Ir para o conteúdo
Mostrar cesto Esconder cesto
Tela cheia Sugerir um artigo

Notícias

12 de Janeiro de 2009, 22:00 , por Desconhecido - | Ninguém está seguindo este artigo ainda.
Notícias publicadas no portal oficial da UFRB e clonadas nessa comunidade.

Projeto de extensão da UFRB é premiado no evento Bahia Rural Contemporânea

6 de Dezembro de 2017, 15:21, por UFRB - Universidade Federal do Recôncavo da Bahia - 0sem comentários ainda

Na última quinta feira, 30, o trabalho "Formação de Grupos de Jovens para o Monitoramento Ambiental dos Territórios Quilombolas do Vale do Iguape", apresentado pelo professor Marcelo Araújo da Universidade Federal do Recôncavo da Bahia (UFRB), junto com os jovens Vinicios da comunidade quilombola do Kaonge e Tiago da comunidade quilombola de Engenho da Ponte, no no I Simpósio de Pesquisas e Experiências em Agricultura Familiar e Desenvolvimento Rural, que integra a programação do Bahia Rural Contemporânea – VIII Feira Baiana da Agricultura Familiar e Economia Solidária (FEBAFES), foi premiado no Eixo II, Gestão e Práticas Inovadoras.

A formação em geotecnologias para jovens é uma das atividades do Projeto Terra de Direitos, realizado pela Cooperação para o Desenvolvimento dos Países Emergentes (COSPE) em parceria com o Centro de Educação e Cultura Vale do Iguape (CECVI), as Universidade Federais da Bahia e do Recôncavo, com o apoio da União Europeia, que reúne 17 comunidades quilombolas localizadas na Bacia e Vale do Iguape. Professor Marcelo Araújo explica que “ na garantia de uso dos seus territórios, as comunidades quilombolas sofrem as tensões originadas por empreendimentos públicos e privados que geram conflitos ambientais. O conhecimento pouco aprofundado da geografia do território e os conflitos existentes fragilizam a representação política e a cobrança por melhorias”. A partir desse contexto, uma das metas do Projeto é a formação de 03 grupos de jovens no uso das geotecnologias para elaboração da cartografia dos seus territórios, incidindo no fortalecimento e garantia dos direitos civis das comunidades quilombolas da Bacia e Vale do Iguape.

O Simpósio nessa sua primeira edição apresentou 126 dos 150 trabalhos submetidos à avaliação da comissão do evento, sendo 54 apresentações orais e 72 por meio de pôsteres. A expectativa é que a iniciativa tenha mais edições, contribuindo para o fortalecimento e difusão das temáticas ligadas à terra. Segundo informações da Secretaria de Desenvolvimento Rural, enviaram trabalhos as universidades Federal da Bahia (UFBA), Estadual do Sudoeste Baiano (UESB), Estadual de Feira de Santana (UEFS), Federal do Recôncavo da Bahia (UFRB), do Estado da Bahia (UNEB), Federal do Vale do São Francisco (Univasf), do Oeste da Bahia (UFOB), Estadual de Santa Cruz (UESC), os institutos Federais da Bahia (IFBA) e Baiano (IFbaiano), Centros Territoriais de Educação Profissional (CETEPs), Centros Estaduais de Educação Profissional (CEEPs), EFAs, União das Cooperativas da Agricultura Familiar e Economia Solidária (Unicafes), Federação dos Trabalhadores na Agricultura Familiar (Fetraf), Cooperativa de Assessoria Técnica e Educacional para o Desenvolvimento da Agricultura Familiar (Cootraf), e Associações de Mulheres.

Com informações da Cooperação para o Desenvolvimento dos Países Emergentes (COSPE).



UFRB encerra Fórum 20 de Novembro com evento no campus de Cruz das Almas

30 de Novembro de 2017, 16:24, por UFRB - Universidade Federal do Recôncavo da Bahia - 0sem comentários ainda

A Universidade Federal do Recôncavo da Bahia (UFRB) deu início nesta quinta-feira, 30, às atividades da programação local do XI Fórum 20 de Novembro Pró-Igualdade Racial e Inclusão Social do Recôncavo no campus de Cruz das Almas. O evento encerra a programação geral do Fórum 2017, realizado entre 06 de novembro e 1º de dezembro, com atividades em todos os campi da UFRB.

Com uma apresentação do poema “Salve as Folhas”, de Mário de Andrade, musicado por Maria Bethânia, o estudante de Agronomia da UFRB, Roberto Neto, e o ex-estagiário da UFRB e hoje licenciado em Pedagogia pela Faculdade Maria Milza (FAMAM), Jean Costa, saudaram os presentes e desejaram bom evento a todos. “Cosi euê. Cosi orixá. Euê ô. Euê ô orixá”, entoaram em yourubá.

