Ir para o conteúdo
Mostrar cesto Esconder cesto
Tela cheia

Notícias e informações

4 de Junho de 2012, 21:00 , por Desconhecido - 33 comentários | Ninguém está seguindo este artigo ainda.
Visualizado 3942 vezes

CONVITE- Fórum Regional de Economia Solidária da Região Sul de Mato Grosso.

 

   

 

 

 

       A Associação Dando as Mãos com sede em Rondonópolis, mas que estende seu trabalho de atendimento ao vosso município, especificamente no Assentamento Zumbi dos Palmares, por meio de sua coordenação, tem a honra de convidar a vossa Senhoria para participar do 2º Fórum  Fórum Regional de Economia Solidaria, que acontecerá dia 05/07/2013, no município de Dom Aquino com inicio previsto para as 9:00:horas ( de manhã) no Clube da água Mineral Puríssima e encerramento para as 15:30: horas, onde será discutido a pauta abaixo exposta.

1-Princípio de economia solidária

2- 1ª Feira de Economia Solidária  no município de Pedra Preta e 5ª FECOSOL Microrregional.

3- Lei de Economia Solidária no Municípios

4- Projeto PAA

5- Criação do Fórum Local de  Dom Aquino       

       Na certeza de podermos contar com prestigiosidade de sua presença, a Coordenação antecipa os agradecimentos.

 

            Aguardamos vosso comparecimento.

Atenciosamente 

Bento Carlos Moura -Coordenador

 

 

 

 ASSOCIAÇÃO DANDO AS MÃOS, ORGANIZAÇÃO SOLIDÁRIA DOS ASSENTADOS E EMPREENDEDORES EM GERAL.

 E-mail. [email protected]

 

 Convite

A Associação Dando as Mãos com sede em Rondonópolis, mas que estende seu trabalho de atendimento ao vosso município, especificamente no assentamento COLINA VERDE, por meio de sua
Diretoria tem a honra de convidar a vossa Senhoria para participar do 1º Forum Municipal de Economia Solidaria que acontecerá dia 07/06/2013, com inicio previsto para as 12:horas na Câmara Municipal de Pedra Preta e encerramento para as 16 : horas, onde será discutido a pauta abaixo exposta:

  • 1ª Feira de Economia Solidaria do Município de Pedra Preta e 5ª FECOSOL Microrregional. Na certeza de podermos contar com
    prestigiosidade de sua presença, a Diretoria antecipa os agradecimentos.
                

Aguardamos sua Presença

 

 

TERCEIRA ASSEMBLÉIA GERAL DA ASSOCIAÇÃO “DANDO AS MÃOS”, ORGANIZAÇÃO SOLIDÁRIA DOS ASSENTADOS E
EMPREENDEDORES EM GERAL.

 

No primeiro dia do mês de  junho do ano de dois mil e treze, às nove horas, no município de Rondonópolis, MT, na sede do Assentamento Fazenda Esperança, se reuniu em Assembleia Geral os Coordenadores de cada assentamento, integrantes da Associação “Dando as Mãos”, Organização dos Assentados e Empreendedores em Geral, para a eleição da Coordenação que coordenará os trabalhos da Associação nos próximos dois anos.

 

 

 

 

 

 

 Venha você também participar no dia  04 a 06 de setembro de 2012, na Feira da Vila Aurora, municipio de Rondonópolis/MT, de nossa Feria de Economia Solidária e Agricultura Familiar da Região Sul de Mato Grosso,  que será realizada em  conjunto com a  Semana Social da diocese de Rondonópolis. Semana Social é um serviço que a CNBB  oferece a sociedade,  que se organiza para participar dos debates. Estes grupos da sociedade civil ampliam a visão e entram verdadeiramente na base do tecido social. Todas as Paroquias, Congregações Religiosas e suas Obras, pastorais e movimentos eclesiais, as comunidades eclesiais de base, os movimentos sócias, as organizações sindicais e todas as forças vivas da sociedade são chamadas a participarem como protagonistas do processo.

Nossa feira de Economia Solidária terá como Tema: BEM VIVER DIREITO DE TODA POPULAÇÃO.

 

 Os objetivos do evento são os seguimentos:

= Dar maior visibilidade ao Movimento de Economia Solidária na região permitindo uma boa aproximação entre os diversos empreendimentos;

=Mobilizar, animar e criar expectativas positivas e comunicação permanente entre os empreendimentos;

=Promover o diálogo e o fortalecimento das reivindicações junto ao poder público local;

=Possibilitar a inclusão dos diversos atores sociais, que estão á margem, excluídos pelo capital, tais como: assentamentos, negros, indígenas, grupos de mulheres, portadores de necessidades especiais, reeducados, adolescentes, crianças, pequenos agricultores.

Para atingir o objetivo o Evento conta com a parceria dos diversos órgãos governamentais e não governamentais da região.

COMO A FEIRA SERÁ ORGANIZADA?

Dia 04: 18hs Abertura

 Mística e apresentação dos organizadores do evento e os parceiros representantes dos órgãos governamentais e não governamentais.

Apresentações Culturais com artistas locais

 Dia 05: 09hs às 12hs mesa temática A construção da
humanidade que queremos ter.  

 Assessores:                              

 Inácio José Werner- Coordenação Direitos Humanos e da Terra/ MT;
Francileia Paula de Castro –Técnica da FASE; 
Shirley Ap. Almeida Silva – Coordenação Instituto Marista de
Solidariedade

Oficinas
das 13:30hs as 16hs
: Comercio Justo e Solidário (custo de produção, preço justo); Oficina de Agroecologia; artesanatos; alimentação alternativa.

A partir das 18hs: Shows com artistas locais.

Dia 06: 09hs as 12hs mesa temática: A saúde que
podemos e queremos ter. 

Assessores:

Maria Aparecida marques Fernandes (Ir. Cidinha): Psicóloga; Almir Araújo: Sec. Meio Ambiente e Sec. De Saúde Bancária da Região Sul MT ; Professor Pignat: UFMT .

Oficinas das 13:30hs as 16hs:Cooperativismo e Associativismo; artesanatos; alimentação alternativa;  

A partir das 18hs: Shows com artistas locais.

