Ir para o conteúdo
Mostrar cesto Esconder cesto

Voltar a Gameleira
Tela cheia

Descrição

16 de Março de 2015, 11:36 , por Iago Itã - 0sem comentários ainda | Ninguém está seguindo este artigo ainda.
Visualizado 115 vezes

 

O nome do distrito Gameleira se deu pelo fato de existirem muitas árvores do tipo gameleiras na região, cientificamente essa espécie é denominada Ficus adhatodifolia e tem como característica principal o seu grande porte, variando entre 10 e 20 metros de altura e dois metros de diâmetro, destacando-se na paisagem. A mesma também é conhecida como figueira "mata pau", pois pode crescer junto a uma árvore já formada, e com o tempo compete com o hospedeiro, podendo matá-lo, tornando-se uma árvore autônoma. Além disso, essa espécie tem uma importância significativa para as religiões afro-descentes por ser uma árvore sagrada, morada de Irôko, um orixá do candomblé, que representa a ancestralidade.

 

O principal atrativo natural de Gameleira é a sua praia, que possui águas tranqüilas, mornas e profundas, uma faixa extensa de areia, porém existe um rio poluído que desemboca no mar, comprometendo o banho em determinadas épocas do ano.

 

 

A praia também é convidativa para a realização das vivências de lazer: prática de esportes náuticos e mergulho, além de caminhadas pela praia. Destaca-se que na parte norte, existe um píer de pedras, sendo um local ideal para contemplar a paisagem.

 

Considerando o patrimônio imaterial tem-se o Grupo Cultural Raízes de Gameleira que preserva o samba de raiz, promovendo intercâmbio de experiência, promoção e divulgação dessa tradicional manifestação cultural. Esse grupo existe desde 09 de junho de 2009, contando com 44 integrantes, das mais variadas faixa etárias. As mulheres são responsáveis pela dança e canto, já os homens tocam os instrumentos e aumenta o coro de vozes. O referido grupo realiza eventos e ensaios abertos ao público, na casa da presidenta, por não possuir sede própria. Na localidade também existe um grupo cultural, que envolve dança, esporte e carnaval, o mesmo existe há mais de 45 anos, porém o responsável optou por não repassar mais informações, por desavenças políticas no distrito e falta de incentivo do poder público local, que segundo o entrevistado, afirmou não valorizar a cultura.

 

Considerando ainda os recursos culturais, tem-se o artesanato, onde o principal produto é feito com búzios e conchas, com esse tipo de material pode-se encontrar desde colares, brincos, pulseiras até painéis na Praça Santa Cruz e construções nas residências e bares.

 

 

Quer adicionar informações a esta descrição? Envie um comentário!


0sem comentários ainda

    Enviar um comentário

    Os campos são obrigatórios.

    Se você é um usuário registrado, pode se identificar e ser reconhecido automaticamente.

    Cancelar