Ir para o conteúdo
Mostrar cesto Esconder cesto
Tela cheia Sugerir um artigo

Notícias

12 de Janeiro de 2009, 22:00 , por Desconhecido - | 1 pessoa seguindo este artigo.
Notícias publicadas no portal oficial da UFRB e clonadas nessa comunidade.

UFRB seleciona voluntários de extensão para atuarem em programa de comunicação

16 de Julho de 2021, 17:13, por UFRB - Universidade Federal do Recôncavo da Bahia - 0sem comentários ainda

A Universidade Federal do Recôncavo da Bahia (UFRB), por meio das suas Pró-Reitoria de Extensão (PROEXT) e Assessoria de Comunicação (ASCOM), seleciona voluntários para atuarem no “Programa de Formação em Comunicação”. Podem se candidatar estudantes de graduação dos cursos de bacharelado em Artes Visuais, Cinema e Audiovisual, Jornalismo e Publicidade e Propaganda, qualificados na área de produção audiovisual.

As inscrições estão abertas até o dia 26 de julho e deverão ser realizadas pelo formulário de inscrição online (é necessário ter e-mail institucional @aluno.ufrb.edu.br para o preenchimento). Os interessados devem estar cursando entre o segundo e o sétimo semestre do curso, ter escore de desempenho acadêmico igual ou superior a 5,0 e ter disponibilidade para cumprir a carga horária de 10 horas semanais.

A seleção terá duas etapas: análise de documentação e prova prática; e entrevista. As entrevistas acontecerão nos dias 02, 03 e 04 de agosto, via Google Meet. O resultado final da seleção será divulgado até o dia 05 de agosto, no site da PROEXT.

Serão concedidas quatro vagas de voluntário extensionista. O período de vigência do voluntariado será de 06 de agosto a 31 de dezembro de 2021, podendo ser renovado de acordo com a necessidade da equipe gestora. Os estudantes selecionados terão direito a certificação de atividades de extensão ao final do período previsto.

Sobre o programa

O Programa de Formação em Comunicação da UFRB tem o objetivo de implantar/integrar projetos e ações de extensão universitária na área temática da comunicação, enquanto processo educativo, artístico, cultural e científico, que articula as atividades acadêmicas e viabiliza a relação transformadora entre a Universidade e os diversos setores da sociedade.

Univerciência

O Programa de Formação em Comunicação da UFRB é responsável pela produção de conteúdos para o Univerciência, o primeiro programa brasileiro de TV aberta e Internet produzido em parceria entre universidades públicas e TVs públicas nordestinas, com foco na promoção, na popularização e na difusão da ciência. Na Bahia, o programa vai ao ar pela TVE aos sábados, às 14h30, com horários alternativos às segundas-feiras, às 20h, e quartas-feiras, às 7h30. Na TV UFRB é exibido nas segundas, às 10h.

Confira o Edital Nº 06/2021 – Seleção Voluntários de Comunicação.

Mais informações: ufrb.edu.br/proext/selecoes.



Estudante da UFRB desenvolve calculadora para operações vetoriais passo a passo

16 de Julho de 2021, 16:55, por UFRB - Universidade Federal do Recôncavo da Bahia - 0sem comentários ainda

O estudante do curso de Bacharelado em Ciências Exatas e Tecnológicas (BCET) da Universidade Federal do Recôncavo da Bahia (UFRB), Carlos Pedro de Oliveira dos Santos, desenvolveu um aplicativo que auxilia em cálculos para várias operações vetoriais.

O aplicativo recebeu o nome de Calculadora Problematika. O link de acesso ao aplicativo é https://github.com/iCarlosCode/Problematika.

Entre os cálculos possíveis com o aplicativo estão o de formar um vetor a partir de dois pontos; calcular o produto vetorial; calcular o produto escalar; calcular produto misto; somar coordenadas; e subtrair coordenadas.

Todas essas operações apresentam explicações passo a passo no lado direito da calculadora, para auxiliar os alunos a aprenderem como realizar as operações. Carlos conta que essa é mais uma ferramenta para auxiliar no ensino da matéria de Geometria Analítica.