Durante a feira as pastorais sociais, movimentos e organismos da Diocese de Rondonópolis, estarão expondo seus trabalhos em estandes, ao mesmo tempo acontecerão as trocas solidárias onde será utilizada a moeda social da região Sul: O Bacuri. O Banco Comunitário Cerrado intermediará a troca de real pelo Bacuri.

 

 

 

VENHA VOCÊ  TAMBÉM PARTICIPAR DESSA IDÉIA!  OUTRO MUNDO  É POSSIVEL        OUTRA ECONOMIA ACONTECE

 
  
  
  
  

 

 

 Visita do Gestor da Petrobras!
  
 
Queridas/os Companheiros/as, Paz e Bem!

É com muita alegria que viemos partilhar esse momento importante para  a nossa região, a visita do gestor de Projetos sociais da Petrobras, o Senhor Marcos Firmino dos Santos, que mora no Rio de janeiro e veio fazer uma visita de avaliação no projeto. A Visita teve inicio no dia 06 de agosto de 2012, a partir das 09h com a inauguração oficial do Empreendimento Pasteurizador de leite e fabricação de iogurte “Conquista da Primavera”, construído pela “Associação Dando as Mãos”, com recurso da Petrobras, no Assentamento Primavera, município de Rondonópolis. O evento contou com a participação do poder público local, nós as Irmãs Catequistas Franciscanas, parceiras do projeto e 53 moradores do Assentamento. Na ocasião foi cedido o selo de inspeção municipal, pela Vigilância Sanitária do município de Rondonópolis.

 A tarde foi feita, além da visita técnica, a inauguração oficial do Mini Abatedouro “Nova Conquista”, no Assentamento Carlos Marighela, Município de Poxoréo, onde houve uma bonita acolhida, com a presença de 71 pessoas.

 

No dia 07, segundo dia da visita de avaliação técnica, o gestor visitou mais dois empreendimentos do projeto, também construído com recursos da Petrobras. No período matutino foi visitada e inaugurada a Despolpadora de Frutas “Sabor Terra e Família”, no Assentamento Salete Strosak, município de Guiratinga. A comunidade, cerca de 20 pessoas, recebeu o Gestor Marcos Firmino dos Santos com muito carinho e apreço, preparando um delicioso lanche com quitutes da região. 

 No período vespertino, a visita técnica foi ao Pasteurizador e Iogurteira “Vale do Prata”,  no Assentamento João Pessoa, Município de São José do Povo, onde contou com a participação de 35 pessoas. O empreendimento esta em fase de acabamento, sendo necessária a aquisição do maquinário, o que garantimos que será feito ainda no Mês de agosto.

 

No dia 09, período matutino do terceiro dia de visita técnica, o gestor visitou a comunidade do Assentamento Esperança, município de Rondonópolis, onde, com a presença de 37 pessoas, foi feito o ato simbólico do inicio da construção de mais um abatedouro de Frangos.

 

 No período vespertino, o Senhor Marcos Firmino dos Santos, participou da inauguração oficial do empreendimento Farinheira “Raiz da Terra”, no Assentamento Padre Josimo, município de São José do Povo, onde a comunidade, como todas as demais, demonstrou imensa alegria em conhecer orepresentante da Petrobras.

 

 Em todas as visitas o Gestor de Projetos da Petrobras, conversou com as comunidades, explicando sobre as metas sociais da Petrobras e as ações necessárias no projeto em andamento, esclarecendo duvidas e ouvindo os/as participantes do projeto, seus anseios e objetivos. Como coordenadora do Projeto a Bete e o Bento, coordenador da Associação “Dando as Mãos”, proponente do projeto, esclareceram ao senhor Marcos Firmino que as metas de construções se estenderão, ainda ate Janeiro de 2013, neste tempo serão construídos mais três empreendimentos para a conclusão das metas, sendo uma despolpadora de Frutas do Assentamento Geraldo Pereira, município de Juscimeira; um Abatedouro de frango do Assentamento Colina Verde, município de Pedra Preta e a Farinheira do assentamento Zumbi dos Palmares, município de Dom Aquino. Ainda no dia 09, por volta das 16h, após uma visita ao grupo de mulheres, que queriam conhecer o Gestor e tirar algumas duvidas sobre a seleção de projetos da Petrobrás, foi feita uma vistoria nas dependências do escritório da Associação “Dando as Mãos”, com a presença do Bento, Bete, Juliana, Shirley, Daniel, Rosana e o gestor.

 Na oportunidade o gestor verificou o sistema de arquivo de documentos fiscais e administrativos do projeto, bem como toda a instalação e os equipamentos adquiridos. Com relação aos objetivos propostos à Petrobras pela “Dando as Mãos”, e acordados no projeto, ficou demonstrado ao Gestor que estão sendo cumpridos: através das oficinas, cursos e seminários a formação/educação para o trabalho coletivo (associativismo, cooperativismo e humano) esta sendo desenvolvida; gradativamente esta havendo um aumento da renda familiar através da agregação de valores à produção por meio da construção dos empreendimentos e animação dos produtores; estaacontecendo a adequação da infra estrutura produtiva, logística e de comercialização por meio da aquisição dos veículos e contratação da equipe técnica do projeto; há, ainda, uma articulação e consolidação das parcerias entre os empreendimentos e os diversos seguimentos do poder publico e entidades civis locais. Foi observado, pelo Gestor um ponto vulnerável no processo, que é o cadastramento dos participantes do projeto que até o momento, no décimo oitavo mês, atingiu 1.530 cadastrados como beneficiados e que para estar em conformidade com o acordado precisa atingir 3000 (três mil) beneficiados; o problema foi sanado, ao ser apresentado para o gestor às listas de presenças dos seminários, encontros, oficinas, e fóruns e sob a inquisição do mesmo, se concluir que os cursistas, apesar de participantes do projeto, ainda não foram cadastrados, o gestor orientou a equipe para que faça o cadastramento e que se esforce no cumprimento do restante das metas. A uma equipe atenda e grata, a coordenação do Projeto, o Gestor, ainda, orientou sobre a necessidade de obedecerem aos principio da legalidade, em todas as transações efetuadas, bem como todos os cuidados que devem ter para com a documentação, se mostrou muito satisfeito com nossa equipe, executora do projeto “Desenvolvimento
Sócio Econômico dos Empreendimentos da Agricultura Familiar da Região Sul de Mato Grosso”.Depois de tanta ansiedade na espera desse momento e todas as orações para que tudo corresse bem, é na alegria do dever cumprido que entoamos ação de graças ao Deus da vida, que nos conduziu até aqui e continua conduzindo e orientando na missão que desenvolvemos, nos ajudando para que possamos gerar mais vida e esperança no meio de seu povo.

