Ir para o conteúdo
Mostrar cesto Esconder cesto
Tela cheia Sugerir um artigo

Notícias

12 de Janeiro de 2009, 22:00 , por Desconhecido - | 1 pessoa seguindo este artigo.
Notícias publicadas no portal oficial da UFRB e clonadas nessa comunidade.

UFRB divulga procedimentos e calendário para matrícula web 2020.1

1 de Fevereiro de 2021, 13:26, por UFRB - Universidade Federal do Recôncavo da Bahia - 0sem comentários ainda

A Universidade Federal do Recôncavo da Bahia (UFRB) divulga o calendário e procedimentos para matrícula web 2020.1. Todos os estudantes dos cursos de graduação a partir do segundo semestre letivo devem efetuar a matrícula por meio do Portal do Discente no Sistema de Gestão das Atividades Acadêmica (SIGAA).

Os estudantes veteranos poderão se matricular em, no máximo, três componentes curriculares, e mais o Trabalho de Conclusão de Curso (TCC); observando que os componentes com atividades teóricas e práticas contarão como um só componente. Em casos excepcionais, poderá ocorrer matrículas em mais componentes, desde que autorizadas pela Coordenação do Curso.

Os calouros não participam da matrícula web 2020.1. Os Núcleos de Gestão Técnico Acadêmico (NUGTEAC) e Colegiados dos Centros de Ensino realizarão a matrícula em disciplinas do pacote de calouros ou em componentes que julgarem mais adequados ao currículo do estudante (no caso dos calouros ingressos por processos seletivos de transferência interna/externa, portador de diploma, rematrícula, Segundo Ciclo e Segunda Diplomação). Os calouros devem acessar o SIGAA e consultar o atestado de matrícula (guia de primeiro acesso ao SIGAA para calouros).

Etapas e datas (estudantes veteranos)

Solicitação de componentes 1ª etapa: 01/02 a 05/02/2021

Nesta etapa, os discentes poderão solicitar componentes curriculares (disciplinas e atividades coletivas) que estejam sendo oferecidas pelos Centros de Ensino.

Resultado do processamento da 1ª etapa: 08/02

O SIGAA vai priorizar à confirmação das solicitações dos estudantes, obedecendo as seguintes prioridades: discentes formandos; discentes semestralizados; discentes desemestralizados (discentes que estejam pleiteando componentes a um nível anterior ao seu); discentes adiantados (discentes que estejam pleiteando componentes a um nível posterior ao seu); discentes com maior IRA; e Solicitação de componentes.

Solicitação de componentes 2ª etapa: 10/02 e 11/02/2020

Nesta etapa, os discentes poderão solicitar componentes curriculares (disciplinas e atividades coletivas) que estejam oferecidas pelos Centros de Ensino. Poderão realizar a exclusão de componentes já confirmados na primeira etapa.

Resultado do processamento da 2ª etapa: 12/02

O SIGAA vai priorizar à confirmação das solicitações dos estudantes, obedecendo as seguintes prioridades: discentes formandos; discentes semestralizados; discentes desemestralizados (discentes que estejam pleiteando componentes a um nível anterior ao seu); discentes adiantados (discentes que estejam pleiteando componentes a um nível posterior ao seu); discentes com maior IRA; e Solicitação de componentes.

Ajustes das coordenações dos cursos: 18/02

Os coordenadores poderão aumentar as vagas e matricular estudantes.

Matrícula extraordinária: 19/02 e 20/02

Nesta etapa, os discentes entrarão novamente no Portal Discente e incluirão componentes; não teremos os mesmos critérios de prioridade, ou seja, as vagas que estiverem disponíveis poderão ser ocupadas livremente pelos alunos, incluindo também disciplinas eletivas.

Caso haja dificuldade ou impedimento da realização de matrícula por algum estudante, caberá aos NUGTEACs realizar a solicitação de matrícula mediante a manifestação do discente através de correspondência eletrônica, dentro do período estabelecido para as solicitações.

O processamento deverá ocorrer normalmente, conforme as regras acima elencadas. Vale lembrar que o por conta da pandemia, o semestre 2020.1 é um semestre novo, ou seja, todos os estudantes de graduação que tenham solicitado trancamento em disciplinas ou trancamento total deverão fazê-lo novamente, se assim desejarem, tendo em vista a mudança das circunstâncias (antes e depois da pandemia).

Consulte o guia de primeiro acesso ao SIGAA para calouros.

Conheça o Glossário de Conceitos Acadêmicos presentes no SIGAA.

Acompanhe o painel da matrícula web 2020.1.



