Ir para o conteúdo
Mostrar cesto Esconder cesto
Tela cheia Sugerir um artigo

Notícias

12 de Janeiro de 2009, 22:00 , por Desconhecido - | 1 pessoa seguindo este artigo.
Notícias publicadas no portal oficial da UFRB e clonadas nessa comunidade.

Universidades doam relatórios antropológicos de comunidades quilombolas ao Incra

10 de Dezembro de 2018, 20:44, por UFRB - Universidade Federal do Recôncavo da Bahia - 0sem comentários ainda

Três relatórios antropológicos relacionados a seis comunidades quilombolas foram doados à Superintendência Regional do Incra na Bahia, dia 6 de dezembro. As áreas estão situadas no município de Cachoeira, que fica no Território de Identidade do Recôncavo Baiano.

As comunidades contíguas de Kalolé, Imbiara, Tombo e Palmeira tiveram o relatório produzido pelo Núcleo de Pesquisa ObservaBaía da Faculdade de Filosofia e Ciências Humanas (FFCH), da Universidade Federal da Bahia (UFBA).

Os outros dois documentos foram doados pela Universidade Federal do Recôncavo da Bahia (UFRB), com apoio da Organização Não-Governamental italiana COSPE (sigla que significa Cooperação para o Desenvolvimento dos Países Emergentes, em livre tradução). Os relatórios beneficiam as comunidades do Engenho da Cruz e Engenho Novo.

O chefe de gabinete da regional baiana, Lauriano Palma, agradeceu a iniciativa das universidades. “É um grande desafio a realização da regularização fundiária de territórios quilombolas e os relatórios antropológicos são peças fundamentais no cumprimento das etapas necessárias. As contribuições da UFBA e UFRB são de grande valia”, ressaltou Palma.

Comunidade e Universidades

O reitor da UFRB, Silvio Soglia, presente na entrega dos documentos, destacou que as elaborações dos relatórios representam o papel de colaboração com o desenvolvimento local e regional da sociedade. “Essa é uma parte da colaboração que as universidades podem oferecer às comunidades”, acrescentou Soglia.

Já a diretora da Faculdade de Filosofia da UFBA, Maria Hilda Paraíso, lembrou do delicado trabalho que é a elaboração de um relatório antropológico. “Trata-se de um laudo que tem o papel de resgatar os direitos e a autoestima das comunidades, transformando-as numa realidade melhor”, disse Maria Hilda.

Avanços

Segundo o chefe da Divisão de Ordenamento da Estrutura Fundiária do Incra na Bahia, José Vasconcelos, até o fim des dezembro, o Relatório Técnico de Identificação e Delimitação (RTID) das comunidades Kalolé, Imbiara, Tombo e Palmeira estará finalizado.

“Já concluímos os trabalhos de delimitação e o relatório agroambiental. E estamos com equipe em campo finalizando o cadastramento das famílias”, explica Vasconcelos.

Já as comunidades de Engenho da Cruz e Engenho do Novo, segundo o chefe de divisão, encabeçam a lista de prioridades para a delimitação de áreas, por já terem os relatórios antropológicos concluídos. Vasconcelos frisou ainda que a regional baiana vai fechar o ano de 2018 com 10 comunidades quilombolas com suas poligonais delimitadas.

Organização Não-Governamental 

UFRB coordenou a elaboração dos relatórios antropológicos das comunidades quilombolas Engenho da Cruz e Engenho Novo, que foram executados, por meio do Projeto Terra de Direitos. A universidade tem termo de cooperação com o projeto que conta ainda com a participação da ONG italiana Cospe e o Centro de Educação e Cultura do Vale do Iguape.

Durante o evento, o coordenador do Projeto Terra de Direitos, Leonardo Di Blanda, entregou dois exemplares do livro “Saberes e Fazeres Terapêuticos Quilombola – Na Bacia e Vale do Iguape – Cachoeira, Bahia”, uma publicação que reúne tradições ancestrais praticadas, até os dias atuais, entre as comunidades quilombolas da região.

Participaram do evento ainda a Pró-Reitora de Extensão da URFB, Tatiana Veloso, a chefe de Cartografia do Incra/BA, Mirele Viegas da Silva, além de Ananias Viana, do Conselho Quilombola da Bacia e Vale do Iguape e membros das comunidades contempladas pelos relatórios.

Com informações da Assessoria de Comunicação Social do Incra/BA.