A Calculadora é gratuita e pode ser baixada no seu repositório no GitHub. Segundo Carlos Santos, por enquanto, ela está disponível somente para Windows.

{youtube}a2GDxnurZtE{/youtube}



Manchas de óleo no Nordeste, identificação do cio da vaca, e sistema óptico no Univerciência

16 de Julho de 2021, 11:19, por UFRB - Universidade Federal do Recôncavo da Bahia - 0sem comentários ainda

{youtube}Anda2A2mQO4{/youtube}

Neste sábado (17) o Univerciência vai mostrar uma pesquisa sobre o sequenciamento genômico do coronavírus e o desenvolvimento de método mais apurado de identificação do cio da vaca, através da medição do consumo de alimento. O programa destaca ainda um projeto de combate aos efeitos das manchas de óleo no Nordeste, e o desenvolvimento de sistemas inteligentes de monitoramento de dutos de transporte de gás. No ar pela TVE aos sábados, às 14h30, o programa tem horários alternativos às segundas-feiras, às 20h, e quartas-feiras, às 7h30

O coronavírus mudou a vida das pessoas nos últimos tempos. De lá pra cá, muitos são os esforços dos cientistas para entender o que é o vírus, como ele se comporta e como combater a pandemia. Após mais de um ano, os registros de reinfecção levaram cientistas da Universidade Federal de Pernambuco (UFPE) a estudar o sequenciamento genômico do vírus. O monitoramento de variantes do SARS-CoV-2 representa uma estratégia necessária para as medidas de vigilância epidemiológica e tratamento da doença.

Um cientista da Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia (Uesb), junto com parceiros da Embrapa Gado de Leite, a Universidade de Wisconsin-Madison (Wisc), nos Estados Unidos, e a Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG), desenvolveu uma pesquisa que consegue identificar, de forma antecipada, o cio da vaca. O estudo é uma evolução na questão, uma vez que entre as diferentes técnicas utilizadas nesse processo, a mais tradicional é a observação visual, passível de falha, podendo comprometer a eficiência reprodutiva e contribuir para altas taxas de descarte de vacas e novilhas. A partir do conhecimento de que o cio causa redução no consumo e comportamento alimentar, o estudo mostrou que, antes de entrar no cio, as vacas consomem entre 25% e 35% menos água e alimentos.

Para combater os danos causados pela presença de resíduos químicos provenientes da tragédia ambiental que manchou de óleo o litoral dos nove estados do Nordeste e dois do Sudeste (Rio de Janeiro e Espírito Santo), dois ex-alunos da Universidade Federal da Bahia (Ufba) criaram o Bioação Garapuá, e se uniram a um time de cientistas do Instituto de Geociências e da Escola Politécnica da UFBA, do Grupo Ambientalista da Bahia (Gambá) e da Associação de Moradores do local, com apoio do Fundo Socioambiental CASA. O projeto busca reflorestar os manguezais por meio da fitorremediação, processo no qual plantas nativas da região são introduzidas no ambiente para acelerar o processo de degradação de resíduos químicos.

Na Universidade Federal do Ceará (UFC), os cientistas trabalham no desenvolvimento de um sistema sensorial óptico para o monitoramento de dutos de transporte de gás natural. Os sistemas ópticos são compostos por sensores de fibra ótica, com diâmetro próximo ao de um fio de cabelo, que são imunes a interferências de campos eletromagnéticos, podendo ser empregados para aplicações de longa distância. Através de um edital lançado pela Fundação Cearense de Apoio ao Desenvolvimento Científico e Tecnológico (FUNCAP), o grupo teve a oportunidade de adaptar o sistema baseado em sensores óticos para a manutenção de uma rede de 200 km de gasodutos da companhia de gás do estado.

O programa Univerciência tem a participação de instituições de todos os estados nordestinos a partir da parceria entre as universidades e televisões públicas da região. A produção do conteúdo é colaborativa e a veiculação acontece em TV’s públicas, educativas, culturais e universitárias, e nos canais das emissoras e das universidades na Internet.

Onde assistir

Sábado, 17/07, às 14h30, no canal do Youtube da TVE.

