Go to the content
Show basket Hide basket

Empreendimento de Economia Solidária

Mulheres de Fibras Empreendimento de Economia Solidária

Full screen

Início

January 12, 2009 22:00 , by Unknown - | No one following this article yet.
Viewed 833 times

A Rede de Artesãs Mulheres de Fibra – Portal da Amazônia surgiu em 2011 a partir da identificação e capacitação de agricultoras e agricultores que desenvolviam o artesanato local (no território), confeccionando produtos com a matéria-prima da região. Era sabido que existiam artesãos em todo o território, presentes nos assentamentos e comunidades de agricultores familiares, e que esta poderia ser uma atividade geradora de renda no território. Foram realizadas oficinas de formação para levantamento e aperfeiçoamento dos trabalhos já realizados, e também o aprendizado de novas técnicas e produtos. O objetivo da estruturação da Rede de Artesãs Mulheres de Fibra era, além da valorização do trabalho da mulher, facilitar a produção e comercialização dos produtos, buscando a melhoria de renda das famílias envolvidas.

            Antes de participarem deste grupo, as agricultoras e os agricultores, além dos afazeres do sítio, já criavam e produziam seus artesanatos com algumas fibras e sementes, como cestas, vassouras, bonecas. Alguns faziam por terapia, outros já buscavam uma melhora na renda. A venda era feita na própria comunidade ou em feiras locais. Algumas das mulheres possuíam relação intima com a floresta, coletando sementes florestais para a Rede de Sementes do Portal da Amazônia. Desta forma, a partir de 2010, começaram a enxergar a natureza como parte da sua vida, construindo relações saudáveis e sustentáveis com a mesma, reforçando a produção do artesanato a partir de fibras naturais.

            Com a organização da Rede, a partir de momentos de formação como as oficinas de aperfeiçoamento e de novas técnicas e desenvolvimento de produtos, além do desenvolvimento conjunto de estudos de viabilidade e formação de preços, foi possível uma otimização do uso dos recursos naturais para a produção das peças e acesso a novos mercados. Assim, o grupo diminuiu suas perdas e iniciou um planejamento de produção e venda.

            Hoje, seis mulheres (de três municípios diferentes – Assentamento Jacamim em Alta Floresta/MT; Assentamento igarapé do Bruno em Apiacás/MT; Acampamento Irmã Dorothy e Comunidade Rondom em Nova Canaã do Norte/MT) fazem parte diretamente da rede, e indiretamente dois homens que ajudam as esposas na coleta da matéria prima e confecção de peças. A Rede trabalha com as fibras de bananeira, buriti, tucum, patuá, taboa, pacova e milho. Produzem diferentes modelos de flores, cestas, vasos, jogos americanos, descansos de panela, trilhos de mesa, caixas de presente, dentre outros. Todo o processo de extração da matéria prima é pensado para não causar danos à vegetação local, nem trazer prejuízos à floresta.


Categories

Mato Grosso, Artesanato, Agricultura Familiar, Comércio justo e solidário, Meio-ambiente, Mulheres