UFRB divulga processo seletivo especial para cursos de Educação no Campo 2019

7 de Dezembro de 2018, 15:42, por UFRB - Universidade Federal do Recôncavo da Bahia - 0sem comentários ainda

A Universidade Federal do Recôncavo da Bahia (UFRB), por meio da Pró-Reitoria de Graduação (PROGRAD), torna pública o processo seletivo especial destinado ao preenchimento de vagas nos cursos de graduação na Educação do Campo, com ingresso em 2019.

São ofertadas 190 vagas nos cursos de Tecnologia em Alimentos, Licenciatura em Educação no Campo com habilitação em Ciências Agrárias, Licenciatura em Educação no Campo com habilitação em Matemática e Licenciatura em Educação no Campo com habilitação em Ciências da Natureza.

As vagas estão distribuídas nas modalidades de Ampla Concorrência e de Reserva de Vagas, de acordo com a Lei Nº 12.711/2012, pela qual 50% das vagas são destinadas para estudantes de escolas públicas. Dentre estas vagas, há ainda a reserva para pretos, pardos, indígenas e pessoas com deficiência (atualizado pela Lei Nº 13.409/2016).

Os cursos são oferecidos no Centro de Formação de Professores (CFP), campus de Amargosa, e no Centro de Ciência e Tecnologia de Energia e Sustentabilidades (CETENS), campus de Feira de Santana, em regime de alternância, entre os períodos de Tempo Universidade e Tempo Comunidade.

As inscrições são gratuitas e estarão abertas no período de 13 de dezembro a 24 de janeiro, exclusivamente via internet, no endereço http://educacaonocampo.ufrb.edu.br. A homologação das inscrições será divulgada no dia 28 de janeiro no site dos Processos Seletivos da UFRB.

A seleção é destinada a pessoas que tenham concluído o Ensino médio ou equivalente e que, preferencialmente, sejam professores em exercício na educação básica em escolas do campo, que não possuam formação inicial ou adequada de acordo com a Lei 9394/1996, ou residam e/ou exerçam atividades no campo.

O processo seletivo será constituído por dois instrumentos de avaliação, de caráter eliminatório e classificatório: uma redação dissertativa, de acordo com o programa de conteúdos estabelecidos no edital, e uma carta de intenção, visando destacar a relação e histórico do candidato com o público beneficiário e seu interesse em relação ao curso.

As provas serão aplicadas no dia 17 de fevereiro, a partir das 9h, no CFP e no CETENS, conforme opção do candidato no formulário de inscrição, podendo as provas serem realizadas também nas unidades da rede municipal de ensino, caso o número de candidatos efetivamente inscritos supere a capacidade dos campi.

A pré-matrícula dos candidatos convocados será realizada no dia 08 de março, junto à Superintendência de Regulação e Registros Acadêmicos (SURRAC), no campus de Cruz das Almas. Perderá o direito à vaga o candidato que não entregar os documentos mencionados no edital no prazo estipulado.

Confira o Edital PROGRAD Nº 045/2018.

Mais informações: www.ufrb.edu.br/prosel.



UFRB sedia 2ª edição do Fórum Baiano de Gestão Ambiental nas Instituições de Ensino Superior

7 de Dezembro de 2018, 15:07, por UFRB - Universidade Federal do Recôncavo da Bahia - 0sem comentários ainda

A Universidade Federal do Recôncavo da Bahia (UFRB) é a sede da 2ª edição do Fórum Baiano de Gestão Ambiental nas Instituições de Ensino Superior (II FBGA), que teve início nesta quinta-feira, dia 06 de dezembro, e segue até hoje, 07, no auditório da Biblioteca do campus de Cruz das Almas. O objetivo é criar um espaço de debates que proporcione a troca de experiências, ideias e projetos inovadores no campo da gestão ambiental em instituições de ensino superior no estado da Bahia. Participam representantes da Universidade Federal da Bahia (UFBA) e da Universidade Federal do Oeste da Bahia (UFOB), além de autoridades municipais e estaduais.