UFRB entrega ao INCRA Relatório antropológico da comunidade Caimbongo

1 de Fevereiro de 2021, 12:26, por UFRB - Universidade Federal do Recôncavo da Bahia - 0sem comentários ainda

relatorio incra1Solenidade virtual de entrega do relatório ao INCRA.

A Universidade Federal do Recôncavo da Bahia (UFRB) entregou ao Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária (INCRA), em forma de doação, o “Relatório Antropológico de contextualização histórica e geográfica do Território da Comunidade Quilombola Caimbongo - Município de Cachoeira/BA”, realizado no âmbito do projeto “Terra de Direitos: apoio à defesa e proteção dos direitos políticos e civis das comunidades remanescentes de quilombo do Recôncavo Baiano”.

A produção do relatório, financiado pela União Europeia, e operacionalizado pela empresa Cultura, Meio Ambiente e Patrimônio, é uma parceria com a UFRB, a Cooperação para o Desenvolvimento dos Países Emergentes (COSPE) e o Centro de Educação e Cultura Vale do Iguape (CECVI), resguardada em Termo de Cooperação Técnica, Científica e Cultural, assinado em 04 de maio de 2017.

A solenidade de entrega do relatório aconteceu em formato virtual e contou com a presença do reitor da UFRB, Fábio Josué Souza dos Santos, do professor e coordenador do Projeto Terra de Direitos, Marcelo Araújo (UFRB); da pró-reitora de Extensão, Tatiana Velloso; do representante da regional do INCRA, Lauriano Palma; da representante da Cospe, Martina Molinu; da chefe de Cartografia do Incra/BA, Mirele Viegas da Silva; além de Ananias Viana, do Conselho Quilombola da Bacia e Vale do Iguape, membros das comunidades tradicionais, e professores da UNEB e IF Baiano, e da professora antropóloga da UFRB, Mariana Balen..

O representante da regional baiana, Lauriano Palma, agradeceu a iniciativa da Universidade. “É um grande desafio a realização da regularização fundiária e nesse sentido os relatórios antropológicos são peças fundamentais no cumprimento das etapas necessárias para o Relatório Técnico de Identificação e Delimitação (RTID). Nosso objetivo é levar o desenvolvimento através do reconhecimento da legitimidade dos territórios, facilitando assim a chegada de políticas públicas de forma célere, ressaltou Palma. Lembrou ainda que agora o relatório passa por uma avaliação interna do Incra na qual são realizados estudos cartográficos e levantamento fundiário.

O reitor da UFRB, Fábio Josué, destacou as relações de parceria com as comunicades tradicionais e com o INCRA. "Já somos parceiros do INCRA no Pronera e esta é mais uma iniciativa que, pela terceira vez, estamos colaborando efetivamente com as comunidades no seu processo de desenvolvimento local por meio desse delicado e importante trabalho, que é a elaboração de um relatório antropológico", disse. No período da tarde o reitor entregou pessoalmente, com as presenças da pró-reitora de Extensão, Tatiana Velloso e do pró-reitor de Planejamento, Joaquim Ramos, o documento em reunião na sede da Superintendência Regional.

relatorio incraEntrega física do relatório ao INCRA.

O relatório antropológico (dividido em três partes: Relatório final, Genealogia e Território) espera contribuir para a celeridade no processo de regularização fundiária do território da comunidade quilombola de Caimbongo, para assegurar a cidadania plena ao grupo.

O relatório é respaldado com a atuação de professores, estudantes e parceiros em ações relacionadas a garantia dos direitos territoriais das comunidades remanescentes de quilombos, agora, particularmente, a da Comunidade Quilombola Caimbongo. A UFRB também se envolveu nesse mesmo processo em 2018, junto ao INCRA, com a doação e entrega de Relatórios Antropológicos das Comunidades de Engenho Novo e de Engenho da Cruz, no município de Cachoeira.

O documento defende “a necessidade de acesso a políticas públicas que viabilizem a reprodução física, social e cultural no território - como políticas de crédito, geração de emprego e renda, acessibilidade, melhorias de infraestrutura, fomento à produção, políticas  públicas destinadas à saúde e à educação”.

Segundo o relatório, tais considerações ampliarão as alternativas de escolhas e possibilitarão a manutenção das famílias e suas práticas tradicionais relativas ao uso coletivo dos recursos naturais, à religiosidade, à lógica de parentesco, dentre tantas outras que expressam a identidade e o modo de vida da Comunidade Quilombola Caimbongo.

relatorio incra3Bandeira na entrada do território de Caimbongo. Foto: Silvio Marcio M. Machado.

Categorias

Bahia, Comunicação, Cultura, Formação, Marco Legal, Pesquisa e tecnologia, Políticas públicas, Relações internacionais, Saúde popular, Software, cultura e conhecimentos livres

UFRB

Brazil