 “Entoai ação de graças, e cantai um canto novo...”

Daniel Horas e Elizabete Maria da Silva
 

 

Fórum de Economia Solidária!

"O discurso não é simplesmente aquilo que traduz as lutas ou os sistemas de dominação, mas aquilo porque, pelo que se luta o poder do qual nos queremos apoderar."

Michel Foucault

 

 

 

 

 

 

 

 

Querido amigos, é avançando na luta e com trabalho em rede e de forma solidária que partilhamos a reunião do Fórum de Economia Solidária que aconteceu no dia 10 de julho no Município de Rondonópolis, no salão de reunião das irmãs Catequistas Franciscanas. Teve inicio as 9:hrs da manhã com a presença e apresentação de  Entidades, coordenadores de ação de vários assentamentos, e associações de sete municípios da região. O grupo refletiu os seguintes temas proposto na pauta do dia:

Discussão da Proposta de Lei de Economia Solidária para a região;

Feira de Economia Solidária que ocorrera nos dias 04 a 06 de setembro;

Projeto Petrobras (Informações encaminhamentos);

Cursos de Agroecologia (Avaliação e Propostas);

Equipe de formação da Região Sul de Mato Grosso (Apresentação e adesão)

Discussão da proposta de formação de Uma cooperativa mista de Produção, Comercialização e Consumo Solidário;

A reunião do fórum de Economia Solidária terminou as 16: hrs depois de todos os assuntos serem discutidos e consessuados pelos presentes.

 Finalizamos com a esperança renovada e com a auto estima elevada  para continuarmos a luta!

 

Seminário Tecendo Saberes

 Por Rosana Cruz

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Nos dias 25 á 29 de Julho Rosana e Shirley participaram do seminário Tecendo Saberes, representando a Associação Dando as Mãos. O Seminário foi organizado pela Congregação das Irmãs Catequistas Franciscanas, juntamente com o Banco Pire e aconteceu em Dourados Mato Grosso do Sul, na casa das irmãs de São José de Chaberry. O encontro com a temática de Economia Solidária e Movimentos Sociais, contou com participantes de diversos lugares: Acre, Pernambuco, Rondônia, Palmares, Mato Grosso do Sul, Mato Grosso, Santa Catarina, Piauí.  Em um primeiro momento, na noite do dia 25, foi feita a apresentação dos os grupos, por meio de uma dinâmica criativa, onde os participantes costuravam um retalho, em um mapa, no estado onde realizam trabalho em Economia Solidária ou outros movimentos sociais. No segundo dia continuamos tecendo os fios,  os participantes foram divididos em dois grupos para partilhar experiências através de duas perguntas: O que não esta bom em nossa realidade? Por que a realidade estar assim?   Em seguida o grupo assistiu o vídeo "História da Coisa", onde foi mostrado o perfil  de uma sociedade consumista, que destrói a  pessoa humana,  e o meio ambiente em prol do desenvolvimento econômico que beneficia  grandes empresas, governantes e países de terceiro mundo, uma  verdade que causou indignação nos participantes. Neste mesmo dia o grupo também mergulhou sobre Economia Solidária e Financias Solidária através da experimentada realizada em Dourados- MS, e trazidas para serem refletidas no grupo. O grupo  foi convidado a começar a programção de  visitas aos empreendimentos de economia solidárias na cidade de Dourados, primeiramente o grupo visitou a loja Solidária no Shopping, um SINAL de resistência  no coração do Capitalismo. No dia seguinte,  27, o grupo fez a visita ao Banco Pire e ao ponto de Financias, onde escutou os empreendedores, suas experiências, conquistas, dificuldades e as metodologias usadas. Foi gratificante para os participantes poder sentir na fala de cada um a caminhada como grupo, e a importância  da paciência e muita perseverança para unir os ideais, algo que necessita investir tempo e toda energia possível, pois juntas as pessoas são capazes. O grupo Trouxe também a satisfação do trabalho realizado em conjunto, a circulação da moeda Pira Pire nos mercados, nas lojas solidárias e entre eles mesmo, e todo os benefícios que o microcrédito trouxe para a comunidade e empreendimentos. Seguindo a o roteiro da visita, a próxima parada foi na Fabrica de Chinelo gerenciado por dois sócios que construiram o empreendimento com o credito do banco comunitário. Visitamos também o grupo das costureiras que confeccionam roupas magnificas com retalhos vindos do sul, as mesmas expressaram sua alegria, a perseverança do grupo,o apoio do banco Pire e os benefícios que este empreendimento trouxe para comunidade. Também foi visitada a loja solidária no centro de Dourados, a pire produto de limpezas, um grupo que trabalha para o desenvolvimento da comunidade. No dia 28, a programação proposta era uma reflexão individual para refletir a metodologia usada e a partilha dos empreendedores na visita feita aos empreendimentos no dia anterior, o que foi seguido com muita tranquilidade. No período tarde refletiu-se o texto "Pedagogia do Oprimido", de Paulo Freire, baseados nesta pedagogia  os participantes se reuniu por Estado, com o objetivo de encontrar luzes diante da realidade que vivenciada.  Como todo o encontro é sempre motivo de muita alegria, o grupo organizou uma noite de recreação e confraternização, com direito a chocolate, pipoca e concurso de dança. Na manhã do dia 29 nove o grupo sentia-se realizado com os fios tecidos, e de forma criativa decidiu que tem que continuar a entrelaçar os fios, costurando um próximo encontro em Palmares- Pernambuco para 2014, na ultima semana de Julho, com a perspectiva de que antes disso, seja organizado um encontro por grupo de intense por regiões.