Segunda, 19/07, às 10h, no canal do Youtube da TV UFRB.



CGU disponibiliza pesquisa para servidores da UFRB avaliarem Integridade Pública

15 de Julho de 2021, 11:57, por UFRB - Universidade Federal do Recôncavo da Bahia - 0sem comentários ainda

Doze perguntas intuitivas constituem o formulário da Secretaria de Transparência e Prevenção da Corrupção da Controladoria-Geral da União (CGU) para avaliar os Programas de Integridades dos órgãos e entidades do Poder Executivo Federal, dentre eles, a Universidade Federal do Recôncavo da Bahia (UFRB). Na UFRB, o Plano de Integridade foi aprovado pela Portaria nº 796/2020.

O Programa de Integridade é um conjunto de medidas e ações institucionais destinadas à prevenção, à detecção, à punição e à remediação de fraudes, desvios éticos e atos de corrupção. Ele é operacionalizado a partir de um Plano de Integridade de cada órgão, com o objetivo de viabilizar a observância das diretrizes para integridade institucional e fortalecer a temática.

Para participar da pesquisa, o servidor da UFRB deve acessar o questionário on-line e enviar as respostas, o que pode levar até 1 minuto. O prazo final da pesquisa é dia 23 de julho de 2021.

A pesquisa desenvolvida e coordenada pela CGU busca coletar dados acerca da percepção dos servidores sobre o programa de integridade da instituição e demais atividades relacionadas à integridade pública.

Os resultados serão utilizados para a avaliação da implementação dos programas de integridade no Governo Federal.

O movimento em prol da construção da integridade no serviço público busca entre outras coisas inibir práticas lesivas ao patrimônio público. 

Mais informações em https://www.ufrb.edu.br/proplan/integridade-publica.

Responda a pesquisa em https://forms.office.com/Pages/ResponsePage.aspx?id=_tl4ZiEJfUGEEV8cGN77u8rakwBKcrdKq74KLKV4XA9UOFE5VFhJSTJRMTdSTVcyNU1KRENHUlE5NS4u.



Aluna da UFRB ganha Prêmio Destaque na Iniciação Científica e Tecnológica do CNPq

14 de Julho de 2021, 11:46, por UFRB - Universidade Federal do Recôncavo da Bahia - 0sem comentários ainda

A estudante de Agronomia da Universidade Federal do Recôncavo da Bahia (UFRB) Rebeca Santisma de Jesus Almeida foi a ganhadora da Categoria Bolsista de Iniciação Tecnológica, na área de Ciências da Vida, da 18ª edição do Prêmio Destaque na Iniciação Científica e Tecnológica, promovido pelo Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq), com o trabalho intitulado: “Uso da tecnologia como ferramenta para a identificação de insetos”.

Atribuído anualmente, o objetivo do prêmio é reconhecer os bolsistas de iniciação científica e tecnológica que se destacaram durante o ano sob os aspectos de relevância e qualidade do seu relatório final, bem como as instituições participantes do Programa Institucional de Bolsas de Iniciação Científica (PIBIC), que contribuíram de forma relevante para o alcance dos objetivos do Programa.

O anúncio dos vencedores da premiação aconteceu na última sexta-feira, dia 9. Como prêmio Rebeca Almeida vai receber o valor bruto de R$ 7.000,00 (sete mil reais), com dedução do Imposto de Renda Retido na Fonte (IRRF), nos valores explicitados, conforme legislação da Receita Federal; uma bolsa de Mestrado ou Doutorado, no país; e uma passagem aérea e hospedagem para permitir a participação dos agraciados na 73ª Reunião Anual da Sociedade Brasileira para o Progresso da Ciência (SBPC), a ser realizada em 2021.

Rebeca Almeida é bolsista do Programa Institucional de Bolsas de Iniciação em Desenvolvimento Tecnológico e Inovação (PIBIT), vinculada ao Grupo de Pesquisa Insecta do Centro de Ciências Agrárias, Ambientais e Biológicas (CCAAB), em Cruz das Almas, sob a orientação da professora doutora e pesquisadora Geni da Silva Sodré e da co-orientação da doutoranda e bolsista da Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (CAPES), Ana Catia Santos da Silva.

