Ir para o conteúdo
Mostrar cesto Esconder cesto
Tela cheia Sugerir um artigo

Notícias

12 de Janeiro de 2009, 22:00 , por Desconhecido - | Ninguém está seguindo este artigo ainda.
Notícias publicadas no portal oficial da UFRB e clonadas nessa comunidade.

Cineclube Mário Gusmão abre chamada para dossiê temático da Mostra Sissako

31 de Julho de 2017, 9:44, por UFRB - Universidade Federal do Recôncavo da Bahia - 0sem comentários ainda

O Cineclube Mário Gusmão, projeto de pesquisa e extensão vinculado ao curso de Cinema e Audiovisual da Universidade Federal do Recôncavo da Bahia (UFRB), convida todos interessados em cinema do continente africano para inscreverem seus trabalhos no dossiê da Mostra Sissako. Os textos devem ser enviados até o dia 30 de setembro para o email: cinemariogusmao@gmail.com.

Os autores devem observar as normas para o envio. Serão aceitas contribuições de críticas, artigos e/ou ensaios que analisem um ou mais aspectos da filmografia ou trajetória de Abderrahmane Sissako, bem como resenhas sobre a masterclass realizada pelo cineasta em Cachoeira. Os textos devem ter no máximo cinco laudas e serem finalizados no formato Word ou compatível. 

Na quarta-feira, dia 02 de agosto, às 19h, no auditório do Centro de Artes, Humanidades e Letras (CAHL), em Cachoeira, haverá o lançamento da Chamada de Textos com uma sessão especial da Mostra Sissako. Serão exibidos os curtas: O jogo (1991), Outubro (1993) e Dignidade (2008).

Sobre o grupo

O Cineclube Mário Gusmão busca incentivar a prática cineclubista e a formação de plateia, ampliando o acesso e a reflexão crítica sobre e a partir do cinema baiano e brasileiro. São realizadas sessões semanais e/ou quinzenais, sempre às quartas-feiras, às 19h30, no Auditório do CAHL e no Cine Theatro Cachoeirano.



UFRB realiza Simpósio Internacional em Tecnologias Educativas e EaD

28 de Julho de 2017, 20:45, por UFRB - Universidade Federal do Recôncavo da Bahia - 0sem comentários ainda

A Universidade Federal do Recôncavo da Bahia (UFRB) realizou na noite da última quinta-feira, 27 de julho, a abertura oficial do I Simpósio Internacional em Tecnologias Educativas e EaD (SITEE 2017), no campus de Cruz das Almas. A iniciativa foi realizada pela UFRB por meio da Superintendência de Educação Aberta e a Distância (SEAD) e reuniu professores, pesquisadores e estudantes que estudam as tecnologias educativas como objeto de investigação.

O evento acadêmico atraiu mais de 5.500 inscritos e obteve mais de 3 mil visualizações de participantes que acompanharam toda a programação do evento através da transmissão online.  Os internautas puderam ainda contribuir simultaneamente com as discussões por meio de perguntas enviadas em um chat durante a transmissão.

A cerimônia de abertura realizada no auditório da Biblioteca teve início às 19h e contou com as presenças da vice-reitora, Georgina Gonçalves; da pró-reitora de Pesquisa, Pós-Graduação, Criação e Inovação (PPGCI), Rose Mubarack; do representante da prefeitura de Cruz das Almas, Mário Araújo dos Santos; do superintendente de Educação Aberta e a Distância, Ariston Cardoso; e do Coordenador Adjunto UAB da SEAD. Adilson Gomes dos Santos.

A vice-reitora Georgina Gonçalves deu as boas vindas aos participantes do evento e destacou o compromisso da UFRB com a expansão do ensino superior através da institucionalização da ead na instituição. “As novas tecnologias dizem respeito às exigências da contemporaneidade, e por isso mesmo contribuem com uma educação mais democrática e arrojada para um novo tempo. Nós somos uma Universidade do século XXI”, disse.

O superintendente de Educação Aberta e a Distância, Ariston Cardoso, destacou a grandeza do evento e a expansão das fronteiras da UFRB por meio do ensino a distância.“ É muito prazeroso perceber um auditório lotado como esse de hoje, mas ainda é mais motivador saber que estamos transmitindo ao vivo para  mais de 4.000 pessoas, entre esses diversos estudantes que compõem os 62 polos de educação a distância da Bahia, ou ainda os 750 polos de educação a distância do Brasil. Nosso auditório foi preenchido também com professores, servidores, estudantes e pesquisadores de outras universidades. Então isso nos deixa motivados para que possamos construir um segundo ciclo e eu posso afirmar para vocês que o primeiro ciclo foi vencido com muita determinação e perseverança. Então esse é um momento muito importante para diversidade e agora vamos partir para um segundo grande ciclo dessa instituição no qual estaremos pensando em ações de institucionalização da EaD”, explicou Ariston.

O conferencista convidado foi o acadêmico Josè António Marques, que abordou o tema "Modelos Virtuais de Aprendizagem e Ecossistemas/Ambientes Educacionais Emergentes". Marques também representou a Universidade Aberta de Portugal (UAP), em um Protocolo de Intenções assinado entre a instituição e a UFRB. A  íntegra da exposição do professor está disponível na plataforma youtube.