 

Olá Pessoal,Paz e Bem! Com alegria chego até vocês com a nona edição do jornal Dando as Mãos. Que chique, estamos cumprindo nossas metas com a Petrobras, não apenas na edição do jornal, mas em todas as atividades a que nos propomos realizar no projeto. É uma benção de Deus todo esforço realizado por cada um de nós, pois você também fez a sua parte, para que tudo desse certo. Continuemos, pois isso é apenas o começo, temos muito a realizar ainda. Vamos à luta para renovar o projeto, conseguirmos melhor  estruturação e garantirmos a auto sustentação. Temos a alegria de informar que no próximo mês teremos a visita de nosso gestor da Petrobras.  Com muito ânimo e esperança vamos recebê-lo e partilhar nossas experiências, conquistas, sonhos e realizações. Será sem dúvida um momento propício para celebrarmos tudo o que realizamos.  Essa edição tem muita coisa boa para lermos, gente que nunca escreveu artigos fazendo bonito. Vamos ler com atenção e prestigiarmos nossos companheiros/as. Uma Boa leitura.

Ir. Bete.  

Reuniões da Coordenação:

No dia 01 de junho a reunião da Coordenação da Associação Dando as Mãos foi no Assentamento João Pessoa, tendo como pauta a participação da Sueli e da Dorcelina no encontro dos Bancos Comunitários em Brasília, comercialização dos produtos e outros assuntos. Fomos prestigiados/as com um lanche maravilhoso e um delicioso churrasco preparado pelo Senhor Jerônimo e equipe local. No dia 29 o encontro foi no escritório da associação no município de Rondonópolis onde tivemos a oportunidade de comemorar os aniversariantes dos meses anteriores e seguindo a pauta com a avaliação dos coordenadores da equipe de formação nos assentamentos; partilha do trio Bete, Zé Mota e Eliane que participaram da cúpula dos povos; organização da feira da Economia Solidária que ocorrerá nos dias 04 a 06 de setembro; preparação do Fórum de Economia Solidária previsto para dia 20 deste mês, outros assuntos da pauta. Foram encontros importantes de avaliação, partilha da caminhada dos empreendimentos nos assentamentos e planejamento das atividades dos próximos meses da Associação.

Rosana Cruz (Responsável comunicação Ass. Dando as Mãos) 

 

 

Curso de Agroecologia

No período de 04 a 06 de junho, foi realizado na chácara Três Irmãos, no município de Pedra Preta, um treinamento para os agricultores familiares em sistemas Agroflorestais. Os participantes do evento foram agricultores familiares de vários assentamentos do município. O treinamento foi realizado por instrutores do Grupo Sementes de Chapada dos Guimarães, custeado pela Associação Dando As Mãos, através de recursos recebidos do fundo de solidariedade da Caritas Nacional.  No decorrer do treinamento foram mostrados vídeos de vários sistemas Safs, a fim de contribuir para o entendimento de como funciona a referida modalidade de produção, de modo a permitir que cada participante possa, ao retornar para as suas propriedades, começar seu sistema de plantio com ênfase nos sistemas safs.  Para a realização das aulas praticas a chácara Três Irmãos, através do proprietário o Sr Paulo Roberto Miolli, disponibilizou um espaço para a implantação do sistema agroflorestal.  A proposta é que o espaço sirva de ponto de referencia para formação em sistemas safs.

RosangelaDelfina de Barros (EMPAER de Pedra Preta) 

 

 

Assembléia da Associação Dando as Mãos

É com entusiasmo que partilhamos com vocês, a Assembleia da Dando as Mãos que aconteceu em 09 de  Junho no município de  São José do Povo, MT, no salão comunitário  do Assentamento Primavera com a  presença de aproximadamente um terço de sócios. Foram discutidos os seguintes assuntos: 1. Prestação de contas dos projetos em andamento desenvolvidos pala Associação Dando as Mãos: Petrobras, PNAE, PAA e Caritas Nacional; 2.Discussão do Estatuto da Cooperativa Mista Agropecuária de Produção, Comercialização e Consumo; 3.Organização e comercialização dos produtos dos sócios pela Associação Dando as Mãos até a fundação da cooperativa; 4.Outros assuntos relacionados à Entidade.As Irmãs secretárias das províncias da Congregação das Irmãs Catequistas Franciscanas, que estavam reunidas em Rondonópolis fizeram uma visita à assembleia. Chegaram com sorriso alegre e acolhedor, com curiosidade para conhecer os projetos e os empreendimentos. Nossos produtores com carinho e entusiasmo, cheios de orgulho e esperança, partilharam suas experiências na luta pela sobrevivência na terra, e a organização nos assentamentos, contando que a presença da associação Dando as Mãos trouxe muita força, organização e oportunidades, tanto para produzir como para comercializar como grupo, um grupo de Economia Solidária. Após alguns informes gerais sobre as próximas atividades da Associação e  agradecimentos da coordenação pela participação atenciosa e entusiasmada de todos, deu-se o encerramento da Assembleia, de onde saímos com a esperança renovada. Pelo estatuto todo sócio tem o direito e o dever de contribuir com as decisões da assembléia. Portanto, fique atento e participe você também que esteve ausente, da próxima assembléia que será em desembro.

Rosana Cruz (Responsável comunicação Ass. Dando as Mãos) 

 

 

Plenária de Economia Solidária da Região Sul de Mato Grosso

Tendo em vista a realização das plenárias estadual e nacional de Economia Solidária, no dia 27 de maio, a região Sul de Mato Grosso realizou a sua plenária no auditório da Escola Sagrado Coração de Jesus, em Rondonópolis, e contou com a participação de 73 pessoas, representantes do poder publico (EMPAER, Escola Wellingtton Flaviano Coelho, Representante da Secretária de Agricultura de Pedra Preta e da UFMT,) de entidades de apoio (RECID, MST e Irmãs Catequistas Franciscanas) , dos empreendimentos, tanto do campo quanto da cidade de sete municípios: Juscimeira, Dom Aquino, Pedra Preta, Rondonópolis, São José do Povo, Guiratinga e Poxoréu.  Entre os empreendimentos contamos com um grupo de indígenas da Aldeia Tadarimana.  Três grupos de  empreendedores apresentaram suas conquistas e dificuldades dentro do movimento de Economia Solidária. Baseados nessas conquistas e dificuldades construímos as prioridades, aquilo que acreditamos ser importante desenvolver em nossa região, no estado e no país. Foram propostas boas, vamos partilhar na próxima edição do jornal, pois é nossa
responsabilidade, depende de nós fazer acontecer. Elegemos 13 delegados e 05 suplentes para a plenária estadual, que acontecerá de 08 a 10 de agosto em Cuiabá com o tema: bem viver, cooperação e autogestão para um desenvolvimento justo e sustentável"     O processo foi bem democrático, procurou-se incluir todos os municípios participantes. De lá sairão os delegados à Plenária Nacional. Foi a Primeira plenária da qual participamos, a ultima, em 2008, não chegou até nós, mesmo que já estivéssemos mobilizados e atuando como Economia Solidária, não participávamos do movimento em nível de estado, muito menos a nível nacional.  É bonito olharmos para trás e vermos quantos passos dados, quanto já caminhamos! Continuemos, “Vamos juntos, que nesse caminho, ninguém sobra ou fica para traz”

Ir. Bete (Coordenação Associação Dando as Mãos).