Trabalho de Rebeca

O trabalho de Rebeca Almeida consiste em um software nomeado "The Insects” composto com uma chave dicotômica eletrônica para identificação das principais Ordens de insetos presente em cultivos de orquídeas. Contendo também um menu com diversos botões, os quais direcionam os usuários as telas contendo a chave de identificação, como coletar e conservar os insetos, principais pragas, dicas de como combater e controlar estas pragas, referências bibliográficas e a opção sair. “O aplicativo poderá ser utilizado na identificação taxonômica de insetos presentes na plantação de orquídeas, contribuindo com informações científicas e tecnológicas de fácil acesso, necessárias para o estudo entomológico”, explica a orientadora Geni da Silva Sodré, mestre e doutora em Entomologia pela Universidade de São Paulo (USP).

Segundo Geni, as informações contidas no aplicativo são relevantes para outras culturas. “Muitos insetos têm importância agrícola, causando grandes perdas econômicas, a referida tecnologia pode ser desdobrada para insetos considerados pragas de outras culturas agrícolas de importância econômica”.

A professora Geni destaca que o uso de tecnologia para identificação de insetos associados ao cultivo de orquídeas até o momento era inexistente. “Deste modo, o nosso aplicativo é inovador e traz informações científicas relevantes sobre esses insetos de forma fácil e gratuita”. Ela considera que a conquista da premiação científica dará mais visibilidade a UFRB.

Para o Grupo de Pesquisa Insecta, a premiação “mostra que estamos no caminho certo, são quase 30 anos de ensino e pesquisa com grandes conquistas acadêmicas. O Insecta tem como pilar o trabalho em equipe, contribuindo com a formação científica e tecnologia de cada integrante. Outro ponto que levamos em consideração é a interação entre alunos de graduação e pós-graduação. A conquista dessa premiação vem como motivação para que outros alunos engajem-se na pesquisa científica e tecnológica”, destaca a pesquisadora.  

Resumo

“O uso de aplicativos por meio de dispositivos móveis tem se tornado uma realidade para a educação, principalmente com o uso de smartphone o qual vem sendo utilizado como ferramenta tecnológica no processo de ensino- aprendizagem na agricultura. Nesse sentido, o objetivo do trabalho foi desenvolver um software nomeado "The Insects” e elaborar uma chave dicotômica eletrônica inclusa no aplicativo para identificar as principais Ordens de insetos presente em cultivos de orquídeas localizados em municípios do estado da Bahia. A plataforma utilizada para desenvolver o aplicativo foi o Android studio.

Esta ferramenta permite que programadores desenvolvam aplicativos para o sistema operacional Android, deste modo, está programação é feita utilizando a linguagem de programação Java, podendo ser facilmente instalado em sistemas operacionais Windows, Mac ou Linux. Esse aplicativo tem como principal finalidade auxiliar na identificação taxonômica de insetos coletados em cultivo de orquídeas, sendo uma ferramenta gratuita, para ser utilizada na identificação dos insetos em nível de Ordem.

Dessa forma, o aplicativo é composto por um menu contendo diversos botões, os quais direcionam os usuários as telas contendo a chave de identificação taxonômica eletrônica, como coletar e conservar os insetos, principais pragas identificadas nos orquidários analisados, dicas de como combater e controlar estas pragas, referências bibliográficas e a opção sair. Ressalta-se que o App encontra-se em processo de atualização, sendo inseridas informações relevantes, para posteriormente ser validado e publicado na plataforma Play Store.

O aplicativo poderá ser utilizado como ferramenta na identificação taxonômica de insetos presente na plantação de orquídeas, contribuindo com informações científica e tecnológica de fácil acesso, necessárias para o estudo entomológico”.

Mais sobre o Grupo de Pesquisa Insecta em: www2.ufrb.edu.br/insecta.



Categorias

Bahia, Comunicação, Cultura, Formação, Marco Legal, Pesquisa e tecnologia, Políticas públicas, Relações internacionais, Saúde popular, Software, cultura e conhecimentos livres

UFRB

Brazil