As atividades do Simpósio tiveram continuidade nesta sexta-feira, dia 28, com uma extensa programação que incluiu mesas redondas no âmbito do desenvolvimento de inovações em Tecnologias Educativas para a educação superior, formação de professores e cooperação Internacional.

Mais informações no site do evento.

Confira fotos do evento

{gallery}noticias2017/sitee{/gallery}



Em seus 12 anos, UFRB comemora maioria negra e pobre no ensino superior

28 de Julho de 2017, 9:12, por UFRB - Universidade Federal do Recôncavo da Bahia - 0sem comentários ainda

Com 83,4% de estudantes autodeclarados negros e 82% oriundos de famílias com renda total de até um salário mínimo e meio, a Universidade Federal do Recôncavo da Bahia (UFRB) chega ao seu 12º aniversário neste sábado, dia 29 de julho. Fruto da política pública de Reestruturação e Expansão das Universidades Federais (REUNI), a UFRB comemora o crescimento do número de jovens baianos, em especial da população mais negra e pobre, com acesso ao nível superior nos últimos anos.

Desde a sua criação em 2005, a primeira universidade federal do interior da Bahia elevou a oferta de vagas para além da capital do estado e vem ganhando destaque no cenário nacional pela sua política de inclusão social. Foi a primeira universidade do país a ter uma Pró-Reitoria de Políticas Afirmativas e a aplicar integralmente a Lei de Cotas em 2012. Hoje, a instituição conta com sete centros de ensino em seis cidades do Recôncavo, onde circulam 12.345 estudantes, dos quais 91.5% são da Bahia.

Os dados fazem parte do “Perfil dos Estudantes de Graduação da UFRB”, publicado neste mês e apresentado para a imprensa pelo reitor da instituição, Silvio Soglia. As informações foram produzidas a partir de dados atualizados pela própria universidade e com base na “IV Pesquisa do Perfil Socioeconômico e Cultural dos Estudantes de Graduação das Instituições Federais de Ensino Superior Brasileira – 2014”, realizada pelo Fórum Nacional de Pró-Reitores de Assuntos Comunitários e Estudantis (FONAPRACE) em parceria com a Associação Nacional dos Dirigentes das Instituições Federais de Ensino Superior no Brasil (ANDIFES).

Para o reitor, esses dados têm o potencial de oferecer uma visão ampla e integrada sobre o perfil dos estudantes da UFRB, que está bem à frente da média nacional. “Apesar de o acesso dos negros à universidade ter aumentado para 47,57% no país, em mais de uma década de existência da UFRB essa diferença ainda é expressiva. Em outra comparação, a maioria dos nossos estudantes tem renda familiar per capita de R$ 486,38, enquanto no Brasil a média é de R$ 916,80”, destacou Soglia.

“Privilegiamos a descrição de variáveis-chave para a assistência estudantil em toda a instituição, mas também de forma segmentada pelos campi/centros que compõem a estrutura multicampi da universidade”, explicou o professor Everson Meireles, chefe do Núcleo de Estudos, Formação e Pesquisa em Ações Afirmativas e Assuntos Estudantis (NUFOPE), responsável pela pesquisa.

De acordo com Soglia, os resultados só fortalecem o compromisso da UFRB com o seu projeto original, as conquistas da expansão, da interiorização, da criação, difusão e inovação de tecnologia e conhecimento, das ações comunitárias e de extensão, das políticas de permanência e ações afirmativas.

Cenário de contingenciamentos

Campus Cruz das Almas

Na contramão das perspectivas mais animadoras, os cortes orçamentários anunciados pelo Governo Federal ameaçam as conquistas e o funcionamento das Instituições Federais de Ensino Superior (IFES) e, em especial, àquelas recentemente criadas, a exemplo da UFRB.

Em nota recente, a reitoria da UFRB manifestou sua preocupação com o atual cenário que se desenha para as universidades diante dos severos cortes de investimento. “Essa conjuntura indica, fortemente, que direitos que resultaram de intensa e histórica mobilização da sociedade estão em vias de serem perdidos, provocando, ao invés dos avanços que esperávamos conquistar, retrocessos em diferentes campos”, diz um trecho.

No ano de 2017, o orçamento da UFRB sofreu uma redução de 19,5% do custeio e 49,7% do investimento, resultando em 29,3% em seu total. O pró-reitor de Planejamento, José Mascarenhas, aponta que essas reduções orçamentárias impactam as ações de assistência estudantil, em função da redução do valor relativo ao Plano Nacional de Assistência Estudantil (PNAES), e dificultam a consolidação dos novos campi e de programas como “Mais Médicos (eixo educação)” e “PRONACAMPO”, este último excluído da peça orçamentária.

“Com esse orçamento, a nossa instituição retoma em 2017 ao valor de 2014, ainda não liberado totalmente e em uma situação de universo acadêmico completamente diferente. São novos cursos, novos campi, novas estruturas, e a gente retroage lamentavelmente três anos nessa matriz”, afirma Mascarenhas, que salientou ainda que apesar dos cortes “é preciso fazer a universidade avançar mesmo com as adversidades”.