 

Formação nos Assentamentos:

É com alegria partilho com vocês a rica experiência realizada pela Equipe de Formação da nossa região,  que integra Assentados, Irmãs e parceiros da Empaer. São 09 pessoas: Bento, Marta, Dorcelina, Sueli, Elaine, Rosângela e Iracy (que esta afastada, pois é candidata a vereadora pela Pedra Preta)  e as Irmãs Bete e Rosana. Esse grupo marcou presença em dez assentamentos de nossa região no mês de junho, dialogando com os grupos na reunião mensal, com o tema finanças solidárias:Fundo Rotativo e Bancos Comunitários. Na reunião da coordenaçãoos trabalhos foram avaliados, pelos coordenadores dos assentamentos, e o grupo foi unânime em afirmar que está sendo muito bom, e que esse trabalho deve continuar.  No dia 09/07 a equipe se avaliou e concluiu que a prática é mesmo muito positiva, contribuindo muito para a autoformação dos integrantes da equipe. Assim, no mês de Julho a equipe passará novamente em todos os assentamentos, agora com um novo assunto: cooperativismo.

Rosana Cruz (Responsável comunicação Ass. Dando as Mãos) 

 

 

Processo de Organização da Cooperativa:

Estamos articulando, há dois anos, a comercialização de nossos produtos através da Associação “Dando as Mãos”, mas isso tem provocado vários transtornos, pois a associação é uma entidade sem fins lucrativos e legalmente não pode distribuir renda aos seus sócios. Com muita luta, união e esforço de nosso grupo, durante este período, conseguimos vencer as dificuldades, as burocracias e vender a  produção.  Após varias reflexões chegamos a conclusão de que precisamos organizar uma cooperativa. Já foram dados alguns passos, tais como a criação de uma comissão para estudo de uma proposta de estatuto para a cooperativa e apresentação parcial da proposta na assembleia da Dando as Mãos. Ainda temos alguns encaminhamentos a serem dados para efetivar o projeto de registro da cooperativa como discutir nas reuniões locais do mês de julho, com a equipe de formação, o tema cooperativismo. Tem alguns pontos que são muito importantes, entre esses o valor do capital social, o nome, a data da assembleia e a divisão de recursos da cooperativa, entre outros. Esta é a oportunidade de todos aprofundarem e socializarem conhecimentos sobre cooperativismo, que é um principio da Economia Solidaria, e participar com sugestões, para juntos construirmos a entidade que nos representará na comercialização de nossa produção. Bom estudo a todos e todas nós.

Bento Carlos Moura (Coordenador
Associação Dando as Mãos / Ass. Esperança)

 

 

Curso de Formação dos Bancos

No dia 04 de junho, a Dorcelina e Sueli, responsáveis pelo Banco Cerrado viajaram com destino à Brasília, para participar de um Curso dos Bancos Comunitários. O Curso aconteceu no espaço da Caritas Nacional, onde foi trabalhado o tema sobre comunicação, com a assessoria da companheira Clélia residente em São Paulo. Este foi um tema  proposto no encontro dos Bancos Comunitários que aconteceu no Município de Rondonópolis no mês de março, oportunidade em que foi inaugurado o Banco Cerrado. Neste encontro, do grupo do Centro Oeste, teve a participação de vários representantes de diversos municípios da Região Sudeste que também exerce o trabalho com Banco Comunitário, alguns já estão trabalhando como Banco na região e outros ainda vão ser inaugurados. Foram partilhadas as dificuldades e as experiências já realizadas nas duas regiões, um momento muito importante  para todos os participantes. Também houve a oportunidade dos participantes prestigiarem a inauguração do Banco Estrutural cuja moeda tem o nome de Conquista. Pode-se dizer que foi um momento muito rico para os participantes e conseqüentemente para os trabalhos desenvolvidos em nossa região com os nossos grupos nos assentamentos.

Dorcelina Souza Lanzoni (Coordenação Banco Cerrado / Ass. Padre Josimo)

 

 

Cúpula dosPovos:

A Associação Dando as Mãos conseguiu duas vagas, para dois assentados representar o grupo na Cúpula dos Povos, que aconteceu em paralelo a Rio +20 no Rio de Janeiro, especificamente no Aterro do Flamengo. Foram contemplados, Zé Mota do Assentamento João Pessoa, e a Eliane do Assentamento Esperança. Chegamos animados  entusiasmados, participamos de varias reuniões, Plenárias e Assembléias. Tive a oportunidade de ouvir pessoas de vários países que defendiam assuntos como meio ambiente, reforma agraria, agroecologia, economia solidária, e produção sustentável e tantos outros. Marquei presença em uma reunião dos bancos comunitários, onde tinha gente de diversos estados do Brasil e de diferentes países do mundo e  partilhei nossa experiência do Banco Cerrado nesta região.