Na abertura, as alunas da Escola Francisco José Barbosa, localizada na comunidade do Tuá em Cruz das Almas, apresentaram uma paródia relacionada ao tema da preservação e uso sustentável da água. Em seguida, foi composta a mesa oficial do evento com a presença do reitor da UFRB, Silvio Soglia; da vice-reitora, Georgina Gonçalves; do pró-reitor de Planejamento, José Mascarenhas; do diretor de Políticas de Biodiversidade e Florestas, Murilo Figueiredo, representando a Secretaria do Meio Ambiente do Estado da Bahia (Sema); do secretário municipal do Meio Ambiente de Cruz das Almas, Pedro Melo; do coordenador de Infraestrutura e Meio Ambiente da UFRB (Cimam), Carlos André Daniel, e do coordenador de Meio Ambiente da UFBA e coordenador executivo do FBGA, José Antônio Lobo.

Lobo agradeceu a equipe organizadora do evento na UFRB e destacou que ainda é um grande desafio conseguir mobilizar todas as instituições de ensino superior da Bahia. “A UFRB abre as suas portas e da melhor maneira possível acolhe esse evento, que ainda é jovem, mas uma oportunidade ímpar de dar continuidade aos debates que envolvem a gestão ambiental nestas instituições”, disse o coordenador, cuja equipe foi responsável pela primeira edição do evento realizada na UFBA. O coordenador da Cimam da UFRB, Carlos André Daniel, deu as boas vindas aos participantes do II FBGA e ressaltou a importância de se criar uma rede entre as instituições para promover práticas de gestão de forma integrada.

O secretário municipal do Meio Ambiente, Pedro Melo, parabenizou as universidades pela iniciativa, mas alertou para o tamanho do desafio: “a gestão ambiental é muito difícil de ser realizada, são muitos os desafios e interesses por traz”, disse. O diretor da Sema, Murilo Figueiredo, afirmou que a secretaria tem procurado construir uma agenda junto às instituições de ensino superior da Bahia, a exemplo da UFRB, que firmou parceria com o Instituto do Meio Ambiente e Recursos Hídricos (Inema) para a implantação do Centro de Referência em Restauração Florestal do bioma Mata Atlântica e do Centro de Triagem de Animais Silvestres, e para os estudos e pesquisas sobre a contaminação por chumbo em Santo Amaro.

O reitor Silvio Sogila encerrou as falas instituições destacando a importância do trabalho em rede para o estabelecimento de parcerias e experiências bem sucedidas. “Uma das prioridades da UFRB é estabelecer a relação com a sociedade, nos diversos níveis da educação básica e superior e com os poderes públicos municipal e estadual”, disse. Soglia citou como ações instituições as campanhas para uso sustentável da água e da energia, as ações de educação ambiental e as parcerias para coleta de resíduos sólidos, mas defendeu que o apoio e a disposição da comunidade acadêmica são fundamentais para a geração dos resultados positivos desse estímulo.

Programação – A conferência de abertura do II FBGA teve como tema “O Papel da IES no Uso Sustentável da Água”, proferida pela professora Anaxsandra Duarte, da UFRB. A programação contou ainda com palestras e apresentações das iniciativas de gestão ambiental das instituições de ensino superior da Bahia, com participação da UFRB, UFOB e UFBA. Nesta sexta-feira, acontecem as apresentações de trabalhos acadêmicos em formato de banners e a plenária final, com a apresentação da carta de fundação do Fórum e dos seus princípios.

O evento foi transmitido ao vivo pela UFRB TV e está disponível online na íntegra:

Confira as fotos:

{gallery}noticias2018/fbga{/gallery}



Filmes do Festival Cachoeira Doc, produzido na UFRB, são exibidos na TVE em dezembro

5 de Dezembro de 2018, 19:38, por UFRB - Universidade Federal do Recôncavo da Bahia - 0sem comentários ainda

A TVE preparou no mês de dezembro uma seleção de filmes do Festival de Documentários de Cachoeira, o Cachoeira Doc. Até o final do mês, um programa especial vai exibir algumas obras que foram contempladas em diferentes edições do evento realizado na Universidade Federal do Recôncavo da Bahia (UFRB). O especial Cachoeira Doc vai ao ar todas as terças, quartas e quintas-feiras, sempre às 22h45.

Entre as produções apresentadas estão ‘Corpo Stile Dance Machine’, ‘Boi na linha’, ‘Ana’, ‘Lápis de cor’, ‘Sementes’, ‘Terça-feira de Nder’, ‘Eu,Travesti’, ‘Latossolo’, ‘O peixe’, ‘Onze’, ‘Reflexiva’, ‘Obra autorizada’, ‘Retomada’, ‘O mar, a mata e a humanidade’, ‘Ótimo amarelo’, ‘Voz das mulheres indígenas’ e ‘Ninguém nasce no paraíso’. Dos selecionados para a exibição na emissora pública, alguns são produções baianas.