Em seguida, compuseram a mesa de abertura o reitor da UFRB, Silvio Soglia; a pró-reitora de Políticas Afirmativas e Assuntos Estudantis (PROPAAE), Maria Goretti da Fonseca; a pró-reitoria de Pesquisa, Pós-Graduação, Criação e Inovação (PPGCI), Rosineide Mubarack; o diretor do Centro de Ciências Agrárias, Ambientais e Biológicas (CCAAB), Elvis Vieira, e o diretor do Centro de Ciências Exatas e Tecnológicas (CETEC), José Valentim Filho.

O diretor Elvis Vieira agradeceu em nome do CCAAB a toda a comissão organizadora do evento e ressaltou que o Fórum, com seus 11 anos de atividades, reafirma os valores morais e éticos de nossa sociedade. “Mais uma vez a UFRB faz muito mais do que formar cidadãos. Estamos aqui para fazer um futuro consciente, de reconhecimento e respeito à diversidade social, de raça e de gênero”, disse Vieira.

O diretor do CETEC destacou que o Fórum 20 de novembro já está consolidado como um dos eventos mais importantes da UFRB. “Ele tem variado o seu formato ao longo dos anos, mas a sua essência permanece muito forte. Esse evento traz e fortalece a discussão sobre as questões etnicorraciais no País, uma vez que o debate atual parece estar dominado pela intolerância e por um obscurantismo crescente”, afirmou José Valentim.

Políticas Afirmativas

A pró-reitora da PROPAAE, Maria Goretti, saudou os convidados e parabenizou sua equipe pela organização do evento. “Esse é o momento de pensarmos em políticas afirmativas para apoiar a permanência de nossos estudantes”, disse. “É o momento de refletir, discutir, fomentar e reafirmar a nossa posição enquanto UFRB, enquanto universidade negra e que precisa, portanto, ter uma política afrocentrada, uma política voltada para os negros”, acrescentou.

“As políticas afirmativas, em todas as suas dimensões, são políticas fundantes dessa Universidade. Fomos os primeiros a criar uma pró-reitoria nessa área e não podia ser diferente, porque nós construímos uma Universidade com feições populares. Somos frutos de uma luta popular, que, no Recôncavo, é uma luta do povo negro”, disse o reitor Silvio Soglia em seu discurso. Ele definiu o fórum como “um espaço de celebração de nossas raízes e ancestralidades”. 

Cotas na Pós-Graduação

Para a pró-reitora da PPGCI, Rosineide Mubarack, “o Fórum representa a própria história da nossa Universidade. Essa causa é de cada um de nós”. Em sua fala, ela destacou ainda que chegou o momento de se pensar as cotas na pós-graduação e superar os enfrentamentos com o debate sobre as políticas afirmativas e de acesso, permanência e pós-permanência. “É uma questão histórica para a UFRB fazer avançar as políticas e proporcionar as condições pelas quais nossos alunos possam adentrar e consolidar nossa pós-graduação”, disse Rosineide.

O reitor informou que a resolução que trata sobre a implantação das cotas na pós-graduação da UFRB está pronta e será submetida à apreciação do Conselho Universitário. “O documento foi construído por um grupo de trabalho instituído pela Reitoria, com a participação de professores especialistas na área e coordenadores de curso de pós-graduação”, informou Soglia. “Isso representa, sem dúvida, um novo marco, uma nova conquista, nessa caminhada pelo fortalecimento das políticas afirmativas em nossa instituição”, defendeu.

Confira a programação completa do evento em Cruz das Almas.

Veja fotos da abertura:

{gallery}noticias2017/forum_cruz{/gallery}



Especialização em Tecnologias e Educação Aberta e Digital com dupla certificação oferta vagas

29 de Novembro de 2017, 12:31, por UFRB - Universidade Federal do Recôncavo da Bahia - 0sem comentários ainda

A Universidade Federal do Recôncavo da Bahia (UFRB) por meio da Superintendência de Educação Aberta e a Distância (SEAD) da e o Centro de Ciências Exatas e Tecnológicas (CETEC) informam que estão abertas as inscrições para curso de Especialização em  Tecnologias e Educação Aberta e Digital na modalidade de Educação a Distância (EaD). Interessados têm até 10 de janeiro para se candidatar.

O curso será realizado na modalidade à distância por meio da internet, com encontros presenciais mensais para discussões, orientações e avaliações nos polos UAB no qual o estudante se vincular. Estão previstos 3 (três) encontros presenciais, sendo 2 (dois) para a realização de provas presenciais, realizadas ao término de cada um dos períodos que compõem a matriz curricular do curso e o terceiro encontro para a apresentação do Trabalho de Conclusão do Curso (TCC).

