplementar (Semestre 2020.3) com foco nas discussões sobre “Universidade Pública, Pandemia e Ensino Remoto”. A palestra será ministrada pela professora Ariane Norma de Menezes Sá, pró-reitora de Graduação da Universidade Federal da Paraíba (UFPB).

“A UFPB foi uma das primeiras universidades a implementar o ensino remoto nesse contexto de pandemia. A instituição já está no segundo semestre com a oferta de componentes curriculares não presenciais”, destaca o reitor da UFRB, Fábio Josué. Na sua avaliação, a professora Ariane tem se destacado no Fórum de Pró-Reitores de Graduação (FORGRAD) pelo conhecimento sobre as principais implicações na utilização das ferramentas de ensino remoto e a ideia do convite foi refletir sobre o tema a partir da experiência acumulada.

Graduada em Licenciatura Plena em História pela Universidade Federal da Paraíba (1986), mestre em História Social pela Universidade de São Paulo (1994) e doutora em História Social pela Universidade de São Paulo (2001), Ariane Sá é professora titular do Departamento de História da Universidade Federal da Paraíba, onde exerce, atualmente, o cargo de Pró-Reitora de Graduação. Professora de História do Brasil, concentra suas pesquisas em História do Brasil, da Região Nordeste, da Paraíba Imperial e em temas sobre educação.

A aula magna da UFRB será na próxima quinta-feira, dia 24, às 14h e terá transmissão ao vivo, aberta ao público, pela TV UFRB em seu canal no YouTube.

Acompanhe em: youtube.com/ufrb.



Categorias

Bahia, Comunicação, Cultura, Formação, Marco Legal, Pesquisa e tecnologia, Políticas públicas, Relações internacionais, Saúde popular, Software, cultura e conhecimentos livres