Sobre o Festival - O Cachoeira Doc movimenta a cena cultural do Recôncavo baiano desde 2010 e busca fomentar a difusão e a produção de documentários, assim como a discussão sobre o gênero, por meio de oficinas, debates, ciclo de conferências e exibição de filmes.

Fruto das políticas de descentralização dos recursos da cultura, o Festival Cachoeira Doc é produzido dentro da Universidade Federal do Recôncavo da Bahia (UFRB). Todas as edições anteriores foram patrocinadas com apoio da universidade e com recursos do Fundo de Cultura. Em 2018, por falta de patrocínio, o evento não foi realizado. Nas sete edições anteriores cerca de 15 mil pessoas assistiram a mais de 260 documentários, muitos deles inéditos na Bahia e Brasil.

Fonte: Divulgação TVE.



Editora da UFRB publica dois novos livros eletrônicos da Coleção Acadêmica

5 de Dezembro de 2018, 19:17, por UFRB - Universidade Federal do Recôncavo da Bahia - 0sem comentários ainda

A Editora da Universidade Federal do Recôncavo da Bahia (EDUFRB) disponibilizou duas novas publicações eletrônicas da Coleção Acadêmica em sua página na internet. Trata-se dos e-books “Imagem, Devoção e Escravidão”, de autoria da professora Tânia Maria Pinto de Santana, e “Para não ser o etcetera”, de autoria da professora Sílvia de Oliveira Pereira.

“Imagem, Devoção e Escravidão” analisa a forma como a devoção aos santos negros - São Benedito, Santa Ifigênia, Santo Antônio de Categeró, Santo Elesbão -, bem como a outros santos católicos - Santa Bárbara, São Jorge, Santa Ana, dentre outros -, foi utilizada como instrumento da catequese das populações negras na América Portuguesa. De acordo com a autora, a obra reflete sobre a construção do imaginário que associa os negros ao cristianismo, buscando compreender como estas populações vivenciaram tais experiências e quais significados lhes atribuíram.

“Para não ser o etcetera” traz a discussão sobre a institucionalidade dos Conselhos dos Direitos da Pessoa com Deficiência no Brasil, analisando a interface com a Política de Saúde e as conquistas deste segmento populacional. “Essas instâncias colegiadas, instituídas como espaços legítimos de participação, têm a prerrogativa de convocar as Conferências dos Direitos da Pessoa com Deficiência, espaços de expressão das necessidades coletivas e busca de soluções para os desafios enfrentados”, explicam as docentes Isabel Lima e Isabela Pinto, no prefácio do livro.

As obras foram contempladas no Edital Nº 001/2018 de Apoio à Publicação de Livros Eletrônicos (E-books) da EDUFRB e encontram-se disponíveis gratuitamente para acesso em formato digital.

Sobre as autoras – Tânia Maria e Sílvia Pereira são professoras adjuntas da UFRB. Com doutorado em História pela Universidade Federal da Bahia (UFBA), Tânia tem experiência nas áreas de História Medieval e História do Brasil Colônia e desenvolve pesquisa sobre os temas: Bahia, escravidão e religiosidade católica entre os negros, devoções católicas, testamentos e práticas assistenciais nas sociedades do recôncavo baiano no século XVIII.

Sílvia tem formação em Serviço Social pela Universidade Católica do Salvador e doutorado em Saúde Coletiva pelo Instituto de Saúde Coletiva da UFBA. Atualmente lidera o Grupo de Estudos e Pesquisa sobre Trajetórias Participativas e Políticas Sociais na UFRB - TRAPPOS; coordena o projeto de extensão CapacitaSUAS e responde pela coordenação operacional do DINTER em Serviço Social UFRB/UFRJ. É membro do GT Deficiência e Acessibilidade da ABRASCO.

Confira as obras:

Imagem, Devoção e Escravidão – Download Gratuito ou Leia Online

Para Não Ser o Etcetera – Download Gratuito ou Leia Online

Mais informações: www.ufrb.edu.br/editora.



Categorias

Bahia, Comunicação, Cultura, Formação, Marco Legal, Pesquisa e tecnologia, Políticas públicas, Relações internacionais, Saúde popular, Software, cultura e conhecimentos livres