Os polos e a divisão das 200 vagas disponíveis são:

- Ipirá, 50 vagas;
- Rio Real, 50 vagas;
- Sapeaçu, 50 vagas;
- Simões Filho, 50 vagas;

O curso tem carga horária de 459h, com duração de 18 meses. O público alvo são professores da rede pública de ensino e à todos os profissionais que necessitem adquirir, aprofundar ou reconverter competências e conhecimentos para a concepção, desenvolvimento e avaliação de ambientes educativos emergentes e ferramentas digitais e conteúdos áudio, vídeo e multimídia ou profissionais que apresentam interesse nas áreas de Tecnologias Digitais da Informação e Comunicação - TDIC e EAD. Serão destinadas 10% das vagas do curso para servidores técnicos-administrativos e servidores docentes da UFRB (Resolução nº 20 de 2014/UFRB).  Também estão destinadas 10% das vagas para candidatos autodeclarados pretos, pardos, indígena e pessoas com deficiência (Portaria Normativa, nº 13, de 11 de maio de 2016).

Entre os documentos solicitados na seleção estão o Curriculum Lattes resumido e um Memorial Acadêmico (descrição comentada da trajetória intelectual/acadêmica do candidato).

A previsão de início do curso é de março de 2018. As despesas de locomoção e hospedagem para a participação dos encontros presenciais é de exclusiva responsabilidade dos estudantes. O discente que cumprir satisfatoriamente todas as exigências do curso receberá a dupla certificação, em nível de Especialização expedido pela  UFRB e pela Universidade Aberta de Portugal  (UAb).

Inscrições: https://www.ufrb.edu.br/ead/editais

Confira o Edital e o Cronograma da seleção  

Mais informações: SEAD



Andifes publica caderno em defesa das Universidades Federais

29 de Novembro de 2017, 12:26, por UFRB - Universidade Federal do Recôncavo da Bahia - 0sem comentários ainda

A Associação Nacional dos Dirigentes das Instituições Federais de Ensino Superior (Andifes) lançou um caderno, no qual sintetiza o contexto atual vivenciado pelo Sistema Público de Universidades Federais. Sob o título “Universidades Federais - Patrimônio da Sociedade Brasileira”, o material ressalta as contribuições das 63 universidades federais, e seus 328 campi, ao desenvolvimento econômico e social do País, assim como o reconhecimento social da qualidade e da importância do sistema, o histórico do financiamento e os compromissos derivados da política de estado prevista no Plano Nacional de Educação (PNE).

De acordo com o presidente da Andifes, reitor Emmanuel Zagury Tourinho, diante da conjuntura de cortes e contingenciamentos orçamentários, o debate sobre o financiamento das universidades públicas volta à pauta. “Nosso objetivo, com esse caderno, é apresentar informações relevantes e esclarecer que não há crise de gestão, mas, sim, há falta de continuidade nas políticas de financiamento das universidades federais”, explica.

O material traz dados sobre o papel social exercido pelas universidades. “Não se trata de um evento, mas de uma ação permanente. Vamos nos unir nesse propósito indispensável de defender as condições de funcionamento das universidades públicas federais”, finaliza Tourinho.

Conheça o Caderno “Universidades Federais - Patrimônio da Sociedade Brasileira”.

Com informações da Andifes.



Andifes divulga Caderno sobre Universidades Federais Brasileiras

29 de Novembro de 2017, 12:26, por UFRB - Universidade Federal do Recôncavo da Bahia - 0sem comentários ainda

A Associação Nacional dos Dirigentes das Instituições Federais de Ensino Superior (ANDIFES), sediada em Brasília (DF), divulga documento em defesa do papel das universidades federais públicas e gratuitas no cumprimento das missões de ensino, pesquisa e extensão com qualidade para a sociedade brasileira propiciar o desenvolvimento sustentável do qual o País precisa e exige.

A ANDIFES apresenta o Sistema Público de Universidades Federais por meio do Caderno “Universidades Federais – Patrimônio da Sociedade Brasileira”.

Na publicação constam as contribuições das 63 universidades federais, e seus 328 campi, ao desenvolvimento econômico e social do País, assim como o reconhecimento social da qualidade e da importância do sistema, o histórico do financiamento e os compromissos derivados da política de estado prevista no PNE.

Com a divulgação da publicação, a ANDIFES quer tornar conhecido, não só da comunidade acadêmica, mas da sociedade como um todo, que as universidades são eficientes, e exercem papel social fundamental, seja na promoção de quase toda a pesquisa científica e tecnológica realizada no país, gerando resultados econômicos extraordinários, seja na formação de profissionais qualificados ou, ainda, no atendimento à saúde de excelência, por meio dos hospitais universitários que, muitas vezes, são a única opção das comunidades em que estão inseridos.

Conheça o Caderno “Universidades Federais – Patrimônio da Sociedade Brasileira”“Universidades Federais – Patrimônio da Sociedade Brasileira”.



Categorias

Bahia, Comunicação, Cultura, Formação, Marco Legal, Pesquisa e tecnologia, Políticas públicas, Relações internacionais, Saúde popular, Software, cultura e conhecimentos livres