Ir para o conteúdo
Mostrar cesto Esconder cesto
Tela cheia

Livros

17 de Maio de 2016, 16:36 , por Débora Nunes - 0sem comentários ainda | Ninguém está seguindo este artigo ainda.
Visualizado 2112 vezes

1

        2001

Auroville fr200

Cette publication est le produit d’un projet pilote réalisée dans le cadre d’une thèse de Doctorat en Urbanisme. La Mairie de Salvador, ayant approuvé la méthodologie participative proposée, avait promis de mettre à l’œuvre les résultats issus de ce processus. Cette expérience s’est passée dans la périphérie de Salvador/ Bahia/Brésil, dans le quartier nouveau
de Vila Verde. Les 500 familles qui sont venues habiter ce quartier ont été victimes de graves accidents de glissements de terrains survenus lors des pluies de mai-juin 1995. Originaires de plusieurs quartiers populaires de Salvador, elles ont commencé à refaire leur vie à Vila Verde. J’ai ainsi pu observer depuis le début la dynamique du quartier et tester une méthode participative dans un terrain presque vierge.

 

 

 

 

 

 

        2002

Auroville fr200

 

Este livro é o produto de uma experiência-piloto, realizada no bairro de Vila Verde, na pe-riferia do município de Salvador, (BA). Trata-se de um bairro projetado pela Prefeitura, e as500 famílias que, inicialmente, deslocaram-separa o local, o fizeram por se encontraremdesabrigadas, depois dos graves desabamentosde terra e de residências ocorridos durante aschuvas de maio e junho em 1995. Origináriasde diferentes regiões populares de Salvador, es-sas famílias começaram a reconstruir suas vidasem Vila Verde e, em razão disso, tornou-se pos-sível observar desde o início a dinâmica do bairroe testar um método participativo em um terre-no praticamente virgem.

 

 

 

 

 

     

        2009

 “Eis finalmente um manual de incubação de cooperativas populares,a completo, oferecendo uma ampla visão histórica do projeto socialista, que hoje se consubstancia cada vez mais na economia solidária, um histórico do ressurgimento desta última, a partir da globalização elvagem, possibilitada pelo triunfo do neoliberalismo. A abordagem histórica é sempre a mais didática por oferecer uma visão abrangente do encadeamento de causas e efeitos e por isso serve como introdução indispensável à compreensão do papel singular que a economia solidária desempenha no panorama de crise que envolve a esquerda hoje em dia, em quase todos os países.”    

(Da apresentação de PAUL SINGER)

 

 

 

 

 

 

        2012

Sobriedade feliz capa pequena

 Este texto inspirador, que tem a largueza do mundo e a singeleza do cotidiano, origina-se em uma palestra realizada pelo filósofo francês Patrick Viveret. O desafio de ser feliz com simplicidade, em conexão construtiva e criativa consigo mesmo, com os outros e com a Natureza, é o seu objeto. Este mesmo objetivo é vislumbrado na rede de eventos intitulada “Dialogues en humanité”, da qual Patrick Viveret é co-fundador e que pode ser conhecida no site http://dialoguesenhumanite.org/ Patrick Viveret foi Conselheiro do Tribunal de Contas do governo francês e relator da missão governamental “Novos fatores de riqueza”, encomendada pela Delegação Interministerial para a Inovação e a Economia Social.  Esta pesquisa deu origem ao livro “Reconsiderar a riqueza”, que tornou Patrick Viveret um intelectual de renome na França e na Europa. Além de autor de diversos livros, Patrick Viveret é um filósofo engajado nas causas das transformações pessoais e sociais e ativista em diversas instituições e publicações.  

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

        2014

 “Atores engajados da economia solidária, empreendedores prontos para mudar o olhar sobre a economia e sobre o mundo, usuários de moedas sociais, adeptos das trocas de bens e das trocas de saberes, atores da rede cidades em transição, moradores de ecobairros e de ecovilas, membros de alianças cidadãs de todos os gêneros, fóruns sociais de diversos horizontes, pactos de associações e de cidadãos, grupos informais de cidadãos que se sufocam sob o jugo de uma sociedade com prazo de validade vencido, políticos prontos a correr os riscos de saírem da lógica partidária, criativos culturais, cooperadores de todos os países: uni-vos!”

 

 Acesse o livro completo aqui.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

        2016

Auroville fr200

 O Brechó é uma inovação no campo da ação coletiva cidadã que mostra como novos modos de ação social estão se consolidando. São ações voluntárias e colaborativas em torno de um objetivo comum e que são “horizontais”, ou seja, realizadas sem hierarquia, de forma aberta e multifacetada. O interesse por um maior conhecimento dessas práticas se destaca em momento de crise do sistema de democracia representativa em todo o mundo, pois elas mostram uma nova maneira de agir na cena pública. A renovação dos modelos políticos de governo de instituições, cidades, estados e países, provavelmente virá dessas novas formas de organização, que demonstram enorme criatividade, além de vigor e longevidade, como é o caso do Brechó EcoSolidário. Perceber, com algum distanciamento histórico, o quanto essas  14 experiências serão essenciais na renovação da democracia no mundo, pode ter sido um élan para algumas pessoas que veem organizando o Brechó todos esses anos, para construir novas práticas e perseverar em face das inúmeras dificuldades, cultivando a alegria no engajamento.

 

  

 

         2017

Auroville fr200

O livro é resultado de dois seminários organizados pelo “Projeto Novos Paradigmas: pensar, propor, difundir”, realizado pela Abong e pelo Iser Assessoria, que reuniram especialistas, militantes e outros profissionais parceiros. Muitas foram as contribuições recolhidas desses seminários – um de 2015 e outro de 2016 -, cujos conteúdos são apresentados na publicação visando a contribuição para estimular na sociedade o debate sobre alternativas ao modelo de desenvolvimento dominante.

 

Débora Nunes - Como reinventar a democracia? (pg. 110-116)

Débora Nunes e Marcos Arruda - O AGORA, A VISÃO ESTRATÉGICA E A TRANSIÇÃO (pg. 144-165)

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

        2019

Auroville fr200

 Esse conto fala do futuro do planeta através da história de Indra, cidadã do mundo. Ao invés de negar o colapso ambiental e civilizacional, ela o aceita como uma oportunidade única de reconstrução do mundo em outras bases. Indra é parte das pessoas que escolhem viver como gostariam que o mundo fosse, que transformam-se para que o mundo possa se transformar. Já quase centenária, ela nos conta o que aconteceu e mostra como valeu a pena. A história de Indra, que vive na cidade de Auroville, na India, em 2046 é o conto que acompanhará o último capítulo do livro “A humanidade em evolução”, em elaboração e mostra um futuro possível.

 

 

 

 

Auroville, 2046 - Depois do fim de um mundo
Auroville, 2046 - After the end of one world
Auroville, 2046 - Après la find'un monde
Auroville, 2046 - Dopo la fine di un mondo
Auroville, 2046 - Después del fin de um mundo (Español)
Auroville, 2046 - Después del fin de um mundo (Catalán)

 

 


0sem comentários ainda

    Enviar um comentário

    Os campos são obrigatórios.

    Se você é um usuário registrado, pode se identificar e ser reconhecido automaticamente.

    Cancelar