José Maria Silva da Mota (Vice coordenador e motorista da Associação Dando as Mãos /Ass. João Pessoa )

 

A cúpula dos povos aconteceu no aterro do flamengo, com uma grande diversidade de tendas que abordavam diferentes assuntos. Dentre eles os que mais me chamaram a atenção foram os da Tenda Milton Santos, que abordava o assunto do agrotóxico e sustentabilidade. O Brasil é o maior consumidor de agrotóxico do mundo e cada Brasileiro consome em media cinco litros de agrotóxico por ano. Este foi o fio da meada para a grande discussão sobre a imensa dificuldade que temos em desenvolver a sustentabilidade urbana e rural. A situação reflete a ausência de uma política nacional de desenvolvimento que integre e financie os projetos setoriais de habitação, mobilidade, transporte e gestão territorial. O enfretamento dos problemas começou exatamente por este meio, a articulação na busca de resultados que perpetuem e rendam frutos também para as futuras gerações. Participei também no dia 17 da plenária com o tema: TRABALHO: POR OUTRA ECONOMIA E NOVOS PARADIGMAS DE SOCIEDADE. Chamou-me atenção quando o apresentador falava dos agricultores familiares, que hoje vem tentando fazer com que a sustentabilidade ganhe maiores proporções. Percebe-se que o capitalismo, o poder econômico, politico vem tomando controle dos recursos naturais e dos territórios das populações e seus conhecimentos. Participamos também da marcha das mulheres onde mais de 5.000 mulheres reivindicaram políticas públicas em favor das trabalhadoras urbanas e rurais. O grito foi também  pela resistência a mercantilização da vida, em
defesa dos bens comuns da humanidade, pelo direito à justiça socioambiental, pela igualdade entre homens e mulheres de todas as etnias, por um mundo sem desigualdade, sem o racismo, sexíssimo e sem homofobia, por um mundo de igualdade e harmonia com a natureza.  Estive também na discussão da Educação popular e Bem Viver, onde o palestrante falava dos Bens comuns, “água”, reconhecimento dos saberes dos povos Indígenas e quilombolas. A RECID fez uma roda de conversa sobre uma sociedade diversa, para a qual temos que sair do individualismo e passarmos para o coletivo, para restaurarmos e resgatarmos valores esquecidos e criarmos a sociedade do Bem Viver. Ficou como um ponto muito importante para mim quando frei Marcelo Barros colocou uma musica de Rolando Poutrin, onde falava dos saberes dos povos e fazia referencia a simbologia e as experiências dos Biomas da Caatinga, Pantanal, Mata Atlântica e Pampa. Participamos ainda das atividades de uma tenda proposta pelo fórum nacional de Economia Solidária. Ouvimos vários palestrantes e  depois do debate rico do grupo que compunha a mesa, também tivemos nossa vez de contribuir como Produtores Rurais com participaçãode seu Zé Mota.

Eliany Rosa Ramos (Ass. Esperança) 

 

 

Lei de Economia Solidária:

Em nossa região, uma equipe da “Dando as Mãos” se reuniu no mês de maio e agora em julho, para pensar e elaborar uma proposta de lei a ser apresentada na reunião do Fórum de Economia Solidária no dia 20 de julho. Esse assunto vem sendo discutido ao longo dos últimos três anos. Na ultima reunião do fórum, foi atribuida a responsabilidade para os representantes dos sete municípios presentes, sendo que em Rondonópolis ficaram dois grupos responsáveis: Um grupo formado pela equipe da EMPAER, Secretária de Ação Social, Banco da Gente e Secretária de Agricultura. Outro grupo era formado pela equipe da “Dando as Mãos”, até agora a única a cumprir a tarefa. O combinado era que cada equipe enviasse a proposta até o dia 11 de junho, para o escritório da “Dando as Mãos”, assim a equipe de sistematização teria tempo de fazer uma junção e apresentar uma proposta final.  Mas independente disso, visando o Desenvolvimento de nossa região, a “Dando as Mãos” construiu a proposta que será encaminhada para todos/as, e democraticamente, no dia 20/07, todos os grupos poderão dar sua contribuição na construção de uma proposta de lei que contemple todos os municípios participantes do fórum. A Lei de Economia Solidária criará no âmbito legal a política municipal de fomento a Economia Solidária, também vai prever a participação e controle social das trabalhadoras/trabalhadores e entidades de apoio e fomento da Economia Solidária por meio do conselho municipal de Economia Solidária. Legal, não? Portanto, vamos participar em nossos assentamentos, dando sugestões, para que a nossa lei tenha a cara de todos nós!

Ir. Bete (Coordenação Associação Dando as Mãos) 

 

 

Programação das Atividades 

AGOSTO

Dia

Hora

Atividade

Onde

03

9.00

Reunião da Coordenação

Assentamento Esperança e Pe. Josimo.

04

 

Núcleo de Rondonópolis

 

06-08

 

Visita do Gestor da Petrobras

 

08-10

 

V Plenária Estadual de Economia Solidária

Cuiabá

10

14.00

Reunião mensal

Colina Verde

15

14.00

Reunião mensal

Zumbi dos Palmares

16

14.00

Reunião mensal

Márcio Pereira

17

14.00

Reunião mensal

Geraldo Pereira

18

09.00

Curso de Homeopatia

 

18

15.00

Reunião mensal

Esperança

23

14.00

Reunião mensal

Carlos Mariguela

24

09.00

Reunião mensal

João Pessoa

24

14.00

Reunião Mensal

Salete Strozak

27

09.00

Reunião do Banco Comunitário

Sede da Dando as Mãos

29

 

Entrega dos cadastros

 

30

14.00

Reunião mensal

Pe. Josimo

31

09.00

Reunião da Coordenação

Org. Pedra Preta, Juscimeira e Marcio Pereira.

 

SETEMBRO

Dia

Hora

Atividade

Onde

01

14.00

Semana
  Social da Dioc. De Roo

Diocese
  Roo

04-06

 

Feira
  de Economia Solidária

Feira
  Vila Aurora- Roo

13

14.00

Reuinão
  mensal

Primavera

14

14.00

Reunião
  mensal

Colina
  Verde

14

14.00

Reunião
  mensal

Pe.
  Josimo

15

09.00

Curso
  de Homeopatia

 

15

15.00

Reunião
  mensal

Ass.
  Esperança

19

14.00

Reunião
  mensal

Zumbi
  dos Palmares

20

14.00

Reunião
  mensal

Márcio
  Pereira

21

14.00

Reunião
  mensal

Geraldo
  Pereira

24

 

Reunião
  do Banco Comunitário

Sede
  da Dando as Mãos

26

 

Entrega
  dos Cadastros

 

27

14.00

Reunião
  mensal

Carlos
  Mariguela

28

09.00

Reunião
  mensal

João
  Pessoa

28

14,00

Reunião
  Mensal

Salete
  Strozak

 

Cúpula dos Povos. 

 

Por: Elizabete Maria da Silva

Olá Companheiros/as, Paz e Bem!