O reitor da UFRB, Silvio Soglia, acredita que as medidas recentes do governo federal apontam na direção de um novo modelo de financiamento das universidades e destacou que diante das adversidades é necessário ampliar a defesa da educação pública. “A universidade não vai parar, ela tem que avançar. Precisamos agora mais do que nunca do apoio da comunidade do recôncavo. Se ela participou ativamente desta conquista, é chegado o momento para que ela nos ajude a fazer essa defesa”, conclui.

 

Confira o Perfil dos Estudantes da UFRB:



Professores da UFRB participam de Manual da Sociedade Brasileira de Pediatria

27 de Julho de 2017, 17:11, por UFRB - Universidade Federal do Recôncavo da Bahia - 0sem comentários ainda

Os professores do curso de Educação Física do Centro de Formação de Professores (CFP), Teresa Maria Bianchini e Alex Gordia, participaram da elaboração de um Manual de orientação sobre a promoção de Atividades Física na infância e adolescência.  O material  produzido pela Sociedade Brasileira de Pediatria (SBP) foi divulgado nesta semana e apresenta um guia com diretrizes segundo as diferentes faixas etárias da população pediátrica e também alerta os médicos sobre a importância de também cuidarem de sua saúde e bem-estar, com o apoio do esporte e outras práticas.

Ainda são feitas recomendações às escolas para que repensem o modelo de aula tradicional, onde os alunos ficam sentados na maior parte do tempo. Nas aulas de educação física, os pediatras recomendam que os escolares fiquem ativos pelo menos 50% do tempo total da aula.

O Manual sugere ainda ações a serem adotadas como políticas públicas, como incluir o pediatra nas Unidades de Saúde da Família para que possam trabalhar ações de prevenção de morbidades relacionadas à obesidade e inatividade física de forma interdisciplinar com outros profissionais de saúde; incluir professores de educação física em todas as escolas, inclusive desde as séries iniciais do ensino fundamental; proporcionar espaço físico adequado para a realização de atividades físicas nas escolas e a instalação de bicicletários no entorno das escolas, parques e praias.

Recomendações - De acordo com o Manual de Atividades Físicas da SBP, crianças de zero a dois anos devem ser incentivadas a serem ativas, mesmo por curtos períodos, várias vezes ao dia. As que conseguem andar sozinhas devem ser estimuladas fisicamente durante pelo menos 180 minutos, em ações que podem ser fracionadas ao longo de cada período.

Para os pediatras, mesmo bebês que ainda não começaram a se arrastar devem ser incitados nos ambientes que frequentam. Para tanto, os pais e responsáveis podem estimulá-los a alcançar objetos, procurando levar os bebês a segurar, puxar, empurrar e mover a cabeça, corpo e membros.

Confira o manual.

Com informações da Ascom SBP



Curso de Licenciatura em Matemática na modalidade EaD é reconhecido pelo MEC

27 de Julho de 2017, 16:29, por UFRB - Universidade Federal do Recôncavo da Bahia - 0sem comentários ainda

O curso de Licenciatura em Matemática na modalidadea a distância da Universidade Federal do Recôncavo da Bahia (UFRB) obteve o reconhecimento do Ministério da Educação (MEC) através da portaria n° 729/2017 publicada no Diário Oficial da União, no último dia 14 de Julho de 2017. A graduação obteve o conceito global 4 atribuído pelo MEC.

O curso tem atualmente 2.278 horas/aulas de disciplinas obrigatórias, 204 horas/aulas de disciplinas optativas, 200 horas/aulas de atividade complementar, 68 horas/aulas de Trabalho de Conclusão de Curso, 408 horas/aulas de Estágio, totalizando 3.158 horas/aulas. O curso é integralizável em no mínimo oito semestres e no máximo 12 semestres.

A UFRB foi credenciada em 2013  para oferta de cursos superiores na modalidade a distância. O curso conta com estrutura de laboratórios de informática, de física, e com uma infra-estrutura adequada para produção de vídeos/aulas com três Laboratórios para Ensino de Matemática. O curso é desenvolvido nos Polos de apoio presenciais estaduais em Vitória da Conquista, Macaúbas e Itabuna e nos polos de apoio presenciais municipais em Sapeaçu, Teodoro Sampaio, Ipirá e Rio Real, todos localizados no interior da Bahia. 

De acordo com o professor Eleazar Lozada, coordenador do curso, a metodologia possui dois módulos e indica atividades todos os dias da semana buscando incentivar uma rotina de estudos para os alunos. “Desenvolvemos material didático para que os estudantes estudem de forma independente e, através do ambiente virtual, consultem com os tutores a distância para resolverem suas dúvidas”, explica.

Saiba mais na página do curso. 



Categorias

Bahia, Comunicação, Cultura, Formação, Marco Legal, Pesquisa e tecnologia, Políticas públicas, Relações internacionais, Saúde popular, Software, cultura e conhecimentos livres