Estamos chegando do Rio de Janeiro, onde estivemos participando da Cúpula dos Povos, que aconteceu no aterro do Flamengo de 15 a 23 de junho. Foi um importante momento de construção popular envolvendo diversos movimentos sociais. De nossa região participou a Elizabete Maria da Silva, Irmã Catequista Franciscana, o Seu José Maria Silva da Motta, assentado no Assentamento João Pessoa do município de São José do Povo e a Eliany Rosa Ramos, assentada no Assentamento Esperança, município de Rondonópolis. A Bete foi com Recursos das Irmãs Catequistas Franciscanas, o Seu José Motta, e a Eliany, foram com recursos de um projeto feito, pela “Dando as Mãos” à Caritas nacional, privilegiando a participação de dois agricultores no fórum social Temático que aconteceu em Porto Alegre de  24 a 29 de janeiro de 2012 e dois agricultores na Cúpula dos Povos, que foi  uma organização da sociedade civil, com o objetivo de apresentar uma proposta socioambiental baseada no cuidado e na responsabilidade coletiva por tudo que nos cerca.

A Cúpula dos Povos aconteceu durante o encontro dos lideres governamentais de vários países do globo, que trabalhavam na elaboração do documento da ONU cujo lema central era “O Futuro que queremos”, que não é outra coisa senão o prolongamento do que já vivemos hoje, e que comprovadamente não nos serve, pois é a causa da destruição dos bens naturais em detrimento do consumo desenfreado, da acumulação, afetando a todos, especialmente os países pobres. O nosso grupo conseguiu hospedagem com a companheira Maria Eunice Barbosa, ex- religiosa, que mora no Rio de Janeiro, na Tijuca.  Todos os dias o grupo enfrentava o metro lotado, pois o Rio de Janeiro foi literalmente ocupado por pessoas de diferentes lugares do Brasil e do mundo. Iam animadas/o com todas as atividades que tínhamos pela frente, participando das discussões conforme a área de interesse: agricultura familiar e sustentabilidade, Economia Solidária, Educação Popular. O Aterro do Flamengo, onde aconteceu evento, é um lugar lindíssimo! Todo espaço ocupado tinha uma proporção de mais ao menos 2,5km, faziam isso várias vezes ao dia, a pé, buscando as tendas onde aconteciam as atividades que nos interessavam, ou simplesmente apreciando a criatividade nas apresentações culturais e religiosas. Às vezes ganhávam uma carona nos carrinhos elétricos que circulavam por lá, uma cortesia da Caixa Econômica para facilitar o transporte das pessoas idosas ou com crianças.

Vale destacar a presença de religiosas de diversas congregações inseridas em diferentes movimentos sociais, entre as Irmãs Catequistas Franciscanas participando, havia dezoito participantes das diferentes províncias do Brasil. Encantou e causou grande admiração a coragem e a disposição das que ficaram com o povo em alojamentos, enfrentando a dificuldade para uso dos banheiros, filas para pegar a “quentinha” e todos os transtornos que se possa imaginar. Ainda assim, havia alegria na participação em todas as atividades da Cúpula. Foram um bonito testemunho, motivo de inspiração e impulso na missão. O grupo de articulação da cúpula, formado por mais de 50 redes nacionais e internacionais, utilizou uma metodologia fundamentada em três eixos: denunciar as causas da crise socioambiental, apresentar soluções práticas e fortalecer os movimentos sociais do Brasil e do mundo, propondo agendas comuns de luta. A proposta era expor à sociedade civil as crises socioambientais e suas causas, bem como as soluções já encontradas e vivenciadas pelos povos, mas não consideradas pelos participantes da Rio + 20 oficial.

Algumas atividades foram pensadas buscando alcançar esses eixos propostos, tais como as atividades autogestionárias, que foram apresentadas por distintos movimentos, um exemplo foi a atividade proposta pelo Fórum Brasileiro de Economia Solidária – FBES, a Rede Intercontinental de Promoção da Economia Social e Solidária – Ripess Lac e o Secretariado da Cáritas Latino Americano e Caribe – Sellac com o tema “Desenvolvimento Sustentável e Solidário nos territórios: Estratégia de outra Economia”, contou com os debatedores Paul Singer, Professor Boaventura de Souza dos Santos e outros. A proposta era dar visibilidade  a iniciativas e experiências na construção de alternativas para um desenvolvimento justo e sustentável na América latina, ligadas à Economia Solidária, Agroecologia, Soberania Alimentar, Justiça Social entre outras. Foi uma atividade extremamente concorrida, com uma grande presença da juventude. Outra atividade extremamente interessante foi a proposta pela Rede de Educação Cidadã – RECID, cujo tema era “Educação Popular e Bem Viver”, que contou com a participação de Marcelo Barros. Entre outras, havia, ainda, a atividade proposta pelos franciscanos/SINFRAJUP participantes da Cúpula, “Critica a economia verde e abordagem alternativas: construindo com os povos”, com a participação de Leonardo Boff e outros.   Na metodologia proposta pelos organizadores, houve também as Plenárias de convergência, onde a participação era livre, por área de interesse, foram cinco plenárias: 1. Direito por justiça ambiental; 2. Defesa dos bens comuns contra a mercantilizarão; 3. Soberania alimentar; 4. Energia e Indústria Extrativas e 5. Trabalho: Por outra Economia e novos paradigmas de sociedade. Nessas plenárias foram levantadas as causas da crise ambiental mundial, bem como as alternativas vivenciadas pelos povos, e construídas agendas de lutas para fortalecimentos dos movimentos sociais. As propostas construídas foram levadas para as Assembléias dos Povos, que aconteceu em três etapas, onde foi trabalhado o documento final da Cúpula, uma síntese das cinco plenárias. 

Houve muitas mobilizações de massa, cujo objetivo era a conscientização dos participantes e demonstração de forças do povo mobilizado, tais como marcha das mulheres; marcha dos indígenas (um grupo considerável na Cúpula, vindo de diversos locais do país e da América latina); marcha ré (proposta pelos jovens); marcha de apoio aos desalojados pelas construções em vista da copa de 2014; mobilização de apoio a Fernando Lugo, presidente deposto do Paraguai e a fantástica Marcha Global, que incluiu todos os grupos étnicos e geracionais.

Durante todo o evento houve a participação dos empreendimentos de economia solidária e agroecologia, por meio da tradicional feira e espaços de alimentação natural. As atividades dos jovens foram muitas e merece destaque, pois eram muitos jovens presentes no evento, de diversos grupos e movimentos, demonstrando interesse e desejo de unir forças. Além das atividades no aterro, os jovens tiveram atividades próprias nos acampamentos.

Concluímos dizendo que durante todo o evento houve momentos fantásticos de fortalecimento da mística da militância e renovação da esperança. Esperança gestada e vivenciada no eco do grito de milhares de pessoas de diferentes grupos do mundo, que se uniu para expressar que não quer esse modelo de desenvolvimento baseado no capital, fundamentado na exploração da natureza, da mulher, dos povos tradicionais e das florestas. Esperança de um mundo mais irmão, mais solidários, mais includente e igualitário. Um mundo que já esta em plena construção, tecido nas teias do velho mundo.

Portanto repetimos o grito que ainda ecoa no coração, “Globalizamos a Luta, Globalizamos a esperança”! Rasgando espaço, rompendo barreiras, vai raiando o mundo que a gente quer!

*Elizabete Maria da Silva é associada da "Dando as Mãos".

  

Uma rede se tece com muitos fios 

Por: Eunice Barbosa

 

Segundo o dicionário Aurélio, marcha significa: caminhada a pé, modo de andar, ato ou efeito de marchar, progredir, avançar, ir em busca. Segundo a Cúpula dos Povos, marcha significou reunir cerca de 80 mil trabalhadores e trabalhadoras, homens e mulheres, jovens e crianças de diversas partes do mundo na Avenida Rio  Branco, centro financeiro e comercial da cidade do Rio de Janeiro/RJ para juntos protestar contra a violência e destruição da VIDA em todas as suas formas de expressão.

Ao tempo em que dançavam a ciranda da esperança, os representantes dos povos, raças, etnias e nações manifestavam desejo de mais pão em vez de bombas, de liberdade de expressão e decisão; reivindicavam o direito de ter um futuro, de partilhar dos bens comuns como água, energia e terra; repudiavam a dita economia verde e sugeriam a economia solidária como modelo de desenvolvimento baseado na solidariedade entre os povos, no respeito ao ser humano, às culturas e ao planeta.  Ao final da marcha, na Praça da Cinelândia, ficou evidenciado que a Cúpula dos Povos é também a Cúpula da Esperança. Se no Riocentro, onde reunidos delegações e chefes de Estados, a redação final do documento oficial tem caráter desanimador e frustrante, no Aterro do Flamengo, onde reunida a Cúpula dos Povos, predomina a confiança e esperança em suas organizações  e ações articuladas e solidárias.

Os povos marcharam para dizer que persistirão unidos e em luta. Marcharam para dizer que juntos são os fios que tecem a mesma rede; que “um outro mundo é possível” e está sendo gestado, aqui e agora. Um mundo sustentável porque economicamente justo, socialmente inclusivo e ecologicamente correto. 

*Eunice Barbosa é Coordenadora de Gestão Ambiental na Justiça Federal do Rio de Janeiro.

 

VIDEO DA ASSOCIAÇÃO DANDO AS MÃOS!

POR UMA ECONOMIA JUSTA E SOLIDÁRIA DANDO AS MÃOS É MELHORAssim... A nossa missão de família na terra é descobrir nosso próprio caminho. Nunca seremos felizes se vivermos um tipo de vida idealizado por outros. Mas que devemos dar as mãos, porque só assim seremos milhões, na busca da transformação do bem viver da justiça social e da solidariedade”.

 

 

Reunião da Coordenação da Associação Dando as Mãos.

 

 

 No mês de Junho teremos as seguintes Atividades!

 01– 9h Reunião da Coordenação – Org. João Pessoa e Salete Strozak

02 a 03Governo Ampliado _ Irmãs Prov. Santa Teres

 04– 0614h Curso de Agroecologia na Pedra Preta com o Grupo Semente de Chapada

 08– 14h Reunião do Assentamento Colina Verde

 09 – Assembleia geral da “Dando as Mãos” no Assentamento Primavera;

14-14h Reunião do Assentamento Primavera

 15 a 23 – Cúpula dos Povos por Justiça social e Ambiental contra a mercantilização da vida em defesa dos bens comuns – Rio de Janeiro/RJ

 16-9h Curso de Homeopatia

21-14h Reunião do Assentamento Márcio Pereira

22-14h Reunião do Assentamento Salete Strozak

22-9h Reunião do Assentamento João Gomes Pessoa

 23-16h Reunião do Assentamento Esperança

 25-8h: 30mim Reunião do Banco Comunitário

26-14hrs Reunião do Ass. Pe Josimo

27-14h Reunião Assentamento Zumbi Dos Palmares

27- Entrega dos Cadastros

28-14h Reunião do Assentamento Carlos Marighella

 28- 14hrs do Assentamento Carlos Marighella

30- 13hrs Reunião do Assentamento Esperança

9-06- Proposta de Reunião da Coordenação 

 

 

 


33 comentários

  • 0148f2004412ed67a399aea47b8b47a1?only path=false&size=50&d=404dorcelina (usuário não autenticado)
    30 de Junho de 2012, 20:32

     

    o dezafio e esse se mao dermos a cara nada se muda no nosso pais


    • Person minor(usuário removido)
      27 de Setembro de 2012, 14:54

      olá! Dorce!!!!!!!!!

      E ISSO AI MINHA QUERIDA COMPANHEIRA!!!!!!!!1MAIS DANDOAS MAIS VAI SER MELHOR, E SÓ SE CONSTROI UMA CASA COM MUITOS TIJOLOS....
      ENTRA NOS CIRANDAS E VER AS NOVIDADES OK!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!


      • Person minor(usuário removido)
        27 de Setembro de 2012, 15:03

        OLÁ

        Na reunião de domigo a assembleia é para levar algo para o lanche e café da manhã organizar o povo do seu assentamento e ver algué para ajudar na cozinha... A associação vai dar o combustivel... e Você transmiti esta noticia a quem vc encontra elizangela , zé mota e os demais!!!!!!!!!!!!!!!!!!!


Enviar um comentário

Os campos são obrigatórios.

Se você é um usuário registrado, pode se identificar e ser reconhecido automaticamente.

Cancelar

Assentamentos de Rondonópolis

RONDONÓPOLIS - MATO GROSSO - Brazil

Artigos E Fotos!!!!!